A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
polpa Cítrica Peletizada

Pré-visualização | Página 1 de 2

POLPA CÍTRICA 
PELETIZADA
Instituto Federal Goiano- Câmpus Ceres
Acadêmico: Luis Gustavo Silva Rodrigues
PPG-PUAIZ
INTRODUÇÃO 
• O aproveitamento de resíduos agroindustriais na 
alimentação animal 
• Seu uso depende:
• Conhecimento sobre sua composição bromatológica
• Fatores limitantes
• Desempenho animal
• Custo e Disponibilidade durante o ano
• SEGURANÇA ALIMENTAR
POLPA CÍTRICA PELETIZADA
• É um subproduto da fabricação de suco concentrado pela indústria 
Citrícola;
• CONSTITUIÇÃO : por cascas, sementes, bagaço e frutas descartadas.
POLPA CÍTRICA PELETIZADA
• Processo de obtenção da polpa cítrica
• Para obtenção da polpa cítrica peletizada deve-se realizar a secagem
a cerca de 100-116ºC, para se obter 88-90% de MS possibilitando a
peletização.
• Para cada 100 kg de frutas frescas, se obtém 7,3 kg de polpa cítrica
sem melaço e cerca de 11,1 kg da polpa cítrica com melaço.
COMPOSIÇÃO BROMATOLÓGICA
• ALIMENTO essencialmente energético, tendo baixo teor de
proteína, e que possui características diferenciadas quanto à
fermentação ruminal, caracterizando-se como um produto
intermediário entre volumosos e concentrados.
• Geralmente, substitui o milho, tendo em tabelas de alimentos,
cerca de 85-90% do seu valor energético
(Pedroso & Carvalho,2006).
COMPOSIÇÃO BROMATOLÓGICA
• A composição bromatológica e a aceitabilidade:
• Dependem da variedade da laranja, da inclusão de
sementes e da retirada ou não de óleos essenciais.
• Alta digestibilidade da MS sendo superior até a do milho
laminado e por possuir características energéticas de
concentrado e fermentativas ruminais de volumoso
(CARVALHO, 1995)
COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA POLPA CÍTRICA 
PELETIZADA
FATORES LIMITANTES
• A polpa cítrica é higroscópica- DIFICULTA ARMAZENAMENTO
• Ideal: armazená-la sobre estrados, ensacada, com monitoramento 
constante da temperatura. 
• A granel: armazenar como possibilidade de mudanças p/ resfriar o
material. Risco de Combustão espontânea com perda de armazéns e
milhares de toneladas de produto
FATORES LIMITANTES
• PREOCUPAÇÃO dos pecuaristas : contaminação por micotoxinas. 
Entretanto Pedroso & Carvalho (2006):
A polpa cítrica não está entre os alimentos mais contaminados por aflatoxinas
na Europa; Sendo menos problemático do que os farelos de algodão, de 
amendoim de coco e do que o próprio grão de milho. 
Ainda alerta que análises de micotoxinas em polpa cítrica são problemáticas, 
pois o alimento apresenta substâncias naturais que interferem no resultado 
obtido, muitas vezes indicando um falso positivo.
FATORES LIMITANTES
• Pedroso & Carvalho (2006) 
Alto teor de cálcio e baixo teor de fósforo;
CALCIO: O alto teor de cálcio ocorre em função da adição de óxido ou 
hidróxido de cálcio no processo de secagem. Sua utilização pode resultar 
em excesso de cálcio, afetando absorção de microminerais, como o zinco 
e no desbalanço da relação cálcio: fósforo.
FATORES LIMITANTES
• A contaminação da polpa cítrica com pesticidas
• Depende de : Características químicas do composto e dose utilizada,
ocorrência de chuvas, tempo de aplicação do pesticida, tempo de
colheita e espécies de citrus cultivados.
• A presença de pesticidas- um risco para animais se não forem
respeitados os períodos de carência ou se o processamento não
obedecer às normas recomendadas para tempo e temperatura de
secagem
(Oliveira et al., 2004).
SILAGEM DO BAGAÇO DE LARANJA ADITIVADA COM 
POLPA CÍTRICA PELETIZADA
Avaliou-se o perfil fermentativo da ensilagem do bagaço de
laranja com três níveis de matéria seca (MS) usando a polpa cítrica
peletizada como aditivo absorvedor de umidade.
Autores: R. K. Grizotto, A. P. A. Bueno, A. F. Campos, G. R. Siqueira, R. T. Modesto, 2017. 
