Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
gabarito 2

Pré-visualização | Página 1 de 3

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E 
PREVIDENCIÁRIA
2018
Prof.ª Gabriela Wolff
Prof.ª Ana Paula Tabosa dos Santos Sanches
Prof. Anderson de Miranda Gomes
GABARITO DAS 
AUTOATIVIDADES
2
LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA
UNIDADE 1
TÓPICO 1
1 Na fase histórica mundial, no período pré-industrial, surgiram as 
Corporações de Ofício, quando existiam três personagens. Quem 
são e quais eram suas funções?
R.: Mestres: proprietários das oficinas; companheiros: desenvolviam o trabalho 
dos mestres e recebiam salário; aprendizes: não recebiam salário, sua função 
era a de aprender o ofício.
2 A legislação trabalhista mundial registrou evoluções até a composição 
do Direito do Trabalho atual. Cite as legislações mais significativas 
elencadas.
R.: Lei do Ventre Livre, Lei Saraiva Cotegipe, Lei Áurea, Código Civil de 
1916, Organização Internacional do Trabalho, Constituições até a atual, 
Consolidação das Leis Trabalhistas – CLT.
3 As constituições brasileiras apresentaram considerações que faziam 
referência às relações de trabalho. Identifique estas constituições e 
as principais descrições enquanto conquistas para a organização do 
Direito do Trabalho.
R.: * Constituição de 1824: aboliu as corporações de ofício. * Constituição de 
1891: reconheceu a liberdade de associação. * Constituição de 1934: primeira 
Constituição Brasileira a tratar especificamente do Direito do Trabalho, com 
a garantia da liberdade sindical, isonomia salarial, salário mínimo, jornada de 
oito horas de trabalho, proteção do trabalho das mulheres e menores, repouso 
semanal, férias anuais remuneradas. * Constituição de 1937: marca uma 
fase intervencionista do Estado, de cunho eminentemente corporativista, foi 
instituído o sindicato único imposto por lei, vinculado ao Estado. Estabeleceu-
se a competência normativa dos tribunais do trabalho. A greve e o Lockout 
foram considerados recursos antissociais, nocivos ao trabalho e ao capital. 
* Constituição de 1946: considerada uma norma democrática, encontramos 
a participação dos trabalhadores nos lucros, repouso semanal remunerado, 
estabilidade, direito de greve. * Constituição de 1967: manteve os direitos 
estabelecidos nas Constituições anteriores. * Constituição de 1988: trata 
dos direitos trabalhistas nos arts. 7º ao 11º, em seu Capítulo II, Dos Direitos 
Sociais, do Título II, Dos Direitos e Garantias Fundamentais.
3
LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA
4 Qual é a importância e o objetivo principal dos princípios do Direito 
do Trabalho?
R.: Os princípios são considerados os alicerces do Direito do Trabalho. 
Compreendê-los é de suma importância para a aplicação de suas regras. 
Na iminência da ausência de norma trabalhista para o caso em concreto, o 
juízo fará uso do princípio como base para sua decisão.
5 Descreva os princípios do Direito do Trabalho.
R.: PRINCÍPIO DA PROTEÇÃO AO TRABALHADOR: in dubio pro operario: em 
caso de dúvida o aplicador da lei (juiz) deve sempre proteger o hipossuficiente, 
que é o empregado; condição mais benéfica: o empregado, ao longo de sua 
vida laboral, vai creditando vantagens que não podem ser retiradas pelo 
empregador. Norma mais favorável: havendo várias normas a serem aplicadas 
numa escala de hierarquia, sempre deve ser observada a mais favorável 
ao trabalhador. – PRINCÍPIO DA PRIMAZIA DA REALIDADE: este princípio 
decorre do princípio da proteção, aplica-se somente ao empregado, e tem por 
premissa que o valor está posto para os fatos e não para os documentos. A 
realidade é privilegiada, em detrimento do formalismo (contrato). – PRINCÍPIO 
DA CONTINUIDADE DA RELAÇÃO DO EMPREGO: existe uma presunção de 
que o contrato de trabalho seja por tempo indeterminado, cabe ao empregador 
provar que a relação de emprego terminou, porque se entende que não seria 
lógico um empregado encerrar com tal relação, pois é do trabalho que tira 
o sustento de sua família. – PRINCÍPIO DA IRRENUNCIABILIDADE OU 
INALTERABILIDADE CONTRATUAL IN PEJUS: este princípio também é 
conhecido como o Princípio da Indisponibilidade dos Direitos. A regra é de 
que o empregado não pode renunciar aos direitos adquiridos ao longo da 
vida laboral.
6 Diferencie o Direito Individual e o Direito Coletivo do Trabalho.
R.: O Direito Individual do Trabalho cuida dos interesses concretos do 
empregado e empregador. O Direito Coletivo do Trabalho se concentra em 
analisar as relações coletivas de trabalho que serão transformadas em regras 
coletivas de trabalho e, por conseguinte, serão aplicáveis aos contratos 
de trabalho. É um segmento do Direito do Trabalho que tratará das regras 
coletivas decorrentes dos contratos individuais de trabalho e dos oriundos 
dos sindicatos.
4
LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA
TÓPICO 2
1 Descreva como se estabelece uma Convenção Coletiva do Trabalho.
R.: Convenção Coletiva de Trabalho é o acordo de caráter normativo pelo 
qual dois ou mais sindicatos representativos de categorias econômicas e 
profissionais estipulam condições de trabalho aplicáveis, no âmbito das 
respectivas representações, às relações individuais de trabalho.
2 O dissídio coletivo pode ser econômico ou jurídico. Descreva a 
finalidade de cada um.
R.: Os dissídios de natureza econômica têm por objetivo criar regras, normas, 
condições de trabalho que regem os contratos individuais. Exemplificando: 
tratam das cláusulas que concedem reajuste salarial ou estabilidade provisória 
do emprego, entre outras.
Os dissídios de natureza jurídica têm por finalidade a interpretação ou 
aplicação de normas preexistentes, que incluem a interpretação da lei, dos 
acordos coletivos, das convenções coletivas e das sentenças normativas 
entre as chamadas típicas atividades jurisdicionais.
3 Quais são as fontes do direito do trabalho?
R.: Leis infraconstitucionais esparsas, portarias e decretos, normas 
coletivas, normas regulamentadoras, regulamento da empresa, normas 
regulamentadoras – NR, jurisprudência, usos e costumes.
TÓPICO 3
1 Assinale a alternativa CORRETA: 
São elementos constitutivos da definição de empregado:
a) (x) Pessoa física; serviço de natureza não eventual; subordinação; 
onerosidade; pessoalidade.
b) ( ) Empresa; subordinação; serviço não eventual; salário; pessoalidade.
c) ( ) Pessoa jurídica ou física; serviço não eventual; subordinação 
hierárquica e jurídica; salário; pessoalidade.
d) ( ) Pessoa física; subordinação; salário justo; serviço não eventual; 
pessoalidade.
5
LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA
TÓPICO 1
1 A jornada de trabalho é tema previsto no capítulo II da Consolidação 
das Leis Trabalhistas – CLT, do artigo 57 ao 75, que consiste no período 
diário e semanal em que o empregado permanece à disposição do 
empregador, seja aguardando ou executando ordens, conforme 
disposto no artigo 4º da CLT. Com base nessa afirmação, assinale (V) 
verdadeiro e (F) falso para algumas categorias que possuem jornada 
diferenciada constante de sua legislação especial.
(V) Advogados.
(F) Secretária.
(V) Aeronautas.
(F) Atendente comercial.
(V) Bancários.
(V) Jornalistas.
(V) Professores.
2 Quando falamos em horário de trabalho, automaticamente nos leva 
à confusão entre duração do trabalho e jornada de trabalho. Com 
base nessa informação, responda à alternativa CORRETA, que trata 
da jornada de trabalho.
(x) Tem um sentido mais restrito, compreendendo apenas o tempo em 
que o empregado está disponível ao empregador, em decorrência do 
seu contrato de trabalho. Ou seja, apenas naquele tempo delimitado, 
pré-acordado.
UNIDADE 2
2 Quais são as possibilidades legais de se contratar trabalhadores 
temporários?
R.: Para atender à necessidade transitória de: a) substituição de pessoal 
regular e permanente ou; b) acréscimo extraordinário de serviços na empresa 
tomadora.
3 Qual é a idade para que se possa ser aprendiz?
Página123