objetivas 2
36 pág.

objetivas 2


DisciplinaAdministra522 materiais417 seguidores
Pré-visualização8 páginas
As professoras Patrícia e Ângela começaram a trabalhar com turmas da mesma série, em uma escola situada numa comunidade de baixa renda. Seus alunos apresentam distorção idade/série e, nos anos anteriores, tiveram baixo rendimento. Após algum tempo, era evidente o progresso dos alunos de Ângela, constantemente estimulados pela professora, que organizava o seu planejamento didático em torno das atividades preferidas dos alunos. Indagada por que tal progresso não ocorrera com sua turma, Patrícia respondeu: "Meus alunos são pobres, têm muita dificuldade e não vão conseguir aprender mesmo." Do planejamento didático faz parte a seleção dos conteúdos a serem trabalhados.
Quando organiza seu planejamento em torno das atividades preferidas dos alunos, Ângela seleciona conteúdos que tenham, para eles,
a)  significação e utilidade.
b)   organização e inflexibilidade.
c)   desordenação e validade.
d)   sistematização e informalidade.
e)   incoerência e integralidade.
Leia, atentamente, o texto abaixo: Maria, de 5 anos de idade, no seu trajeto de casa para a escola, observa diferentes informações escritas, como as placas de trânsito, outdoors, nomes de lojas, cartazes de ofertas, números de casas. Ela deseja entender o que se esconde atrás deste misterioso código. Com este objetivo, a instituição de educação infantil deve assegurar: 
a)   a infância, não possibilitando um contato da criança com a leitura e a escrita, pois levam à escolarização precoce.
b)    apenas às práticas discursivas orais, priorizando sempre a realização das rodas de conversas, de leituras orais e silenciosas.
c)   o direito da criança de manter contato com a escrita, mas esse contato não deve ocorrer pela criação de contextos didáticos artificiais.
d)    o direito da criança de manter contato com a escrita e esse contato deve ocorrer pela criação de contextos didáticos artificiais.
e)    o período preparatório para a alfabetização.
Numa sala de aula de terceiro ano do ensino fundamental, com crianças oriundas de várias regiões do Brasil, um aluno pronunciou a palavra olho como [oio]. Outra criança da turma chamou-lhe a atenção, corrigindo-lhe a fala. A professora aproveitou a oportunidade e pediu a todos para que, a partir dali, falassem sempre como se escreve, ou seja: os que falassem [sau] deveriam sempre falar [sal]; os que falassem [viage] deveriam sempre falar [viagem]; os que falassem [bodi] deveriam sempre falar [bode]; os que falassem [cantano] deveriam sempre falar [cantando]. Rapidamente as crianças perceberam que ficou muito difícil falar e que seria impossível falar sempre exatamente como se escreve. A professora aproveitou para explicar que ninguém fala exatamente como se escreve. Essa professora sabe que
a)  as relações arbitrárias e não perfeitas entre sons e letras são raras.
b)  as variações dialetais de origem social e regional devem ser superadas.
c)  a língua portuguesa escrita não é fonética.
d)  as variações da língua falada têm significados afetivos e culturais.
e)  a correspondência entre os sons da fala e a escrita fonética é invariável.
A organização de todo o trabalho com a alfabetização e a leitura em sala de aula pressupõe que os conteúdos sejam trabalhados de modo integrado geralmente relacionado a um projeto de estudos. A partir desses estudos é correto afirmar que:
a) na alfabetização inicial os alunos devem interagir somente com textos literários.
b) as práticas e leituras escolares não devem respeitar e cultivar o desejo de ler.
c) a preparação para a leitura deve se iniciar com as previsões e hipóteses que o professor faz sobre o que vai ler para os alunos.
d) os alunos sempre precisam ver na leitura algo desafiante e interessante para se tornarem bons leitores.
e) só é possível realizar atos de leitura e escrita quando o aluno já sabe ler convencionalmente.
er como qualquer aprendizagem requer dedicação e esforço. O livro pode vir a ser para os alunos um desafio, como um jogo. Assim sendo, podemos afirmar que: 
a) ler para os alunos é uma atividade fundamental, o ideal é que a leitura seja somente quinzenal.
b) existe uma idade ideal para o aprendizado da leitura, o melhor é que a criança aprenda a ler somente a partir do primeiro ano do ensino fundamental.
c) a leitura do livro proporciona a abertura de muitas portas para o conhecimento, mas também para o entretenimento e a diversão.
d) muitos leitores precoces têm características especiais, como a inteligência acima da média e privilégios sociais.
e) na alfabetização inicial o Diretor é o modelo de leitor e escritor e, muitas vezes o único modelo.
