Aviso Prévio
1 pág.

Aviso Prévio


DisciplinaDireito Administrativo I53.142 materiais979.201 seguidores
Pré-visualização1 página


Aviso prévio


Introdução

Inicialmente, iremos estudar o que seria o aviso prévio, quais as suas aplicações dentro do mercado de trabalho, direitos, garantias e como ocorre no mundo do trabalho.

Temos que o aviso prévio é caracterizado pelo período que é transcorrido após o desligamento de um determinado colaborador de certa empresa que não obteve a justa causa.

Esse tempo citado é bastante importante, seja para o empregador ou para o empregado, pois, tende a garantir para a empresa um determinado prazo para que ela se organize e consiga realizar a substituição do funcionário, assegurando a esse profissional um tempo hábil para que possa buscar uma outra vaga de trabalho ou de remuneração

Dessa forma, a Lei de úmero 12.506, de 2011, afirma que o aviso prévio visa apresentar determinadas especificidades que ocorrem variavelmente de acordo com o contexto do desligamento do colaborador, o qual pode ser feito pela empresa ou até mesmo pelo próprio funcionário.


O que seria o aviso prévio e como ocorre?



Pré-visualização de imagem de arquivo
Exemplo de aviso prévio do empregador

Ao analisarmos a Consolidação das Leis Trabalhistas, denominada de CLT, temos que ali estão garantidas, tanto ao empregador quanto ao empregado, o direito que se tem de se realizar a quebra de determinado contrato, sem que haja uma justa causa para tal.

Com isso, o desligamento do colaborador necessita ser informado à parte que possui interesse, com uma antecedência de, pelo menos, 30 dias, sendo denominada de aviso prévio. Logo, isso decorre do fato que tanto a empresa, quanto o profissional consigam ter tempo para que se preparem, seja a partir da substituição do funcionário ou, quando nos voltamos para o funcionário, na busca por uma nova oportunidade de trabalho.

A rescisão do contrato de trabalho, além da opção que se tem para ocorrer o desligamento do profissional, ocorre a partir do empregador, assim como pode ocorrer por parte do empregado. Logo, quando esse fato ocorre por parte da empresa, ela deverá escolher se o empregado irá cumprir todo o período trabalhando ou se irá dispensá-lo, de forma imediata, arcando, assim, com a multa.

Outrora, se o desligamento surgir por causa do colaborador, a partir de um pedido de demissão, esse, dependerá da empresa para saber se a mesma irá ou não cumprir o aviso prévio.


Tipos de aviso prévio

Quando tratamos de tipos existentes de aviso prévio, estamos nos referindo a três possibilidades para que ocorra o cumprimento do aviso, variando de acordo com a causa do desligamento e a opção da empresa empregadora.

Primeiramente, temos o aviso prévio trabalhado, o qual o empregado busca exercer suas funções dentro da empresa, de forma normal, ocorrendo dentro do período de aviso prévio, existindo algumas particularidades.

Quando o desligamento parte da empresa, esse profissional terá a opção de optar por realizar suas funções duas horas a menos todos os dias até que o fim do período seja alcançado ou poderá folgar 7 dias corridos durante o tempo do aviso. Porém, se for o colaborador que vier a pedir demissão, não poderá aplicar esse conceito, visto que ele deverá cumprir todo o período do aviso prévio de forma integral.

Já no aviso prévio indenizado, não ocorre a necessidade de trabalhar durante os dias que são referentes ao aviso, visto que essa decisão é tomada a partir de uma concepção exclusiva da empresa, podendo optar pelo não cumprimento do aviso em caso de demissão.

além desses, temos o aviso prévio que é cumprido em casa, em que, nesse caso, ele se difere dos outros dois citados anteriormente, visto que o aviso prévio cumprido em casa não seria uma situação em que está prevista na legislação, mesmo que ocorra com certa frequência. Logo, ela ocorre nos casos de acordo demissional, em que a empresa irá pedir ao empregado que o mesmo cumpra todo o seu período de aviso sem que compareça à empresa para prestar seus serviços.


Qual a duração do aviso prévio?



Pré-visualização de imagem de arquivo
Duração de aviso ajuda na busca de um novo funcionário e na busca por um novo emprego

Temos que a duração, mínima, de um aviso prévio é equivalente a 30 dias, porém, essa prazo estipulado poderá vim a aumentar de acordo com o tempo de duração que existe em relação ao vínculo empregatício, caso a demissão venha a partir da empregadora.

Por fim, desde 2011, vigora uma lei que determina que para cada um ano trabalhado na empresa, deve-se adicionar três dias no prazo do aviso prévio, em que o adicional não possa ultrapassar 60 dias, mas se o pedido de desligamento da empresa partir do colaborador, temos que o período de aviso prévio é fixo, sendo de apenas 30 dias.