A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
APOL 5 - Política Externa Brasileira - Economia Política

Pré-visualização | Página 1 de 3

Questão 1/5 - Política Externa Brasileira
Leia o trecho a seguir: 
"Em seu governo (Presidente Lula), a integração regional assume papel fundamental e essencial para o fortalecimento da região frente ao cenário internacional na medida em que ela alia o multilateralismo e a opção sul-americana. E todas recaem em realizar uma política externa mais altiva e ativa. No campo econômico, o Mercosul e a Unasul propiciaram o aumento de competitividade e da rentabilidade dos investimentos na região, sobretudo no Brasil. Além disso, as negociações econômicas com grandes potências passaram a ser feitas em bloco, conferindo maior peso e representatividade para o bloco. No campo político, permitiu costurar convergências de posições e o estímulo da cooperação na participação dos custos político-econômicos e nas tomadas de decisões (JESUS & JACOMO, 2009, pg. 113)".
Fonte: JACOMO, Julio Cesar Pinguelli; OLIVEIRA, Ana Carolina Vieira de. Política externa de Lula e a dinâmica sul-americana: o caso da IIRSA. 3° Encontro Nacional ABRI. 201I. s/p, meio digital. Disponível em: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?pid=MSC0000000122011000100010&script=sci_arttext&tlng=pt>. 
Tendo como base a contextualização acima e os conteúdos da disciplina, assinale a alternativa que analise corretamente a política externa brasileira para a América do Sul nos governos Fernando Henrique Cardoso (1995-2003) e Lula (2003-2011).
Nota: 20.0
	
	A
	Os dois governos jamais tiveram como prioridade a integração com os países latino-americanos. FHC enfatizou os acordos e as alianças com os países europeus. Já no governo Lula, a política externa brasileira concentrou seus esforços apenas no Cone Sul.
	
	B
	Os esforços da gestão FHC para construir a integração econômica entre os nações europeias foram deixados de lado pela gestão Lula, uma vez que este concentrou-se apenas em promover uma aproximação com países africanos.
	
	C
	Nas gestões FHC e Lula buscou-se consolidar parcerias  com os países latino-americanos com o objetivo de retomar o crescimento econômico, promovendo a integração física e uma ação estratégica para reverter a marginalização da região.
Você acertou!
Como se lê no livro base da disciplina "No entorno regional, principal prioridade da agenda brasileira, ocorreram a reconstrução do Mercosul e o fortalecimento da integração sul-americana, criando-se assim um espaço para a liderança brasileira. Ofereceu-se aos vizinhos uma parceria para retomar o crescimento da economia, e a efetiva integração física e uma ação estratégica para reverter a marginalização da região. O conceito e a política externa para a América do Sul, que foi ganhando espaço estratégico no final do Governo Cardoso, foram aprofundados no Governo Lula. Este pode ser considerado um dos traços de continuidade mais marcantes entre os governos Cardoso e Lula. Fonte: SILVA, A. L. R.; RIDEGER, B. F. Política Externa Brasileira: uma introdução. Curitiba: Intersaberes, 2016, p. 207, CAPÍTULO 6, item 6.3
	
	D
	Tanto FHC quanto Lula pretendiam integrar as nações sul-americanas por meio da implementação do projeto da ALCA, defendido pelos EUA. No entanto, essa tentativa foi permanentemente rejeitada pelas nações sul-americanas.
	
