A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
617 pág.
2000 perguntas radiologia

Pré-visualização | Página 9 de 50

DEMONSTRAR 
NEFROPTOSE É:
(A) AP EM DECÚBITO DORSAL;
(B) AP EM ORTOSTÁTICA;
(C) OPE A 30º;
(D) OPD A 50º;
(E) AP EM DECÚBITO VENTRAL.
GABARITO:
221 – E 
222 – E
223 - B
224- PARA ESTUDO DA IDADE ÓSSEA PELA TABELA DE GREULICH E PYLE, A MELHOR INCIDÊNCIA A 
SER UTILIZADA E A REGIÃO A SER EXAMINADA SÃO, RESPECTIVAMENTE:
(A) OBLÍQUAS E COMPARATIVAS DA MÃO 
(B) AP DA MÃO E PERFIL DO PÉ
(C) PA, COMPARATIVA DAS MÃO E PUNHOS
(D) OBLÍQUA E COMPARATIVA DOS PÉS
(E) PERFIL DAS MÃOS E PÉS
225- UMA DAS INCIDÊNCIAS INDICADA PARA O ESTUDO DA ARTICULAÇÃO SACRO-ILÍACA É A DE:
(A) VAN ROSEN
(B) REVERCHON
(C) LAWRENCE
(D) FERGUNSON
(E) LOWENSTEIN
226- A INCIDÊNCIA QUE MOSTRA BEM A PNEUMATIZAÇÃO DAS MASTÓIDES É A DE:
(A) MAYER
(B) STENVERS
(C) SCHÜLLER
(D) GUILLEN
(E) TRANSORBITÁRIA
GABARITO:
224 – C 
225 – D
226 - C
227- AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA ESTUDO DOS SEIOS DA FACE SÃO:
(A) FRONTO-NASO E MENTO-NASO
(B) FRONTO-NASO E PERFIL
(C) FRONTO-NASO E BRETTON
(D) MENTO-NASO E OBLÍQUAS 
(E) MENTO-NASO E PERFIL
228- PARA O ESTUDO DA MANDÍBULA, A INCIDÊNCIA INDICADA É A DE:
(A) PERFIL
(B) CHAUSSÉ
(C) STENVERS
(D) BELLOT
(E) GUILLEN
229- NA RADIOGRAFIA SIMPLES DE ABDÔMEN EM AP, O RAIO CENTRAL DEVE INCIDIR:
(A) NA SÍNFISE PUBIANA
(B) NO MEIO DA LINHA QUE VAI DA SÍNFISE PUBIANA AO APÊNDICE XIFÓIDE
(C) NA CRISTA ILÍACA
(D) NO APÊNDICE XIFÓIDE
(E) NO HIPOCÔNDRIO DIREITO
GABARITO:
227 – A 
228 – D
229 - B
230- A INDICAÇÃO DA INCIDÊNCIA ÁPICO-LORDÓTICA (INCIDÊNCIA DE FLEISCHNER) É UTILIZADA 
PARA O ESTUDO:
(A) DA MANDÍBULA
(B) DO ATLAS
(C) DA QUINTA VÉRTEBRA CERVICAL
(D) DOS ARCOS COSTAIS DO 1/3 MÉDIO
(E) DOS ÁPICES-PULMONARES
231- O RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA EM PA DO POLEGAR INCIDE:
(A) NA PRIMEIRA ARTICULAÇÃO METATARSO-FALANGEANA
(B) NO MEIO DO ESPAÇO INTERFALANGEANO
(C) NA PRIMEIRA ARTICULAÇÃO METACARPO-FALANGEANA
(D) NO ESPAÇO MÉDIO ENTRE A TUBEROSIDADE UNGUEAL E A BASE DA FALANGE DISTAL 
(E) NO MEIO DO ESPAÇO INTERFALANGEANO DO 5º DEDO
232- AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA EXAME DA ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL, COM 
INDICAÇÃO DE BURSITE SÃO:
(A) PERFIL E OBLÍQUAS
(B) AP EM SUPINAÇÃO E AP EM PRONAÇÃO DO MEMBRO SUPERIOR
(C) PA E OBLÍQUAS
(D) AP COM RAIO INCLINADO 20º E PERFIL
(E) AP COM RAIO INCLINADO 20º E AP EM SUPINAÇÃO
GABARITO:
230 – E 
231 – B
232 - B
233- NAS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS DA MÃO, O ÂNGULO MÃO-FILME UTILIZADO É DE:
