A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Atividade PPR (1)

Pré-visualização | Página 1 de 3

Atividade PPR (Programa de Proteção Respiratória)
Pesquise no site da FUNDACENTRO o Programa de Proteção Respiratória: Recomendações, seleção e uso de respiradores, ele será material de referência para que utilizarem nesta atividade.
Responda as questões abaixo tendo como referência este material.
1 – Qual o conteúdo e o objetivo deste material criado e disponibilizado pela FUNDACENTRO?
Conteúdo: 
1 Objetivo 
2 Situações em que se utilizam equipamentos de proteção respiratória 
2.1 Introdução 17 2.2 Uso voluntário 18 3 Programa de proteção respiratória 
3.1 Introdução 
3.2 Elementos do programa 
3.2.1 Conteúdo mínimo
3.2.2 Procedimentos operacionais 
3.2.2.1 Procedimentos operacionais para o uso rotineiro de respiradores
3.2.2.2 Procedimentos operacionais para o uso em situações de emergência e de salvamento 
3.3 Implementação do programa
3.4 Administração do programa 
3.5 Regras e responsabilidades
3.5.1 Responsabilidades do empregador
3.5.2 Responsabilidades do administrador
3.5.3 Responsabilidades do empregado
3.5.4 Responsabilidades do prestador de serviço
 4 Riscos respiratórios 
4.1 Introdução
4.2 Avaliação dos perigos no ambiente de trabalho 
4.3 Avaliação da adequação do respirador à exposição
4.4 Avaliação da adequação do respirador à tarefa, ao usuário e ao ambiente de trabalho 
4.4.1 Adequação à tarefa
4.4.2 Adequação ao usuário 
4.4.3 Adequação ao ambiente de trabalho
4.4.4 Localização da área de risco
4.4.5 Características de desempenho do respirador 
4.4.6 Aplicações especiais 
4.5 Registros
5 Procedimento para a seleção dos respiradores 
5.1 Seleção de respiradores para uso rotineiro
5.2 Seleção de respiradores para uso em atmosferas IPVS, espaços confinados ou atmosferas com pressão reduzida
5.2.1 Atmosfera IPVS 
5.2.1.1 Respiradores para uso em condições IPVS na pressão atmosférica normal
5.2.2 Respiradores para uso em espaços confinados
5.2.3 Respiradores para uso em pressão atmosférica reduzida
5.2.3.1 Deficiência de oxigênio IPVS envolvendo pressão atmosférica reduzida
5.2.3.2 Deficiência de oxigênio não IPVS envolvendo pressão atmosférica reduzida
5.3 Respiradores para operação de jateamento
5.4 Respiradores para fuga, emergência e resgate
6 Avaliação das condições físicas e psicológicas do candidato ao uso/ usuário de respirador 
Objetivo: Apresentar os principais tópicos da legislação brasileira sobre proteção respiratória, conceitos técnicos, seleção de respiradores conforme o programa de proteção respiratória, ensaios de vedação, conteúdo mínimo de um PPR, 4ª versão 2016
2 – O que são os EPR e em quais situações devem ser utilizados?
EPR: Os equipamentos de proteção respiratória são respiradores ou máscaras, que protegem os trabalhadores contra a inalação de contaminantes gerados por agentes químicos como poeiras, névoas, fumos, gases e vapores e também usados em caso de deficiência de oxigênio.
O uso de EPR tem como objetivo principal prevenir a exposição por inalação de substâncias perigosas e/ou ar com deficiência de oxigênio. Quando não for possível prevenir a exposição ocupacional, o controle da exposição adequada deve ser alcançado, tanto quanto possível, pela adoção de outras medidas de controle que não o uso de EPR. Medidas de controle de engenharia, tais como, substituição de substâncias por outras menos tóxicas, enclausuramento ou confinamento da operação e sistema de ventilação local ou geral e medidas de controles administrativos, como a redução do tempo de exposição, devem ser consideradas. O uso de EPR é considerado o último recurso na hierarquia das medidas de controle e deve ser adotado somente após cuidadosa avaliação dos riscos. Existem situações, entretanto, nas quais ainda pode ser necessário o uso de um respirador, tais como: a) outras medidas de controle já foram adotadas, mas a exposição à inalação não está adequadamente controlada; b) a exposição por inalação excede os limites de exposição e as medidas de controle necessárias estão sendo implantadas; c) a exposição por inalação é ocasional e de curta duração, sendo impraticável a implantação de medidas de controle permanentes (por exemplo, em trabalhos de manutenção, de emergência, fuga e resgate).