	E
	Lula e FHC seguiram uma tendência histórica da política externa brasileira de não priorizar a integração com os do Cone Sul, dando preferência as relações com países da América Central. Essa postura se deve à rivalidade com a Argentina, que possui mais influência na América do Sul que o Brasil.
Questão 2/5 - Política Externa Brasileira
Leia o trecho a seguir: 
"Dentro desse aparato de parceiros e opções estratégicas, estão as alianças com os chamados "países do Sul", ou do Hemisfério Sul. Tal aproximação não se deu em detrimento do vínculo já existente com os parceiros mais tradicionais, como os Estados Unidos e a União Européia, mas foi mais do que a mera coordenação, já existente no governo anterior (ALMEIDA, 2004. p. 07; VIGEVANI & CEPALUNI, 2007. p. 296). A cooperação se fortaleceu, e instrumentos como o Fórum Índia, Brasil e África do Sul (IBAS), o G-20 comercial e econômico, a IIRSA ou os BRICS surgiram ou se intensificaram".
Fonte: JACOMO, Julio Cesar Pinguelli; OLIVEIRA, Ana Carolina Vieira de. Política externa de Lula e a dinâmica sul-americana: o caso da IIRSA. 3° Encontro Nacional ABRI. 201I. s/p, meio digital. Disponível em: <http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?pid=MSC0000000122011000100010&script=sci_arttext&tlng=pt>. 
Tendo como base a contextualização acima, e os conteúdos da disciplina, examine as assertivas abaixo sobre os BRICS, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Depois, assinale a alternativa que indique apenas as correta:
I – Os BRICS têm um caráter formal. O grupo possui um documento constitutivo, já formaram uma área de livre comércio e pretendem implantar uma moeda única até o final da década de 2020.
II – A inclusão da África do Sul no bloco, sinalizou a orientação a ser seguida pelos BRICS. A defesa da multipolaridade, contra o chamado unipolarismo norte-americano e a inclusão da África do Sul incentivou uma agenda voltada para os temas do desenvolvimento e da cooperação Sul-Sul.
III – Além das reuniões de cúpula que ocorrem periodicamente, os BRICS também desenvolveram uma articulação horizontal, incluindo diferentes temas de atuação em seu escopo. São exemplos de frentes de articulação dos BRICS as frentes econômica e securitária. 
IV – A primeira reunião de Cúpula do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) ocorreu em junho de 2009, na Rússia. A África do Sul foi incorporada na terceira reunião, que foi realizada na China.
Nota: 20.0
	
	A
	Apenas as assertivas II, III e IV estão corretas
Você acertou!
Apenas as assertivas II, III e IV estão corretas (i) a inclusão da África do Sul no bloco, sinalizou a orientação a ser seguida pelos BRICS. A defesa da multipolaridade, contra o chamado unipolarismo norte-americano e a inclusão da África do Sul incentivou uma agenda voltada para os temas do desenvolvimento e da cooperação Sul-Sul; (ii) além das reuniões de cúpula que ocorrem periodicamente, os BRICS também desenvolveram uma articulação horizontal, incluindo diferentes temas de atuação em seu escopo. São exemplos de frentes de articulação dos BRICS as frentes econômica e securitária; (iii) a primeira reunião de Cúpula do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) ocorreu em junho de 2009, na Rússia. A África do Sul foi incorporada na terceira reunião, que foi realizada na China.
Fonte: SILVA, A. L. R.; RIDEGER, B. F. Política Externa Brasileira: uma introdução. Curitiba: Intersaberes, 2016, p. 202-203, CAPÍTULO 6, adaptado.
	
	B
	Apenas as assertivas I e III estão corretas
	
	C
	Apenas as assertivas I, III e IV estão corretas
	
	D
	Apenas as assertivas II e IV estão corretas
	
	E
	Apenas as assertivas I, II e III estão corretas
Questão 3/5 - Economia Política
Leia o trecho abaixo:
"Ao discutir as origens de nossa época, Polanyi (1944) mostrou o efeito que o capitalismo é capaz de exercer sobre os indivíduos e a sua natureza humana. Sem intervenção, os seres humanos são transformados em meras engrenagens de um sistema movido pela lógica da acumulação de riqueza em sua forma mais geral e abstrata. Ao invés de emancipar os homens, aprisiona-os e submete-os a processos imprevisíveis como uma força que lhes é, ao mesmo tempo, estranha e irresistível. Eles são lançados em um contexto de enorme insegurança. Por isso a necessidade de mecanismos para proteger a sociedade" (Wolf e Oliveira, 2016). 
Wolf, Paulo José; Oliveira, Giuliano Contento de. Os Estados de Bem-Estar Social da Europa Ocidental: tipologias, evidências e vulnerabilidades. Economia e Sociedade, vol. 25, n. 3, Campinas, 2016. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-06182016000300661&script=sci_arttext.
Levando em conta a contextualização acima e os conteúdos trabalhados na Aula 6 sobre a crítica à visão clássica da sociedade de mercado,