BAGAÇO DE LARANJA 
• Natural- problemas no armazenamento devido ao elevado teor de
água o que lhe confere alta perecibilidade.
• Produção > Demanda pelos pecuaristas p/ alimentação animal.
• Descarte deste material torna-se um grande problema para pequenas
e médias indústrias processadoras de suco de laranja que não
possuem tecnologia para a peletização.
BAGAÇO DE LARANJA
• Uma ALTERNATIVA para evitar tal descarte : A conservação na 
forma de silagem!
Pode garantir a utilização deste resíduo na alimentação de 
ruminantes;
Abrindo uma alternativa para o seu escoamento, evitando o 
descarte em aterros sanitários, que pode resultar em graves 
problemas de poluição ambiental. 
Silagem de Bagaço de Laranja
A Inclusão da Polpa Cítrica no 
Bagaço de Laranja 
• Tal iniciativa se deu para corrigir a silagem do bagaço de laranja na
forma ao natural, que baixo teor de matéria seca.
• MS- Cerca de 15%. (podendo ocasionar possível fermentação por
leveduras e Clostridium -> elevadas perdas de matéria seca devido a
maior produção de gases e efluentes.
• É um estudo recente
• Foi escolhido como - aditivo sequestrante de umidade baseando-se
na similaridade de composição química entre os materiais.
• Mesma matéria prima, aumentando a MS, sem alterar a composição
química da mistura.
• OBJETIVO DO ESTUDO: avaliar o perfil fermentativo, perdas de 
matéria seca e composição química das silagens do bagaço de laranja 
com três níveis de inclusão de polpa cítrica peletizada. 
A Inclusão da Polpa Cítrica no 
Bagaço de Laranja 
MATERIAL E MÉTODOS 
• Local: Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico dos 
Agronegócios da Alta Mogiana, Colina, SP, pertencente à Agência 
Paulista de Tecnologia dos Agronegócios. 
• Aproximadamente duas toneladas de bagaço de laranja foram 
transportadas a granel e ensiladas no dia seguinte. 
MATERIAL E MÉTODOS
• O experimento consistiu de 30 silos experimentais, sendo três
tratamentos (0%; 6% e 20%), cinco tempos de abertura (3; 7; 14; 28 e
56 dias de armazenamento) e duas repetições.
Tratamentos 
• 0%- silagem controle sem polpa cítrica peletizada
• 6%- 6 kg de polpa cítrica peletizada em 100 kg bagaço de laranja
• 20%- 20 kg polpa cítrica peletizada em 100 kg bagaço de laranja
NATERIAL E MÉTODOS
• Análise dos Dados:
• Perfil fermentativo e perdas de matéria seca
• Delineamento inteiramente casualizado
• Com medidas repetidas no tempo, sendo os níveis de inclusão de
polpa cítrica peletizada os tratamentos, e os tempos de
armazenagem o fator de repetição no tempo, com 2 repetições por
tempo e por tratamento.
MATERIAL E MÉTODOS
• Análise dos dados : 
• A composição química foi analisada em delineamento
inteiramente casualizado, com 3 tratamentos e 2
repetições.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
• A significância foi declarada quando P<0,05. 
• DENSIDADE
• Silagens contendo 6% e 20% de polpa cítrica peletizada apresentaram
910 kg/m3 de densidade aparente, significativamente menor (P=0,02)
que a silagem controle, que apresentou média de 982 kg/ m3.
• Inversamente com o teor de matéria seca (MS): quanto maior a MS do
material, menor a densidade (910 kg/m3), ao passo que a silagem com
menor teor de MS observou-se maior compactação (982 kg/m3).
RESULTADOS E DISCUSSÃO
• A significância foi declarada quando P<0,05. 
• CONCENTRAÇÃO DE MS
• A inclusão de polpa cítrica peletizada ao bagaço de laranja no
momento da ensilagem resultou em diferenças significativas (P<0,05)
nas concentrações de MS e matéria mineral com aumentos lineares à
medida que aumentou o nível do aditivo absorvente.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
• CONCENTRAÇÃO DE MS
• Os níveis de inclusão de 6% e 20% foram escolhidos com base no
cálculo do balanço de massa da mistura polpa cítrica peletizada e
bagaço de laranja de tal forma a atingir níveis de 20% e 30% de MS,
respectivamente.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
• CONCENTRAÇÃO DE MS
• Conforme McDonald et al. (1991) , a faixa ideal de concentração de
MS