(A) 15º
(B) 25º
(C) 30º
(D) 45º
(E) 90º
234- A INCIDÊNCIA DE GAYNER-HART ESTÁ INDICADA PARA O ESTUDO:
(A) DO CANAL CARPEANO
(B) DA ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL
(C) DOS SEIOS DA FACE
(D) DA SELA TÚRCICA
(E) DA BASE DO CRÂNIO
235- NA INCIDÊNCIA DE GAYNER-HART, A ANGULAÇÃO MÉDIA DO RAIO CENTRAL UTILIZADA ESTÁ 
COMPREENDIDA ENTRE:
(A) 05º E 10º
(B) 10º E 20º
(C) 10º E 30º
(D) 15º E 20º
(E) 15º E 30º
GABARITO:
233 – D 
234 – A
235 - D
236- O EXAME MAIS INDICADO PARA PESQUISA DA ETIOLOGIA DE UM DESNÍVEL DE BACIA DE:
(A) INCIDÊNCIA DE VAN ROSEN
(B) INCIDÊNCIA DE FERGUSSON
(C) TÉCNICA DE FARRIL
(D) TÉCNICA DE MÜLLER
(E) INCIDÊNCIA DE STECHER
237- PARA O EXAME DAS CLAVÍCULAS, A ANGULAÇÃO E O LOCAL DE PENETRAÇÃO DO RAIO 
CENTRAL SÃO, RESPECTIVAMENTE:
(A) 20ºCEFÁLICOS, PENETRANDO NO APÊNDICE XIFÓIDE
(B) 20ºCEFÁLICOS, PENETRANDO NO MANÚBRIO ESTERNAL
(C) 30ºPODÁLICOS, PENETRANDO NO MANÚBRIO ESTERNAL
(D) 30ºPODÁLICOS, PENETRANDO NO APÊNDICE XIFÓIDE
(E) 90º COM RAIO CENTRAL NO MANÚBRIO ESTERNAL 
238- UMA TÉCNICA RADIOGRÁFICA, UTILIZANDO 12 mAs, 46 KV E DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1 
METRO É EMPREGADA NO ESTUDO:
(A) DA COLUNA LOMBAR EM AP
(B) DO CRÂNIO
(C) DA BACIA
(D) DA COLUNA DORSAL EM PERFIL
(E) DO CALCÂNEO (AXIAL)
GABARITO:
236 – C 
237 – B
238 - E
239- DEVE-SE APROVEITAR O FLOU CINÉTICO PARA O EXAME RADIOGRÁFICO:
(A) DA COLUNA CERVICAL E DORSAL
(B) DA COLUNA LOMBAR E SACRA
(C) DA ARTICULAÇÃO COXO-FEMURAL E JOELHO
(D) DA BACIA E COLUNA CERVICAL
(E) DO CRÂNIO E COLUNA CERVICAL
240- A MELHOR INCIDÊNCIA PARA ESTUDO DO BURACO ÓTICO É A DE:
(A) AP
(B) HIRTZ
(C) REVERCHON
(D) RHEESE DIREITA E ESQUERDA
(E) STENVERS
241- NAS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS PARA O EXAME DA PERNA, O ÂNGULO FORMADO DA PERNA 
COM O FILME RADIOGRÁFICO É DE:
(A) 30º
(B) 35º
(C) 45º
(D) 50º
(E) 90º
GABARITO:
239 – A 
240 – D
241 - C
242- AS INCIDÊNCIAS QUE DEVEM SER INCORPORADAS À ROTINA MÍNIMA DE TÓRAX PARA O 
ESTUDO DAS LESÕES PLEURAIS SÃO:
(A) OAD E OAE COM PACIENTE A 45º
(B) DECÚBITO LATERAL COM O RAIO HORIZONTAL E PERFIL
(C) AP E DECÚBITO DORSAL
(D) OAD E OAE COM PACIENTE A 30º
(E) AP E OAE COM PACIENTE A 45º
243- A ANGULAÇÃO PODÁLICA DO RAIO CENTRAL, CORRETA NA INCIDÊNCIA DE REVERCHON, É DE:
(A) 10º
(B) 15º
(C) 20º
(D) 35º
(E) 45º
244- EM UM RAIOS X DE TÓRAX, A TÉCNICA RADIOGRÁFICA MAIS INDICADA É:
(A) DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1 METRO
(B) BAIXO KV E ALTO mA
(C) ALTO KV E BAIXO mAs (TEMPO DE EXPOSIÇÃO CURTO)
(D) ALTO KV E ALTO mAs
(E) DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1 METRO E BAIXO mAs
