A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Resumo aula 02 - Bariátrica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Cirurgia bariátrica 
Ser Point: O paciente emagrece, porém, continua com sintomas da obesidade, levando-o a 
comer mais e voltar ao reganho de peso 
Cirurgia bariátrica e metabólica: técnicas com respaldo científico destinadas ao tratamento da 
obesidade e doenças associadas ao excesso de gordura corporal agravada por ela 
Benefícios: ↓ : dor de cabeça, dislipidemia, síndrome metabólica, diabetes tipo 2... 
Critérios de inclusão: IMC acima de 40 independente da presença de comorbidades , de 30 a 
35 com a presença de comorbidades graves por um médico especialista na área da doença e 
constatação de intratabilidade clínica por um endocrinologista , Em relação a idade: entre 16 a 
18 anos com aprovação da família e da equipe multidisciplinar , acima de 65: avaliação 
individual pela equipe multidisciplinar considerando risco sirurgico, presença de comorbidades 
expectativa de vida e benefícios do emagrecimento. 
Critérios de exclusão: limitação intelectual em pacientes sem suporte familiar, transtorno 
psicológico não controlado, neoplasia não curada , nefropatia ou hepatopatia severa, 
enfermidades infecciosas, enfermidades digestivas inferentes, dependência de álcool/drogas 
Vias de realização: aberta ou videolaparoscopia 
Cirurgias restritivas: 
Banda gástrica ajustável: instalação de um anel de silicone inflável ajustável ao redor do 
estômago aperte mais ou menos o órgão, controlando o esvaziamento do mesmo. Segura e 
eficaz na redução do peso 
 
Gastroplastia vertical: estômago transformado em um tubo, com capacidade de 80 a 100ml 
ou é retirado 80% do original. Ajuda do no controle de comorbidades. Bypass tem mais 
resultado do que a banda gástrica ajustável 
 
Mistas Disabsortivas: 
Duodenal Switch: perds de 40 a 50% do peso inicial. Associação entre gastrectomia vertical e 
desvio intestinal. 83% do estômago é retirado, porém a anatomia básica do órgão e sua 
fisiologia de esvaziamento são mantidos. O desvio intestinal reduz a absorção de 
nutrientesevandk ao emagrecimento. 
 
Gastroplastia com desvio intestinal em Y de Roux (Bypass): 40 a 40% do peso é perdido. 
Grampeamento de parte do estômago que reduz o espaço para aumento (30ml) e um desvio 
do intestino inicial, que promove o aumento de hormônios que são saciedade e diminuem a 
fome. Controla as comorbidades 
 
Alteração na produção de hormônios 
 
 
 
Hipoglicemia hiperinsulinemica no pós-operatório tardio (BGYR): siper estímulo das células B 
(pancreas hiperativo) 
Dislipidemia: remissão das dislipidemias em um segmento de 10 anos Pós operatório, 
colesterol total LDL e TG -> diminuição em mais de 90% no PO, HDL-> nak determinado 
aumento significativo, diminuição da gordura viceral associado com a menor ingestão de 
lipídeos (restrição), devido intestinal (disabsorcao) e aumento da GIP (metabolismo de AG) 
 
Derivação duedeno jejunal: Bypass gástrico de pequena porção do intestino proximal (ID), 
preserva ou não piloto, não há perda de peso excessjva. 
 
 
Índice de adipossidade corporal: 
Ia = concunferencia do quadril/( altura x raiz.altura) – 18 
Homem: sobre: 22-27 Mulher: 35 a 40 sobre 
Relação cintura estatura: perímetro da cintura/ estatura 
Circunferência do pescoço: fator de risco para doenças cardio metabólicas 
Homem: 37cm e M 34 
Retorno do pós operatório: avaliar as mudanças realizadas pelo pscie te, avaliação 
antropométrica, consenso equipe e paciente, exposição da dieta e orientações nutricionais pós 
cirurgia bariátrica, declaração de recebimento de dieta, termo de conscientização dos riscos 
nutricionais, na cirurgia bariátrica, laudo nutricional, medicamentos em uso, semiologia , ATV 
física, registro fotográfico, questionários validados 
Pós, exames: hemoglobina, glicemia e lipemia, vitaminas e minerais, funções hepáticas 
Alimentação pós: Fase líquida: clara e coada, volume de 30 a 50mL em intervalos curtos de 
tempo (20 a 30min) 
Fase semilíquida: batida e coada, volume de 100mL a cada 1h 
Fase líquida: dieta clara e coada 
Fase pastosa: batida e em forma de creme 120ml fracionada a cada 2h 
Fase branda: volume de 120 a 150ml fracionada a cada 2h 
Considerações na Terapêutica Nutricional: 
 Digestibilidade dos alimentos 
Fracionamento - 8/dia 
Ingredientes – seleção 
Digestibilidade química 
Absorção dos nutrientes 
Excreção - análise constante 
CONDUTA PÓS-OPERATÓRIA 
•Avaliar % de PP e % PEP (porcentagem do excesso de peso perdido) 
•Reavaliação com 15d, 30d, 60d, 90d, 6 meses, 1 ano. 
•Manutenção a cada 6 meses, até completar 5 anos. 
Dieta: 
- 10 a 20 Kcal/Kg peso 
- 50 a 55% de CHO (BIG e BCG) 
- 20 a 35% de PTN 
- 15 a 20% de LIP 
Síndrome de Dumping 
Ocorre o esvaziamento rápido, culminando em um conjunto de sinais e sintomas que surgem 
logo após as refeições. Esses sintomas são desencadeados pelo consumo de sacarose, os 
carboidratos simples, nas refeições, mas que melhoram com o decúbito. 
 
Deficiências mais comuns de micronutrientes no pós operatório: Tiamina, cianocobalamina, 
ácido fólico, vitamina A, D, E,K, cálcio, cobre, ferro, zinco e selênio. 
Manejo nutricional adequado no reganho de peso: