A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Emergência Animal

Pré-visualização | Página 1 de 4

EMERGÊNCIA ANIMAL 
PROF. SERGIO 
 
06/08/2018 
INTERPRETAÇÃO ELETROCARDIOGRÁFICA (ECG) 
 
● ​Representação gráfica de três características da atividade eletrocardiográfica: 
● Sentido 
● Força 
● Velocidade 
** é possível que mesmo com sentido, força e velocidade normais o coração não esteja batendo corretamente, porém 
sempre que houver alteração em sentido/força/velocidade há alteração muscular no coração 
Sentido 
= pra cima ou pra baixo 
● O ECG é sempre laudado no sentido D2 = eletrodo vermelho (alto do lado direito) —> 
eletrodo verde (baixo do lado esquerdo) === toda vez que a eletricidade descer ou for pra esquerda a onda é 
positiva (onde pra cima) / toda vez que a eletricidade subir ou for pra direita a onde é negativa (onde pra 
baixo) 
● Onde P = atividade no átrio 
❏ Quando a atividade vai do nó sinusal pro atrioventricular = onde positiva = batimento normal = ​onde P sempre 
vai pra cima (animal saudável) 
❏ Se a onde P estiver pra baixo = arritmia 
** Traço do final da linha P até o início do Q = demora do batimento entre o átrio e o ventrículo (nó atrio ventricular) 
** aumento da distância entre P —> Q = problema no nó atrio ventricular 
● Onda Q 
❏ Não necessariamente vai estar presente e tudo bem = característica anatômica 
● Onda R = descida da atividade elétrica no septo 
● Onda S = coração é curvo = esta descida mais acentuada é a atividade elétrica acompanhando a anatomia 
cardíaca 
❏ Muito evidente = coração mais arredondado (ex.: boxer) 
● S —-> início da onda T = batimento cardíaco = atividade mecânica (ausência de atividade elétrica) não 
aparece no ECG 
● Onda T = repolarização ventricular 
❏ Bomba de sódio-potássio (ATPase) faz os íons voltarem para os locais corretos = necessário glicose e 
oxigênio 
❏ ex.: problema na coronária = falta de oxigênio = falta de ATP = bomba de sódio e potássio insuficiente = 
alteração na onda T (ex.: infarto) 
 
** Onda P = despolarização atrial 
** Complexo QRS = despolarização ventricular 
** Onda T = repolarização ventricular 
Força 
= altura da onda 
● Ex.: onda P mais alta que o normal = sobrecarga no átrio = faz mais força do que deveria = átrio direito está 
grande demais 
● Ex 2.: onda R mais alta que o normal = sobrecarga no ventrículo = faz mais força do que deveria = ventrículo 
grande demais ou ejetando volume demais 
Tempo 
= largura da onda 
● Ex.: onda P mais larga que o normal = atividade elétrica no átrio está demorando demais (está lento) = átrio 
esquerdo esta grande 
** átrio esquerda é quem determina o tempo que a atividade elétrica acontece nos átrios 
 
*** no slide as bolinhas metálicas indicam a atividade elétrica 
 
Padronização do papel quadriculado para ECG 
● Configuração padrão para pequenos animais 
● Velocidade de 50 mm/s = velocidade em que o papel passa —> 1 quadradinho de largura = 0,02 s = 1 mm 
(gasta muito papel) 
● Padrão N = sensibilidade = altura —> 1 quadradinho de altura = 1 mm = 0,1 mV 
● Se rodar em 25 mm/s um quadradinho de largura vale 0,04s (grandes animais) 
● Grandes animais são bradicárdicos por natureza = a largura se torna praticável (em pequenos animais fica 
tudo muito junto) 
● Em animais que a amplitude muda muito (ex.: gatos) = alterar padrão para 2N ou 4N 
● Alterar padrão para ​2N​ ou 4N (ex.; gatos) para onda ficar maior 
** 2N —> 1 quadradinho de altura = 0,05 mV (to enxergando maior por isso é necessário diminuir o valor do mV = 
corrigir distorção feita na alteração do padrão N) 
● Alterar padrão para ​N/2​ ou N/4 (ex.: cocker) para onda ficar menor 
** N/2 —> 1 quadradinho de altura = 0,2 mV 
 
