CAFÉS MONTE BIANCO ELABORANDO PLANO FINANCEIRO
4 pág.

CAFÉS MONTE BIANCO ELABORANDO PLANO FINANCEIRO


DisciplinaContabilidade / Ciências Contábeis80.263 materiais526.286 seguidores
Pré-visualização1 página
2 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ 
MBA EM GESTÃO FINANCEIRA E CONTROLADORIA 
 
 
Cafés Monte Bianco: Elaborando um Plano Financeiro 
 
Nome do aluno (a): Rafaela Rodrigues 
 
 
 
Trabalho da disciplina Contabilidade 
 Tutor: Profª. Claudia Basilio 
 
Ourinhos/SP 
2019
2 
 
 
 
 
Cafés Monte Bianco: Elaborando um Plano Financeiro 
 
Referência: 
Simons Robert L., Cafés Monte Bianco: Elaborando um Plano Financeiro 
Harvard Business School, novembro 2000. 
 
Davila Antonio, Cafés Monte Bianco: Elaborando um Plano Financeiro Harvard 
Business School, novembro 2000. 
 
Disponível em: Permissions@hbsp.harvard.edu.or. Acesso em: Setembro 2013 
e Março 2014. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 
 
 
 
 
O artigo apresentado relata o caso da empresa Cafés Monte Bianco localizada em 
Milão, a empresa é uma grande produtora e distribuidora de café do tipo premium. 
Sua produção era vendida por toda a Europa e conhecida por ser um dos melhores 
café, a empresa foi instituída por Mario Salvetti no início do século, que por durante 
varias gerações permanece sobre o controle da família. 
Giacomo Salvetti o atual presidente e neto do fundador, buscava ao redor do mundo, 
visitando e conhecendo fazendas de cafés, para se aprimorar e aprender cada vez 
mais sobre os grãos de café e também buscando alternativas com os produtores de 
café. 
Para Giacomo buscava aumentar significativamente o tamanho do negócio herdado 
de seu percursor, dessa forma construindo novas instalações. 
Assim para que continuasse essa expansão dos negócios, Giacomo decidiu 
convocar uma reunião, onde o principal assunto era a produção de cafés com 
marcas próprias de supermercados italianos, uma produção que durante anos havia 
salvo a empresa ou decidir em focar na produção de café premium. 
Essa seria uma decisão que poderia afetar o futuro da empresa, dessa forma 
Giacomo esperava de sua equipe informações que levasse a melhor decisão. 
No ano de 2000, o principal fator que levou a empresa ao sucesso foi a produção de 
marcas próprias de cafés para duas redes de supermercados da Itália. 
A diretora de planejamento estratégico, prima de Giacomo alegou durante a reunião 
sobre a possível transição para produção apenas de cafés de marcas própria, com a 
justificativa que o café com marca própria já havia salvado a empresa uma vez, 
enquanto a produção de cafés premium por pouco se extinguiu. 
Uma segunda reunião foi aberta com a argumentação do gerente de Marketing 
Giovanni Calvaro, apresentando dados que comprovavam a diversidade do 
segmento premium versus a estabilidade das marcas próprias. Mas nenhum dos 
diretores analisou a saúde financeira da empresa na hipótese da produção de 
marcas próprias, tendo em vista que o prazo de pagamento dos clientes varejistas é 
mais longo. 
2 
 
 
 
Assim percebeu-se que seria inviável para a saúde financeira da empresa que sua 
produção fosse direcionada exclusivamente para marcas próprias. Analisando a 
relação entre custo e retorno, os grãos premium continuam sendo a melhor opção. 
A quantidade de vendas, preço e retorno são maiores se comparados a produção de 
marcas próprias, que exigem prazo para clientes não de 30, mas de 90 dias, sua 
volatilidade é menor, porém o preço e volume de vendas também, o que acaba por 
justificar a produção premium.