GABARITO:
242 – B 
243 – D
244 - C
245- PARA EXAME DE TÓRAX DE UMA CRIANÇA CHORANDO, DEVE-SE:
(A) AUMENTAR A ESCALA DE mA PARA AUMENTAR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(B) AUMENTAR A ESCALA DE mA PARA REDUÇÃO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(C) AUMENTAR O KV
(D) DIMINUIR A DISTÂNCIA AMPOLA-PACIENTE
(E) SOLICITAR À ACOMPANHANTE QUE SEGURE FIRMEMENTE A CRIANÇA
246- A TÉCNICA RADIOLÓGICA MAIS INDICADA PARA REALIZAÇÃO DE UM RAIOS X DE TÓRAX DE 
PACIENTE ENFISEMATOSO É:
(A) AUMENTAR EM MÉDIA 10 KV
(B) AUMENTAR O mAs
(C) DIMINUIR A DISTÂNCIA FOCO-FILME
(D) AUMENTAR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(E) DIMINUIR EM MÉDIA 8 KV
247- AO SE RADIOGRAFAR PACIENTES IDOSOS, DEVIDO À OSTEOPOROSE, DEVEMOS TER O 
CUIDADO DE:
(A) AUMENTAR A DISTÂNCIA FOCO-FILME
(B) AUMENTAR CERCA DE 4 KV DA TÉCNICA HABITUAL 
(C) DIMINUIR O TEMPO DE EXPOSIÇÃO
(D) DIMINUIR CERCA DE 4 KV DA TÉCNICA HABITUAL
(E) DOBRAR O mAs
GABARITO:
245 – B 
246 – E
247 - D
248- INCIDÊNCIA AXIAL SIGNIFICA QUE O RAIO CENTRAL EM RELAÇÃO AO OBJETO, TEM O 
SEGUINTE TRAJETO:
(A) PENETRA PERPENDICULARMENTE AO MAIOR EIXO
(B) INCIDE PARALELAMENTE AO MAIOR EIXO
(C) TANGENCIA O MAIOR EIXO
(D) PERCORRE O MAIOR EIXO
(E) N.R.A.
249- NUM PACIENTE POLITRAUMATIZADO COM CONTUSÃO PARIETO-OCCIPITAL, AS INCIDÊNCIAS 
DE ROTINA, ALÉM DO PERFIL, SÃO:
(A) PA E REVERCHON
(B) AP E CALDWELL
(C) PA E BRETTON
(D) PA E HIRTZ
(E) N.R.A. 
250- A INCIDÊNCIA DE HJELM-LAURELL É FEITA COM O R.C. E O PACIENTE NAS SEGUINTES 
POSIÇÕES, RESPECTIVAMENTE:
(A) VERTICAL E PERFIL
(B) HORIZONTAL E LORDOSE
(C) VERTICAL E DECÚBITO DORSAL
(D) HORIZONTAL E DECÚBITO LATERAL
(E) N.R.A.
GABARITO:
248 – D 
249 – A
250 - D
251- PARA SE OBTER O MÁXIMO DE DETALHE DE UMA RADIOGRAFIA DE MÃO, DEVE-SE FAZER A 
INCIDÊNCIA SEM O ECRAN. PARA SE CONSEGUIR A RADIOGRAFIA, EM RELAÇÃO AO REGIME 
BÁSICO, DEVE-SE SOMAR 3KV E MULTIPLICAR O mAs POR:
(A) 10
(B) 20
(C) 30
(D) 40
(E) 50
252- ESCANOMETRIA É UM EXAME REALIZADO PARA A MENSURAÇÃO DE:
(A) MEMBROS INFERIORES
(B) DIÂMETROS DA PELVE
(C) LORDOSES LOMBARES
(D) CIFOESCOLIOSES
(E) PERIMETRO CRANIANO
253- NO ESTUDO RADIOLÓGICO DAS ARTICULAÇÕES SACRO - ILÍACAS, DEVEMOS REALIZAR AS 
INCIDÊNCIAS:
(A) OBLÍQUAS E LAWENSTEIN
(B) OBLÍQUAS E FERGUSON
(C) PERFIL E LAWENSTEIN
(D) PERFIL E FERGUSON
(E) FERGUSON E GAYNE HART
GABARITO:
251 – B 
252 – A
253 - B
254- DAS INCIDÊNCIAS ABAIXO, AQUELAS EM QUE SE USA COM VANTAGEM A PROPRIEDADE 
DIVERGENTE DOS RAIOS SÃO:
(A) PA DE OMOPLATA E AXIAL DE CALCÂNIO
(B)

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.