A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
144 pág.
INFECÇÕES VIRAIS

Pré-visualização | Página 1 de 9

INFECÇÕES VIRAIS 
Herpes-vírus Humano *** 
 
Vírus do Herpes Simples *** 
 
 Varicela (Catapora) 
 
 Herpes-zóster (Cobreiro) *** 
 
Mononucleose Infecciosa (Mono; Febre Glandular; “Doença do Beijo”) *** 
 
Citomegalovírus 
 
Enteroviroses 
 
Sarampo *** 
 
Rubéola (Sarampo Alemão) 
 
 Caxumba (Parotidite Epidêmica)*** 
 
Vírus da Imunodeficiência Humana e 
Síndrome da Imunodeficiência Adquirida *** 
HERPES-VÍRUS HUMANO 
• A família do Herpes-vírus Humano (HHV), Herpetoviridae tem 
grande quantidade de vírus DNA de cadeia dupla. 
 
 O mais conhecido é o Vírus do Herpes Simples (HSV), subtipos 
HSV do tipo 1 (HSV-1 ou HHV-1) e 
HSV do tipo 2 (HSV-2 ou HHV-2). 
 
 Outros HHV: Vírus da Varicela-zóster (VZV ou HHV-3), 
 Vírus Epstein-Barr (EBV ou HHV-4), 
 Citomegalovírus (CMV ou HHV-5) e 
tipos mais recentemente identificados, HHV-6, HHV-7 e HHV-8. 
• Humanos únicos reservatórios naturais para esses vírus. 
 
• Herpes deriva da palavra grega antiga que significa 
arrastar ou rastejar - infecção recorrente, latente e com 
poder de disseminação. 
 
• Os 8 tipos causam infecção primária e permanecem em 
latência no interior de células específicas por toda a vida 
do indivíduo. 
Reativação - infecções recorrentes (assintomáticas ou 
sintomáticas). 
 
Vias para a infecção - partículas virais na saliva ou secreções 
genitais. 
 
Pouco se sabe sobre os tipos de HHV 6, 7 e 8. O Herpes-vírus 
Humano 6 (HHV-6) e o 7 (HHV-7) estão intimamente 
relacionados. 
 
O Herpes-vírus Humano 8 (HHV-8) - patogênese do sarcoma de 
Kaposi (SK) (Herpes-vírus do Sarcoma de Kaposi (KSHV). 
 
 
HHV-8 - também associado a alguns tipos de linfomas. 
VÍRUS DO HERPES SIMPLES 
• Dois tipos de vírus semelhantes na estrutura e mecanismo de doença. Diferem 
antigenicamente pela localização anatômica de predileção e epidemiologia. 
 
• HSV-1 dissemina pela saliva ou lesões periorais ativas (regiões facial, oral e 
ocular). Faringe, mucosa oral, lábios, olhos e pele acima da cintura. 
 
• Infecção genital pelo HSV-1 é incomum (herpes genital causado pelo HSV-1 em 
países desenvolvidos têm sido frequentes). 
 
• HSV-2 regiões genitais, transmitido por contato sexual (genitália e pele 
abaixo da cintura). 
 
• Lesões orais e faríngeas causadas pelo HSV-2 também são possíveis, mas 
improváveis. 
• Infecção primária pelo HSV-1 – pacientes jovens, 
geralmente de forma assintomática e sem causar 
morbidade significativa. 
• Casos sintomáticos - incubação de 3 a 9 dias. 
• Estabelecida a infecção primária o vírus segue pelos 
nervos sensitivos e é transportado para os gânglios 
sensitivos associados ou, menos frequentemente, para 
os gânglios autonômicos, onde o vírus permanece em 
estado latente. 
• HSV-1 - gânglio trigêmeo (outras regiões o gânglio 
nodoso do nervo vago, gânglios da raiz dorsal e o 
cérebro). 
• O vírus utiliza os axônios dos neurônios sensitivos para 
se deslocar e atingir a pele ou mucosa periférica. 
• Condições recorrentes ou recrudescentes: idade 
avançada, luz ultravioleta, estresse físico ou emocional, 
fadiga, calor, frio, gestação, alergia, trauma, tratamento 
odontológico, doenças respiratórias, febre, ciclo 
menstrual, doenças sistêmicas e neoplasias malignas. 
 
• Recidivas sintomáticas são comuns e afetam o epitélio 
inervado pelo gânglio sensitivo. 
 
 
• Transmissão oral do HSV-1 assintomático em 
aproximadamente 6% da população. 
 
• Aglomerações e má higiene favorecem a exposição ao HSV-1. 
 
• Baixas condições socioeconômicas estão relacionadas à exposição precoce. 
 
