PPR
35 pág.

PPR


DisciplinaReabilitação Oral I19 materiais64 seguidores
Pré-visualização1 página
PRÓTESE PARCIAL REMOVÍVEL (PPR)
ATLAS - TODESCAN
Capítulos 3 e 4
BIBLIOGRAFIA
DEFINIÇÃO
São aparelhos dentossuportados ou dentomucossuportados destinados a substituir em um ou ambos os maxilares um ou mais dentes ausentes, que pode ser removida da boca.
Todescan R. et al 2009.
CLASSIFICAÇÃO DE KENNEDY
Em 1923, Kennedy formulou uma classificação que distribui os arcos dentários parcialmente desdentados em quatro classes fundamentais.
A classificação de Kennedy é a mais utilizada em todo o mundo, tornando-se sinônimo da própria classificação; isto é, quando nos referirmos a uma determinada classificação sem citarmos o autor, estaremos nos referindo a Kennedy.
* Classe I : Desdentado posterior bilateral.
* Classe II: Desdentado posterior unilateral.
* Classe III: Desdentado intercalar.
* Classe IV: Desdentado anterior.
CLASSIFICAÇÃO DE KENNEDY
Classe I \u2013 Modificação 1
Classe I \u2013 Modificação 2
Classe I \u2013 Modificação 3
Classe I \u2013 Modificação 4
6
Classe II \u2013 Modificação 1
Classe II \u2013 Modificação 2
Classe II \u2013 Modificação 3
Classe II \u2013 Modificação 4
Classe III \u2013 Modificação 1
Classe III \u2013 Modificação 2
Classe III \u2013 Modificação 3
Classe III \u2013 Modificação 4
SISTEMAS PARA PPR
Sistemas de suporte ou de sustentação;
Sistema de retenção e estabilização;
Sistema de Conexão;
Sistema de selas e dentes artificiais.
SISTEMAS DE SUPORTE OU DE SUSTENTAÇÃO
Dentes remanescentes;
Tecidos periodontais;
Fibromucosa;
Tecido ósseo alveolar.
SISTEMA DE RETENÇÃO E ESTABILIZAÇÃO
Grampos e/ou encaixes;;
Apoios;
Barras ou conectores maiores.
SISTEMA DE CONEXÃO
É representado pelos elementos que unem os retentores (grampos ou encaixes) à sela ou a barra.
Estabelecem também união entre os apoios de estabilização ( elementos de retenção indireta) e a barra.
CLASSIFICAÇÃO DAS CONEXÕES
Conexões Rígidas
Conexões Elásticas
Conexões Articuladas
CONEXÕES RÍGIDAS
Correspondem aos conectores menores que estabelecem uma união direta entre o grampo e a sela ou a barra, podem ser consideradas como verdadeiras caudas do grampo.
CONEXÕES ELÁSTICAS
As conexões elásticas nasceu da observação de que o uso dos aparelhos removíveis dentomucossuportados resultava no estabelecimento de um sistema mecânico em desequilíbrio, devido à diferença de comportamento entre a fibromucosa e os dentes suportes, frente as cargas mastigatórias.
Concebeu-se então a idéia de mudar a extensão e o material do conector menor, de maneira a torná-lo flexível. Teoricamente tal conector flexível, além de aliviar o dente suporte da ação de torque exercida sobre ele, quando da solicitação pela sela, propiciaria também condições para uma distribuição equânime das cargas mastigatórias entre a fibromucosa e os dentes suporte.
CONEXÕES ARTICULADAS
As conexões Articulas são divididas em:
Conexões Articuladas Rígidas \u2013 São representadas pelos encaixes;
Conexões Articuladas Elásticas \u2013 São diminutas molas que permitem um certo grau de movimento entre o elemento macho do encaixe e o elemento fêmea.
Conexões Articuladas Charneira \u2013 Funcionam à maneira de uma dobradiça. 
SISTEMA DE SELAS E DENTES ARTIFICIAIS
SELAS (Bases) \u2013 É o elemento encarregado de fixar os dentes artificiais e efetuar a transferência das forças oclusais às estruturas bucais de suporte e também restabelecer a estética do paciente.
CONSTITUIÇÃO DA SELA (BASE)
A sela é constituída basicamente por dois materiais:
Metal \u2013 Constitui um arcabouço de elementos que se entrelaçam, com o aspecto das malhas de uma rede. Está forma característica da parte metálica tem por finalidade propiciar condições para a fixação da outra parte que será constituída de resina acrílica.
Plástico \u2013 Tem a função de fixar os dentes artificiais e atender aos requisitos estéticos com relação a volume, forma e cor da gengiva.
DENTES ARTIFICIAIS
Seleção \u2013 Aos dentes artificiais cumpri assumir, na boca do paciente, as funções antes reservadas aos naturais perdidos. Assim, deverão prioritariamente, ter o tamanho, a forma e a cor dos naturais, da maneira mais aproximada possível.
Montagem \u2013 Com relação a montagem dos dentes artificiais em uma prótese removível, será sempre necessário considerar duas situações, de acordo com o material que foram construídos esses dentes. Assim, pode-se ter dentes de resina acrílica e dentes de porcelana.
Dentes de Resina Acrílica \u2013 São mais facilmente moldáveis às limitações de espaço, podem ser desgastados por intermédio de borcas de aço, especialmente fabricadas de diversos tamanhos e formas, com a finalidade de serem adaptados aos componentes da armação metálica da prótese removível.
Dentes de Porcelana \u2013 A grande vantagem dos dentes de porcelana reside no fato de não sofrerem desgastes com o uso e nem com a escovação, conservam indefinidamente sua forma e cor.
DELINEADOR
Delineador
É um instrumento usado para determinar o paralelismo relativo de duas ou mais superfícies de dentes ou outras partes de um modelo de uma arcada dentária. 
PARTES DE UM DELINEADOR
ACESSÓRIOS
Dispositivo paralelisador;
Ponta analisadora;
Ponta grafite
Calibradores de retenção;
Facas e cinzéis.
FUNÇÕES
Análise preliminar do modelo de estudo;
Determinação da via ou eixo de inserção;
Registro do plano de inserção;
Adequação do contorno axial das coroas;
Construção de coroas-guias.
DETERMINAÇÃO DE VIA DE INSERÇÃO
Técnica dos três pontos ou Técnica de Roach;
Técnica das bissetrizes ou Técnica de Roth;
Técnica da Conveniência.
TÉCNICA DOS TRÊS PONTOS
Marcar três pontos no modelo Formar triângulo equilátero; 
Região posterior S ou I Mesial dos segundos molares;
Região anterior S Na altura dos cíngulos;
Região anterior I Incisal.
TÉCNICA DOS TRÊS PONTOS
TÉCNICA DA CONVENIÊNCIA
Apenas dentes anteriores ou inclinações excessivas dos dentes suportes;
Analisadas todas as áreas;
Reposicionamento do modelo;
Haste fixa no modelo.
TRAÇADO DA LINHA EQUATORIAL
Ponta de grafite;
Realizado pela parede lateral;
Maior circunferência do dente;
Linha anatômica x linha protética;
Zona expulsiva x zona retentiva.
TRAÇADO DA LINHA EQUATORIAL
COROA-GUIA
Planos-guia Face proximal, paralelos ao longo eixo do dente;