3 – O que é o PPR e quais os elementos mínimos que deve conter este programa?
O Programa de Proteção Respiratória (PPR) é um processo para seleção, uso e manutenção dos respiradores com a finalidade de assegurar proteção adequada para o usuário. Este item apresenta os requisitos mínimos de um PPR, bem como os pormenores de como preparar os procedimentos escritos que fazem parte do programa. Antes de se utilizar um respirador, é essencial que seja estabelecido um PPR, por escrito, com os procedimentos específicos para o local de trabalho. O programa deve ser implantado, avaliado e atualizado sempre que necessário, de modo a refletir as mudanças de condições do ambiente de trabalho que possam afetar o uso de respirador. O PPR deve ser compreendido por todos os níveis hierárquicos da empresa.
O texto do PPR deve conter, no mínimo, os seguintes elementos: 
a) política da empresa na área de proteção respiratória; 
b) abrangência; 
c) indicação do administrador do programa; 
d) regras e responsabilidades dos principais atores envolvidos; 
e) avaliação dos riscos respiratórios; 
f) seleção do respirador; PPR.indd 18 10/08/2016 15:32:55 19 
g) avaliação das condições físicas, psicológicas e médicas dos usuários; 
h) treinamento;
 i) ensaio de vedação; 
j) uso do respirador e política da barba; 
k) manutenção, inspeção, limpeza e higienização dos respiradores;
 l) guarda e estocagem; 
m)uso de respirador para fuga, emergências e resgates;
 n) qualidade do ar/gás respirável;
 o) revisão do programa; 
p) arquivamento de registros. 
A maioria desses elementos deve ser detalhada na forma de procedimentos operacionais escritos.
4 – Quais as responsabilidades do administrador do PPR?
O empregador deve atribuir a uma só pessoa a responsabilidade e a autoridade pelo programa. Ela deve ser qualificada por treinamento ou possuir experiência compatível com a complexidade do PPR para implementar e administrar de modo apropriado o programa, bem como conhecer e estar atualizada no que se refere às publicações e aos regulamentos legais vigentes. É recomendável que seja da área de Higiene Ocupacional, da Medicina do Trabalho ou da Engenharia de Segurança da própria empresa. O administrador do PPR poderá indicar pessoas competentes para auxiliá-lo na implantação e na execução de algumas tarefas do programa. Essas pessoas devem ter experiência e treinamentos apropriados para exercer suas funções no PPR de maneira efetiva e manterem-se atualizadas.
5 – Para avaliação dos riscos respiratórios quais etapas devem ser levadas em consideração?
A avaliação desses perigos deve ser feita obedecendo as seguintes etapas: 
a) determinar se existe risco potencial de deficiência de oxigênio. Quando existir, determinar o nível de oxigênio mais baixo que possa ocorrer em trabalhos de rotina ou em emergência; 
b) identificar os contaminantes que possam estar presentes no ambiente de trabalho e seu estado físico (particulado, gás, vapor). Todas as substâncias utilizadas, produzidas ou armazenadas, incluindo matérias-primas, impurezas relevantes, produtos finais, subprodutos e resíduos, devem ser conhecidas através da análise cuidadosa do processo de trabalho e as informações relativas às propriedades perigosas e à toxicidade dessas substâncias podem ser obtidas nas Fichas de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ). Quando o PPR.indd 24 10/08/2016 15:32:55 25 contaminante não puder ser identificado e não existirem orientações claras, o perigo deve ser considerado desconhecido e a atmosfera deve ser considerada IPVS. Deve ser verificado também se a pressão de vapor de cada contaminante, que indica maior ou menor quantidade de vapor gerado por um líquido ou um sólido, é significativa na máxima temperatura prevista no ambiente de trabalho; 
c)

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.