Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Aula_Introduo_SR_1 (1)

Pré-visualização | Página 1 de 1

INTRODUÇÃO AO 
SENSORIAMENTO REMOTO 
UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA 
Disciplina: Sensoriamento Remoto 
Prof. Dr. Elvis Bergue Mariz Moreira 
elvis.moreira@ufob.edu.br 
INTRODUÇÃO 
 Sensoriamento remoto, termo criado no início dos 
anos de 1960 por Evelyn L. Pruit e colaboradores, 
é uma das mais bem sucedidas tecnologias de 
coleta automática de dados para o levantamento e 
monitoração dos recursos terrestres em escala 
global. 
 
 Reúne a maior diversidade de pesquisadores e 
usuários, em torno de uma tecnologia de aplicação. 
 
O QUE É SENSORIAMENTO REMOTO ? 
 
DEFINIÇÕES 
Tecnologia que permite a 
aquisição de informações sobre 
objetos sem contato físico com 
eles. 
É feita a distância, através 
da captação e do registro da 
energia refletida ou emitida 
pela superfície. 
Sensoriamento 
Remoto 
Obtenção de dados 
Distante 
DEFINIÇÕES 
 A medição ou aquisição de informações de alguma 
propriedade de um objeto ou fenômeno, por um 
dispositivo de gravação que não esteja um contato físico 
ou íntimo com o objeto ou fenômeno em estudo. 
(Sociedade Americana de Fotogrametria e Sensoriamento 
Remoto, 1983) 
DEFINIÇÕES 
 Ciência e a Tecnologia de obtenção de informações 
confiáveis ​​sobre objetos físicos e ambientais, através 
do processo de gravação, medição e interpretação de 
imagens e representação digital de padrões de 
energia derivados de sistemas de sensores sem 
contato físico com o alvo (Colwell, 1997). 
DEFINIÇÕES ESPECÍFICAS 
 Tecnologia que permite obter imagens e outros tipos 
de dados, da superfície terrestre, através da 
capacitação e do registro da energia refletida ou 
emitida pela superfície” (FLORENZANO, 2002). 
 A utilização conjunta de sensorescom o objetivo de 
estudar eventos, fenômenos e processos que ocorrem 
na superfície terrestre com base no registro e análise 
das interações entre a radiação eletromagnética e as 
substâncias que o compõem em suas mais diversas 
manifestações (NOVO, 2012) 
SENSORIAMENTO REMOTO É CIÊNCIA ? 
 Uma ciência é definida como o amplo campo do conhecimento 
humano envolvido com fatos unidos pelos princípios (regras). 
 
 Os cientistas descobrem e testam fatos e princípios pelo 
método científico, um sistema ordenado de solução de 
problemas. 
 
 Qualquer assunto que os seres humanos possam estudar 
usando o método científico e outras regras especiais de 
pensamento pode ser chamado de ciência. 
 
SENSORIAMENTO REMOTO É UMA ARTE ? 
• A interpretação da imagem visual traz não apenas o 
conhecimento científico, mas toda a experiência que uma 
pessoa obteve durante toda a vida. 
• A sinergia da combinação do conhecimento científico com a 
experiência do analista do mundo real permite ao intérprete 
desenvolver estratégias para extrair informações das imagens 
• Possui a capacidade de sintetizar princípios científicos e 
conhecimentos do mundo real para chegar a conclusões 
lógicas e corretas. 
• Assim, a interpretação de imagens de sensoriamento remoto 
é uma arte e uma ciência. 
A ARTE DE INTERPRETAR AS CORES DAS 
IMAGENS 
 
VANTAGENS DO SENSORIAMENTO REMOTO 
• A detecção remota é relevante devido a obtenção da 
informção ocorrer sem contato físico com o objeto de 
interesse, através da radiação eletromagnética refletida ou 
emitida pelo objeto de interesse. 
VANTAGENS DO SENSORIAMENTO REMOTO 
 Em condições controladas, o sensoriamento remoto pode 
fornecer informações biofísicas fundamentais, incluindo x, y 
localização, elevação ou profundidade, biomassa, 
temperatura e umidade. 
LIMITAÇOES DO SENSORIAMENTO 
REMOTO 
• Os instrumentos de sensoriamento remoto podem tornar-se 
não calibrados, resultando em dados de sensor remoto não 
calibrados. 
• Os dados do sensor remoto podem ser caros; 
• Pesquisas adicionais são necessárias para determinar como 
esses sensores ativos podem ser intrusivos. 
PROBLEMAS....? 
 
Aerosol, gases, moléculas 
Substrato 
 
Dossel 
Atmosfera 
 
Nuvens 
SENSORIAMENTO REMOTO 
Satélites, câmaras, 
telescópios e até 
nossos olhos são 
ferramentas 
utilizadas para 
analisar objetos à 
distância. 
 
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO SR 
 
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO SR 
Balões Pombos Aeronaves Satélites 
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO SR 
 A origem do SR vincula-se ao surgimento da fotografia aérea 
 Assim, a história pode ser divida nos seguintes períodos: 
◦ 1862 – 1960 desenvolvimento dos sensores fotográficos e 
seu uso para atividades de defesa e reconhecimento de 
terreno 
◦ 1990 até os dias atuais - avanço na tecnologia de construção 
de sensores com maior sensibilidade, avanços na capacidade 
de transmissão, armazenamento e processamento 
 O SR é fruto de um esforço multidisciplinar que integra os 
avanços na Matemática, Física, Química, Biologia, Computação, 
entre outras. 
BREVE HISTÓRICO 
 As fotografias foram os 
primeiros produtos do SR; 
 
 Pouco depois câmaras 
começaram a ser montadas 
em balões de ar quente. 
 
 Tal técnica foi usada durante 
a Guerra Civil dos EUA (1862) 
para reconhecimento do 
território. 
BREVE HISTÓRICO 
 Em 1890 foguetes foram lançados 
para obter fotografias aéreas, mas 
com baixa resolução; 
 
 Em 1909, inicia-se a fotografia 
tomada por aviões e na Primeira 
Grande Guerra Mundial seu uso 
intensificou-se; 
 
 Na II Guerra Mundial houve grande 
desenvolvimento do SR, nesse 
período: 
◦ Foi desenvolvido o filme 
infravermelho, para detectar 
clamuflagem; 
◦ Foram introduzidos novos 
sensores, como radar; 
 Durante a Gurra Fria foram 
desenvolvidos sensores de alta 
resolução; 
 
 Em 1960 foram obtidas as primeiras 
fotografias tiradas de satélite (Satélites 
tripulados); 
 
 Incentivo para construção de satélites 
meterológicos e de recursos terrestres. 
 Lançamento do primeiro satélite 
meterológico – TIROS, data de 1960; 
 Em 1972, foi lançado o ERTS-1 – 
primeiro satélite de recursos terrestre. 
Mais tarde denominado de LANDSAT – 
1; 
 Em 1973, o Brasil recebeu as primeiras 
imagens do LANDSAT; 
 No fim da década de 80 – Cooperação 
Brasil/China – lançamento do CBERS. 
SENSORIAMENTO REMOTO COMO SISTEMA DE 
AQUISIÇÃO DE INFORMAÇÕES 
 
O sensoriamento remoto como sistema de aquisição de 
informações pode ser dividido em dois grandes 
subsistemas: 
• 1. Subsistema de Aquisição de Dados de Sensoriamento Remoto 
 Fonte de radiação; 
 Plataforma (satélite, aeronave); 
 Sensor; 
 Centro de dados (Estação de Recepção e Processamento) 
 
• 2. Subsistema de Produção de Informações 
 Sistema de aquisição de informações de solo para calibragem 
dos dados de Sensoriamento Remoto; 
 Sistema de Processamento de Imagens; 
 Sistema de Geoprocessamento 
Informação Qualificada 
Geoprocessamento 
Informação Primária 
Banco de 
dados 
Modelos 
Prof. Dr. Elvis Bergue Mariz Moreira 
elvis.moreira@ufob.edu.br