Ritmos cardíacos possíveis 
● Sinusal 
❏ Fisiologicamente é de onde tem origem o batimento 
❏ Pq? Principal mecanismo da frequências cardíaca é a Lei de Stalin = as células do nó sinsual são as mais 
sensíveis 
❏ Quando tem algum problema e as células do nó sinusal não funcionam adequadamente (ex.: acidose) ou 
quando há alguma célula super responsiva (comum em processos infecciosos - ex.: miocardites) a origem do 
batimento cardíaco ocorre em outro lugar do coração 
❏ Batimento cardíaco obrigatoriamente começa com a onda P virada pra cima 
❏ FC normal e não oscila = ​ritmo sinusal normal​ —> fisiológico 
❏ FC baixa e não oscila = ​bradicardia sinusal 
❏ FC alta e não oscila = ​taquicardia sinusal ​—> fisiológico (ex.: calor, estresse = normal o animal ficar 
taquicárdico) 
❏ FC oscila porém menos de 100% (diferença entre a maior frequência e a menor frequência é menor que o 
dobro) = ​arritmia sinusal​ —> fisiológico 
❏ FC oscila mais que 100% (diferença entre a maior frequência e a menor frequência é mais que o dobro) = 
sinus arrest​ (=parada sinusal) —> NÃO FISIOLÓGICO 
● Atrial —> SEMPRE TAQUICÁRDICO!! 
❏ Batimento tem origem em alguma célula do átrio 
❏ Batimento cardíaco obrigatoriamente começa com a onda P virada pra cima 
❏ Todo ritmo atrial é TAQUICÁRDICO 
❏ Taquicardia atrial​ = taquicardia sinusal + não fisiológico (ex.: animal dormindo e esta taquicárdico) 
❏ Flutter atrial​ = átrio nunca para (várias ondas P grudadas) —> processo degenerativo das células atriais 
❏ Fibrilação atrial = animal taquicárdico = grau máximo de frequência atrial = bate tão rápido que ele fica 
basicamente parado em pseudo contração (uma das causas de tromboembolismo) —> eletro não consegue 
registrar, fica um borrão no lugar da onda P 
● Juncional 
❏ Batimento tem origem 
● Ventricular 
❏ Batimento tem origem em alguma célula do ventrículo 
*** sempre associar o ritmo cardíaco com a frequência cardíaca 
Cálculo FC pelo ECG 
● A média não é muito boa porque ocorre desvios muito grandes da realidade —> ​calcular a máxima e a 
mínima = colocar no laudo FC de X à Y 
● 50 mm/s 
❏ FC = 3000/número de quadradinhos entre R-R 
● 25 mm/s 
❏ FC = 1500/número de quadradinhos entre R-R 
 
Eixo cardíaco ​= são as duas derivações centrais 
● Mede o equilíbrio entre o VD e o VE 
● Diz somente se o VD e o VE estão trabalhando de forma equilibrada e, não qual o problema de fato 
● Feito por soma de vetores = resulta onde há mais eletricidade (se há sobrecarga de um dos ventrículos) 
● Utiliza-se as 6 derivações —> as derivação são pontos de vista que o avaliador utiliza 
❏ DI = mão direita para a mão esquerda (vermelho —> amarelo) 
❏ DII = mão direita para o pé esquerdo (vermelho —> verde) 
❏ DIII = mão esquerda para o pé esquerdo 
❏ aVR 
❏ aVL 
❏ aVF 
—> Como fazer? 
1. Listar derivações e colocar os seus sinais (observando QRS —> pra cima positivo, pra baixo negativo): 
● DI 
● DII 
● DIII 
● aVR 
● aVL 
● AVF 
2. Riscar as derivações no sentido indicado pelos sinais 
3. Riscar as duas derivações da ponta direita e da ponta esquerda 
4. Colocar os ângulos 
—> Como interpretar? 
● Comparar com os valores de normalidade 
● Cão = entre 40o e 100o (na prática = 30o a 120o) 
● Se os valores estiverem deslocados para a direita = átrio direito está fazendo mais força que o esquerdo 
 
** triângulo para baixo = negativo 
** triângulo para cima = positivo 
!!!!! Não confundir com o sinal do ângulo !!!!! 
 
20/08/2018 
 
SINUSAL 
● Ritmo sinusal normal​ - FC normal e não oscila = fisiológico 
● Bradicardia sinusal​ - FC baixa e não oscila = fisiológico 
 
● Taquicardia sinusal​ - FC alta e não oscila = fisiológico (estresse, calor, etc) 
 
● Arritmia sinusal 
❏ FC oscila porém ​menos de 100% (a diferença entre