Aula-02 Origem e Formação dos Solos
66 pág.

Aula-02 Origem e Formação dos Solos

Pré-visualização3 páginas
Aula 02:
Origem e Formação dos Solos
Professor: Gualberto Portela
Curso: Engenharia Civil
Disciplina: Mecânica dos Solos
Agosto - 2019
CENTRO UNIVERSITÁRIO 
MAURÍCIO DE NASSAU
Disciplina no Classroom - Google
\uf076Conceituação de Solo e de Rocha
A palavra solo está relacionada com a palavra
terra; pode ser definida como material solto,
natural da crosta terrestre, usado como material
de construção e de fundação de obras.
Uma definição abrangente do termo solo é
difícil; depende basicamente do ramo do
conhecimento que o emprega.
Origem e Formação dos Solos
\uf076Conceituação de Solo e de Rocha
\u21d2 Agronomia: material relativamente fofo da crosta terrestre,
composto por rochas decompostas e matéria orgânica, capaz de
sustentar a vida: horizontes de solo possuem pequena espessura.
\u21d2 Geologia: material inorgânico não consolidado e proveniente da
decomposição das rochas, que não foi transportado do seu local de
formação.
\u21d2 Engenharia: material granular composto de rocha decomposta,
água, ar e eventualmente matéria orgânica, que pode ser
escavado sem o auxílio de explosivos.
Origem e Formação dos Solos
\uf076Conceituação de Solo e de Rocha
Rocha: material que é impossível escavar
manualmente; que necessite de explosivo para
seu desmonte.
Todo solo tem origem na desintegração e
decomposição das rochas pela ação do
intemperismo.
Obs: o solo, geralmente, apresenta maior
índice de vazios do que a rocha mãe!
Origem e Formação dos Solos
\uf076 Intemperismo
As rochas que constituem a crosta terrestre estão em
equilíbrio. Mas, quando entram em contato com a
atmosfera ou ficam próximas desta situação, as rochas
sofrem a ação de um conjunto de processos físicos,
químicos, físico-químicos e biológicos, que produzem sua
destruição.
Portanto, intemperismo é o processo que transforma
rochas maciças e tenazes em materiais plásticos e friáveis
(solos). O intemperismo pode ser físico ou químico.
Origem e Formação dos Solos
O Grand Canyon e a passarela Skywalk.
Estalactites
\uf076 Intemperismo
Origem e Formação dos Solos
ETAPA 1 - A rocha mãe
surge à superfície da Terra.
Origem e Formação dos Solos
\uf076 A formação dos solos
É um processo lento, tem uma longa duração e
segue tradicionalmente as mesmas etapas.
ETAPA 2 - Os fatores externos,
como o vento, a água, a
temperatura e os seres vivos,
vão desgastando a rocha,
provocando a sua fragmentação
e alteração química.
Origem e Formação dos Solos
ETAPA 3 - Os restos de seres
vivos colonizam a rocha,
misturados com as partículas
resultantes da fragmentação
desta, originam um solo pouco
espesso - solo primitivo.
Origem e Formação dos Solos
ETAPA 4 - Depois surgem pequenas
plantas com raízes e aparecem
pequenos animais que facilitam a
desagregação da rocha e a
acumulação de restos de matéria
orgânica, tornando o solo mais
espesso e complexo.
Origem e Formação dos Solos
ETAPA 5 - Por último, começam a
desenvolver-se plantas e a surgirem
animais de maior porte. Os restos deste
organismo e os materiais resultantes da
sua decomposição vão enriquecendo o
solo, que acaba por ficar constituído
por diferentes camadas. Este solo é,
então, designado por solo maduro.
Origem e Formação dos Solos
Origem e Formação dos Solos
Origem e Formação dos Solos
Origem e Formação dos Solos
Origem e Formação dos Solos
SEDIMENTOS
ROCHAS SEDIMENTARES
SOLOS
INTEMPERISMOROCHA
MAGMÁTICA
O intemperismo pode ser provocado por dois tipos de agentes: 
- físicos ou mecânicos
- químicos
Origem e Formação dos Solos
Origem e Formação dos Solos
\uf071 É o processo de decomposição da rocha sem a alteração química dos
seus componentes.
Os principais agentes do intemperismo físico são:
- Variações de temperatura;
- Repuxo coloidal;
- Ciclos gelo/degelo; e
- Alívio de tensões.
