Aids
26 pág.

Aids


DisciplinaEnfermagem24.456 materiais184.970 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Transmissão do HIV 
de mãe para filho cai 
36% nos últimos 
seis anos
Divulgação do novo 
Boletim Aids \u2013 2016
30-11-16
Panorama HIV/Aids 2015
Estimativa de 827 mil pessoas 
vivendo com HIV
Brasil próximo de alcançar as metas Unaids - em 2020:
90% diagnosticadas/90% em tratamento/90% carga viral suprimida
\u2022 Das 827 mil pessoas que vivem com HIV/aids no Brasil, 715 mil já foram diagnosticadas. 
\u2022 Dessas, 455 mil estão em tratamento. E das tratadas, 410 mil já estão com carga viral 
indetectável, ou seja, com boa qualidade de vida e com pouca chance de transmitir o vírus.
87%
64%
90%
83%
62%
88%
80%
48%
83%
80%
44%
75%
Diagnosticados Em TARV Com supressão viral
2015
2014
2013
2012
715 mil 
pessoas
455 mil 
pessoas
410 mil 
pessoas
Diagnosticados Em tratamento Redução carga viral
HIV/Aids: objetivo é identificar as pessoas que vivem 
com HIV e tratá-las para reduzir a transmissão do vírus 
Em 2015:
\uf0e0O Ministério da Saúde estima que 827 mil pessoas vivem com 
HIV/aids. Dessas:
\u2022 Cerca de 112 mil pessoas são pessoas vivendo com HIV e não 
sabem
\u2022 Das 827 mil pessoas que vivem com HIV/aids, 455 mil estão em 
tratamento e 372 mil ainda não estão em tratamento. Das 372 mil 
pessoas, 260 mil já sabem que estão infectadas
\uf0d8 Em 2015, o Ministério da Saúde investiu R$ 1,5 bilhão nas 
ações de prevenção, assistência e controle do HIV/Aids
Boletim HIV/Aids 2016
Transmissão do HIV de mãe para filho 
cai 36% nos últimos seis anos
2,1 2,2
2,4 2,4
2,6 2,7
3,9
3,4 3,4
3,1 2,8
2,5
2010 2011 2012 2013 2014 2015
HIV em Gestantes Menores de 5 anos
Taxa de detecção em menores de 5 anos/100 mil hab
Queda de 36% nos casos de HIV/aids em menores de 5 
anos indica diminuição na transmissão da mãe para o filho
\uf0e0Nos últimos 6 anos, redução de 36% nos casos de crianças menores de 5 anos
\uf0e0Ampliação da testagem no pré-natal e reforço na oferta de medicação para as
gestantes impactaram na queda da transmissão de HIV
Taxa de detecção em gestantes/1.000 nascidos vivos
Panorama dos casos de transmissão 
da mãe para o filho nos estados
8,1
5,4
5,0 5,0
4,1 4,1
3,63,63,6
3,1 3,1 2,8 2,8 2,52,5
2,1
1,71,7 1,7 1,6 1,6 1,41,3 1,1
0,50,4
0,0
Brasil = 2,5
RR RS RN RJ PA AP AL SC PE AM RO ES PR MS MA BA SE CE MG MT TO PB SP GO DF PI AC
Unidade da Federação
Taxa de detecção por 100 mil habitantes
FONTE: MS/SVS/Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais
NOTAS: (1) Casos de aids do Sinan e Siscel/Siclom até 30/06/2016 e do SIM de 2000 a 2015.
(2) Casos de HIV notificados no Sinan até 30/06/2016.
Novos casos: boletim mostra estabilidade na taxa 
de detecção de Aids
20,9
21,8
21,4
21,0
20,2
19,1
8.316
9.863
11.223
16.331
26.277
32.321
0
5.000
10.000
15.000
20.000
25.000
30.000
35.000
17,5
18,0
18,5
19,0
19,5
20,0
20,5
21,0
21,5
22,0
2010 2011 2012 2013 2014 2015
Aids HIV
Notificação 
Compulsória do HIV
\uf0fc 32.321 pessoas diagnosticadas com HIV em 2015
\uf0fc Aids é sintomática enquanto HIV assintomático
Queda de 42,3% na mortalidade em relação a 1995
Ampliação do diagnóstico e tratamento 
reduzem a mortalidade
\uf0d8 1995: 9,7 óbitos por 100 mil habitantes
\uf0d8 2015: 5,6 óbitos por 100 mil habitantes
Mudança no perfil de jovens de 20 a 24 anos 
que vivem com HIV/Aids
\uf0e0 Em 2006, para cada 1 caso em mulher, havia 1,2 casos em homem. Em 2015 essa 
razão é de 1 caso em mulher para cada 3 casos em homens. 