Conforme Isabel Solé, para o ensino correto de estratégias de compreensão leitora, é preciso considerar que
a) é muito difícil apresentar a leitura como uma atividade que as crianças possam compreender e compartilhar.
b)   a leitura é uma atividade competitiva por meio da qual se ganham prêmios ou se sofrem sanções. 
c)    as situações em que ¿se trabalha¿ a leitura e as situações em que simplesmente ¿se lê¿ são indistintas do ponto de vista do ensino.
d)   didaticamente, a leitura silenciosa, sem a participação do professor, é a forma de proporcionar ao aluno uma atividade que lhe dê prazer.
e)   ler é uma atividade voluntária e prazerosa, por isso professor e alunos devem estar motivados para ensinar e aprender.
I. No livro Psicogênese da Língua Escrita, Ana Teberosky fala sobre a importância de trabalharmos com o nome dos alunos.
porque
II. Tanto do ponto de vista linguístico como gráfico, o nome próprio de cada criança é um modelo estável.
Acerca desse enunciado, assinale a opção correta.
a) As duas asserções são proposições verdadeiras, e a segunda é uma justificativa correta da primeira.
b) As duas asserções são proposições verdadeiras, mas a segunda não é uma justificativa correta da primeira.
c) A primeira asserção é uma proposição verdadeira, e a segunda é uma proposição falsa.
d) A primeira asserção é uma proposição falsa, e a segunda é uma proposição verdadeira.
e) Tanto a primeira como a segunda asserção são proposições falsas.
A partir do estudo do capítulo 9: Aspectos Linguísticos da Alfabetização complete com 1 ou 2.
1 - VERDADEIRO
2 \u2013 FALSO
Alternativas
1
 VERDADEIRO
2
FALSO
Associações
O aprendizado da ortografia envolve apenas a memória.
Algumas habilidades fonológicas são essenciais para a criança avançar em suas hipóteses sobre o sistema alfabético.
Devemos tornar os erros ortográficos de nossos alunos como índices para dar nota.
A ortografia é uma invenção relativamente recente, línguas como o Francês e o Espanhol não tinham ortografia há cerca de trezentos anos.
No caso das dificuldades irregulares precisamos criar estratégias de ensino que levem o aluno a refletir a respeito da regra em questão e compreendê-la.
Considerando os estudos sobre a Avaliação e a Alfabetização, complete com 1 ou 2.
1 - VERDADEIRO
2 - FALSO
Alternativas
1
VERDADEIRO
2
FALSO
Associações
O professor é um protagonista ativo no processo de ensino aprendizagem da alfabetização.
A avaliação do próprio processo de ensino como instrumento de reflexão do professor sobre a sua docência não é essencial.
As crianças aprendem reflexivamente, resolvendo desafios, curiosidades, conflitos e situações-problema.
O planejamento anual contém um conjunto de metas definidas a partir da avaliação classificatória e da proposta curricular adotada pela escola.
A avaliação continua do processo de aprendizagem dos alunos poderá ser realizada na prática cotidiana de sala de aula.
Considerando os estudos sobre Práticas Pedagógicas de Alfabetização e Letramento, complete com 1 ou 2.
1 - VERDADEIRO
2 - FALSO
Alternativas
1
VERDADEIRO
2
FALSO
Associações
Na escola deverá existir um espaço específico para o planejamento e todas as atividades devem ser realizadas individualmente.
O planejamento não deve se configurar de forma dinâmica e flexível.
No início de cada ano letivo na alfabetização inicial