\uf076 Intemperismo físico 
\uf076 Intemperismo Físico - Variação da Temperatura
Origem e Formação dos Solos
\uf0a7 Da física sabemos que todo material varia de volume em função de variações na sua
temperatura. Estas variações de temperatura ocorrem entre o dia e a noite, e durante
o ano, e sua intensidade será função do clima local.
\uf0a7 Acontece que uma rocha é formada de diferentes tipos de minerais, cada qual
possuindo uma constante de dilatação diferente, o que faz a rocha deformar de
maneira desigual em seu interior, provocando o aparecimento de tensões internas
que tendem a fratura-la.
\uf076 Intemperismo Físico- Variação da Temperatura
\uf071 Mesmo rochas com uma uniformidade de componentes, não tem uma
arrumação que permita uma expansão uniforme, pois grãos compridos
deformam mais na direção de sua maior dimensão, tendendo a gerar
tensões internas e auxiliar no seu processo de desagregação.
Origem e Formação dos Solos
\uf076 Intemperismo Físico- Variação da Temperatura
Origem e Formação dos Solos
\uf076 Intemperismo Físico- Repuxo Coloidal
Origem e Formação dos Solos
O repuxo coloidal é caracterizado pela retração da argila devido à diminuição de
umidade, o que em contato com a rocha pode gerar tensões capazes de fraturá-la.
\uf076 Intemperismo Físico - Ciclos Gelo/Degelo
Origem e Formação dos Solos
\uf071 As fraturas existentes nas rochas podem se encontrar parcialmente ou totalmente
preenchidas com água.
\uf071 Esta água em função das condições locais pode vir a congelar, expandindo-se e
exercendo esforços no sentido de abrir ainda mais as fraturas pré-existentes,
auxiliando no processo de intemperismo (a água aumenta em cerca de 8% o seu
volume devido à nova arrumação das suas moléculas durante a cristalização)
\uf071 Vale ressaltar também que a água transporta substâncias ativas quimicamente,
incluindo sais que ao reagirem com ácidos provocam cristalização com aumento de
volume.
\uf076 Intemperismo Físico - Ciclos Gelo/Degelo
Origem e Formação dos Solos
\uf076 Intemperismo Físico - Alívio de Tensões
Origem e Formação dos Solos
Alívio de tensões irá ocorrer em um maciço rochoso sempre que da retirada de material
sobre ou ao lado do maciço, provocando a sua expansão, o que por sua vez, irá contribuir
no fraturamento e formação de juntas nas rochas;
Estes processos, isolados ou combinados (caso mais comum) fraturam as rochas
continuamente, o que permite a entrada de agentes químicos e biológicos, cujos efeitos
aumentam a fraturação e tende reduzir a rocha a blocos cada vez menores.
\uf076 Intemperismo Químico
O intemperismo químico envolve alteração dos minerais da rocha
transformando-os em novos compostos. Os processos mais comuns que
ocorrem na ação do intemperismo químico, provocado pela água e
decomposição de organismos, são:
- hidrólise;
- hidratação;
- carbonatação.
Origem e Formação dos Solos
\uf076 Intemperismo Químico - Hidrólise
Origem e Formação dos Solos
Dentre os processos de decomposição química do intemperismo, a hidrólise é a que se
reveste de maior importância, porque é o mecanismo que leva à destruição dos
silicatos, que são os compostos químicos mais importantes da litosfera.
\u192Em resumo, os minerais na presença dos íons H+ liberados pela água são atacados,
reagindo com os mesmos.
\u192OH+ penetra nas estruturas cristalinas dos minerais desalojando os seus íons originais
(Ca++, K+, Na+, etc.), causando um desequilíbrio na estrutura cristalina do mineral e
levando-o a destruição.
\uf076 Intemperismo Químico - Hidrólise
Origem e Formação dos Solos
\uf076 Intemperismo Químico 
Origem e Formação dos Solos
\uf0d8 HIDRATAÇÃO
Como a própria palavra indica, é a entrada de moléculas de água na estrutura dos
minerais. Alguns minerais quando hidratados (feldspatos, por exemplo) sofrem
expansão, levando ao fraturamento da rocha.
\uf0d8 \u192CARBONATAÇÃO