2,4
15,9
40,9
55,3
63,0 62,0
50,7
37,0
28,2
10,9
6,9
33,1
49,5
55,3
58,3
47,8
44,8 39,7
31,0
13,9
15 a 19 anos 20 a 24 anos 25 a 29 anos 30 a 34 anos 35 a 39 anos 40 a 44 anos 45 a 49 anos 50 a 54 anos 55 a 59 anos 60 e mais
2006 2015
3,6
13,5
30,3
37,0 34,7 34,3
29,8
21,7
15,7
5,64,1
11,1
16,0
22,6
27,0 24,7 22,7 21,0
16,1
7,0
15 a 19 anos 20 a 24 anos 25 a 29 anos 30 a 34 anos 35 a 39 anos 40 a 44 anos 45 a 49 anos 50 a 54 anos 55 a 59 anos 60 e mais
2006 2015
Taxa de detecção por 100 mil habitantes
Taxa de detecção por 100 mil habitantes
Homens
Mulheres
Queda da infecção em mulheres jovens
\uf0e0Detecção de HIV/Aids em mulheres de 25 a 29 anos computou maior 
queda. 
\uf0e0 Em 2005 eram 32, em 2015 eram 16 casos por 100 mil habitantes
3,4 3,6 3,8 4,5 4,6 4,0 4,6 4,5 4,8 4,4 4,1
15,4
13,5 14,6 14,6 14,7 13,2 14,1 13,8 12,8 12,4 11,1
32,0 30,3
26,7 27,9 25,4 24,1 24,0
22,2 21,4
19,3
16,0
2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015
Mulheres
15 a 19 anos
20 a 24 anos
25 a 29 anos
Taxa de detecção por 100 mil habitantes
Infecção cresce em todas as faixas no público masculino jovem 
\uf0e0Detecção de HIV/Aids em homens de 20 a 24 anos dobrou nos últimos 
dez anos. 
\uf0e0 Em 2005 eram 16,2 e em 2015, 33,1 casos por 100 mil habitantes.
2,2 2,4 2,9 3,7 3,4 3,9
4,3 5,4 6,2
7,2 6,9
16,2 15,9 15,2
18,1
20,1
22,5
25,6
28,8
31,1 31,2
33,1
41,4 40,9
37,9
40,7 40,8
44,5 44,9 44,7
49,3 49,7 49,5
2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015
Homens
15 a 19 anos
20 a 24 anos
25 a 29 anos
Taxa de detecção por 100 mil habitantes
Jovens de 18 a 24 anos ainda é grupo mais vulnerável
74%
82%
86%
88%
57%
65%
70% 72%
47%
57%
64%
67%
0%
10%
20%
30%
40%
50%
60%
70%
80%
90%
100%
18 a 24 anos 25 a 39 anos 40 a 49 anos 50 ou mais
% retidos dos vinculados % TARV dos vinculados % supressão viral dos vinculados
\uf0e0 O diagnóstico tardio é menor entre jovens de 18 a 24 anos
\uf0e0 Da estimativa de jovens com HIV, 74% buscaram algum serviço de saúde e apenas 57% 
estão em tratamento e 47% tiveram carga viral suprimida.
Estão no serviço de saúde Estão em tratamento Carga viral indetectável
Ampliação da assistência:
Brasil aumenta em 38%
o número de pessoas em tratamento
no período de 2013 a 2016
Atualmente, 489 mil pessoas estão em tratamento
Ampliação da assistência mantém posição de líder contra epidemia: 
tratamento para todos cresce 38% desde a implantação
(*) Até 31 de outubro de 2016.
38%
No período de 2005 a 2016, o país \u201ctriplicou\u201d o total de brasileiros em tratamento, passando de
165 mil para 489 mil (ampliação do diagnóstico e tratamento precoce)
Tratamento para todos
Prevenção Combinada: 
opções individualizadas para cada situação
\uf0d8 Adotada no Brasil em dezembro de 2013,
permite várias formas de prevenção, que 
podem ser combinadas ou utilizadas 
individualmente:
1. Testagem regular de HIV
2. Profilaxia pós-exposição (PEP)
3. Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)
4. Testagem no pré-natal
5. Redução de danos
6. Diagnóstico e tratamento das IST
7. Uso de preservativos
8. Tratamento antirretroviral para 
todas as pessoas
Distribuição de Teste Rápido de HIV. 
Brasil, 2012 a Nov/2016
Testagem regular do HIV: mais que dobrou nos últimos 4 anos
\uf0d8 Em 2015, foram distribuídos 8,5 milhões de testes rápidos. Em 2016, já foram mais de 6 
milhões
\uf0d8 Além da ampliação dos testes, também há uma distribuição crescente de preservativos: no 
último ano crescimento de 22% dos masculinos 552.500.000 em 2015 quase 10 vezes os
femininos, 22.310.800. Aumento de 3 vezes a distribuição de gel lubrificante, 35.270.600 em
2015
PEP sexual: aumento de quase três vezes na oferta da 
prevenção pós-exposição nos últimos anos
7.921 
18.644 
23.058 
2014 2015 2016*
* Até outubro
SUS oferta melhor tratamento do mundo 
com Dolutegravir
Dolutegravir substitui o atual \u201cefavirenz\u201d, para pacientes que iniciam 
terapia antirretroviral
Público-alvo: 100 mil pacientes devem iniciar esquemas 
antirretrovirais