• Países em desenvolvimento, mais de 50% da população é exposta aos cinco anos 
de idade, 95% aos 15 anos de idade e quase que a totalidade aos 30 anos de 
idade. 
 
• Grupos socioeconômicos mais elevados em países desenvolvidos- menos de 20% 
de exposição aos cinco anos de idade e somente 50% a 60% na vida adulta. 
 
• Baixa taxa de exposição na infância nos grupos privilegiados é sucedida por um 
segundo pico durante a vida universitária. 
 
• Casos sintomáticos - indivíduos expostos ao HSV-1 em idades 
precoces tendem a apresentar gengivoestomatite; aqueles com 
exposição inicial em uma faixa etária mais avançada em geral 
manifestam faringotonsilite. 
• Infecção pelo HSV-2 - uma das doenças 
sexualmente transmitidas mais comuns em todo o 
mundo. - herpes genital 
 
 
 
• Infectados pelo HSV-2 se privam de atividade sexual em 
presença de lesões ativas; 70% das infecções primárias 
são contraídas de indivíduos durante a liberação 
assintomática do vírus. 
 
 
• HSV associado a carcinomas espinocelulares orais, 
mas grande parte dessa evidência é circunstancial. 
 
• DNA do HSV tem sido extraído de tecidos de 
alguns tumores, mas não de outros. 
 
• HSV na carcinogênese mediante promoção de 
mutações (condição incerta). 
? 
Características Clínicas 
• Gengivoestomatite Herpética Aguda (herpes 
primário)- padrão mais comum de infecção primária sintomática 
pelo HSV e mais de 90% dos casos infecção pelo HSV-1. 
 
• Maioria dos casos de Gengivoestomatite Herpética Aguda entre 6 
meses e 5 anos de idade (pico de prevalência entre os 2 e 3 anos de 
idade. 
 
• Antes dos 6 meses de idade é raro devido à proteção pelos anticorpos 
anti-HSV maternos. 
 
• Aparecimento abrupto com linfadenopatia cervical anterior, calafrios, 
febre (39,4 a 40,5 °C), náusea, anorexia, irritabilidade e lesões orais 
dolorosas. 
 
• As manifestações variam de debilidade leve a grave. 
Mucosa afetada - diversas vesículas puntiformes (rompem 
rapidamente e formam várias pequenas lesões avermelhadas. 
Ulcerações adjacentes coalescem e foram lesões maiores rasas e 
irregulares. 
Mucosa oral móvel e aderida podem ser afetadas (nº de lesões 
altamente variável). 
Gengiva aumentada, dolorosa e eritematosa, erosões com aspecto de 
tecido arrancado por saca-bocado ao longo da gengiva marginal 
livre. 
Envolvimento da mucosa labial pode ultrapassar a linha úmida e 
incluir a borda adjacente da vermelhidão dos lábios com frequência. 
Autoinoculação - dedos, olhos e áreas genitais podem ocorrer. 
Casos brandos – resolução dentro de 5 a 7 dias; casos graves - persistir 
por 2 semanas. 
Complicações raras - Queratoconjuntivite, esofagite, pneumonia, 
meningite e encefalite . 
Gengivoestomatite Herpética Aguda. 
Ulcerações amareladas generalizadas nas 
mucosas. (Cortesia do Dr. David Johnsen.) 
Gengivoestomatite Herpética Aguda. 
Numerosas ulcerações amareladas, 
irregulares, coalescentes na superfície 
dorsal da língua 
Gengivoestomatite Herpética 
Aguda. Gengiva palatina 
eritematosa, dolorida e 
aumentada. 
Gengivoestomatite Herpética Aguda. 
Gengiva vestibular eritematosa, 
dolorida e aumentada. Observe as 
erosões da gengiva marginal livre. 
(Cortesia da Dra. Gina Liford.) 
• Infecções Recorrentes pelo Herpes Simples (Herpes 
Secundário, Herpes Recrudescente) - local da inoculação primária 
ou em áreas adjacentes da superfície epitelial suprida pelo gânglio envolvido. 
 
• Localização mais comum de recidiva do HSV-1 na borda do vermelhão e a pele 
adjacente aos lábios. – herpes labial (“lesões do frio” ou “vesículas da 
febre”). 
 
• Prevalência - 15% a 45% da população EUA apresentam herpes labial. 
 
• Luz ultravioleta ou traumatismo podem desencadear as recidivas. 
 
• Sinais e sintomas prodrômicos (dor, ardência, prurido, formigamento, calor 
localizado, eritema do epitélio envolvido) de 6 a 24 horas antes do 
desenvolvimento das lesões. 
 
•