A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
76 pág.
Subestacao-Eletrica

Pré-visualização | Página 7 de 18

para religamento automático do disjuntor. 
 
Termômetro de topo de óleo: é um dispositivo térmico que atua quando 
a temperatura do óleo excede a um valor predeterminado. Ex.: 
Indicador de temperatura do óleo do transformador com contato. 
 
Relé de subtensão: atua quando sua tensão de entrada é menor que um 
valor predeterminado. 
 
Relé direcional de potência: atua com um valor determinado de fluxo 
de potência ou com a inversão de seu sentido. 
 
Relé de subcorrente ou de subpotência: atua quando a corrente ou a 
potência cai abaixo de um valor predeterminado. 
 
Relé térmico de transformador (imagem térmica): atua quando a 
temperatura do transformador exceder aos limites predeterminados. 
 
Relé de sobre-corrente de fase instantâneo: atua instantâneamente por 
valor excessivo de corrente ou de taxa de aumento de corrente. 
 
Relé temporizado de sobre-corrente de CA: atua quando sua corrente 
de entrada excede um valor predeterminado, e no qual a corrente de 
entrada e o tempo de operação são inversamente relacionados. 
 
Relé de sobre-corrente de neutro temporizado: atua como um relé de 
fase, porem a sua ligação é feita no neutro. 
 
Relé de tempo de parada ou de abertura: usado no circuito de proteção 
para falha na operação de desligamento do disjuntor. 
 28 
 
 
Relé de tempo de parada ou de abertura de barramento. 
 
 
Relé de sobre-pressão de líguido ou gás (relé buchhoolz); atua por um 
valor predeterminado, ou por uma taxa de variação de pressão. Tem 
aplicação restrita a transformadores. 
 
Relé direcional de sobrecorrente de CA: atua por um valor 
predeterminado de sobrecorrente de CA fluindo em um sentido 
predeterminado. 
 
Relé de bloqueio de abertura: inicia um sinal piloto para bloqueio de 
abertura por falta externas em uma linha de transmissão, ou em outros 
dispositivos sob condições predeterminadas (perda de sincronismo) . 
 
Chave de nível: atua por valores ou por taxas de variação de nível 
predeterminados. Indica o nível do óleo do transformador com 
contatos. 
 
 
Relé de controle seletivo ou de transferência automático: opera para 
selecionar automaticamente uma dentre várias fontes ou condições em 
um equipamento, ou realiza automaticamente uma operação de 
transferência. Ex.: relé de transferência de proteção. 
 
Relé de religamento de CA: controla o religamento e o bloqueio 
automático de um interruptor de circuitos de CA. 
 
Relé de recepção por onda portadora: cuja atuação liberada ou restrita 
por sinal usado com proteção contra falta, associado a onda portadora 
ou fio piloto de CC. 
 
Rele de bloqueio de fechamento: é um relé auxiliar, rearmado 
manualmente ou eletricamente, atuando no ocorrência de condiçoes 
anormais para manter equipamentos inoperantes até que seja rearmado. 
 
Relé de bloqueio de fechamento de transformador. 
 
Relé de bloqueio de fechamento que atua nos disjuntores ligados ao 
barramento. 
 
Relé diferencial: atua por diferença percentual de ângulo de fase, ou de 
outra característica de duas correntes ou de qualquer outra grandeza 
elétrica. 
 
Relé de abertura de disjuntor: atua para abrir um disjuntor, ou impedir 
o seu religamento automático, mesmo se o seu circuito de fechamento 
for mantido fechado. 
 
Relé detector de corrente: detecta o fluxo de corrente, geralmente 
utilizado para o sistema de proteção da falha de disjuntor, ou para 
supervisionar a atuação de relés de distâncias sobre o disjuntor. 
 
 
 
Para representar as ligações de relés dentro do esquema unifilar usaremos duas linhas, que 
representaram a alimentação e a atuação do rele´. A linha de alimentação traz ao relé a informação 
do circuito, e a linha de atuação indica onde o relé vai atuar depois de receber a informação. 
 
 29 
 Linha de alimentação. 
 
 
Linha de atuação. A seta indica o sentido de 
atuação do relé. 
 
 
 
 
- APLICAÇÕES DOS RELÉS DE PROTEÇÃO 
 
A seguir daremos algumas aplicações dentro do diagrama unifilar dos relés mais usados em 
subestações: 
 
 
1 - Aplicação dos relés de distância (121 de 1º zona e 221 de 2º zona), direcional de 
sobrecorrente (67), bloqueio de fechamento de barramento (86B), relé de tempo de parada ou de 
abertura (62X de secundário ou 62B de barramento), de controle seletivo ou de transferência (83T) e 
abertura do disjuntor (94). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 30 
2 - Aplicação dos relés temporizado de corrente de CA (51 para fase e 51N para neutro), 
detector de corrente (95). 
 
 
3 - Aplicação dos relés de recepção por onda portadora (85) e de bloqueio de abertura (68). 
 
 
 
 
 
 31 
4 - Aplicação do relé de religamento de CA. 
 
 
 
5 – Aplicação do relé diferencial de barramento 
 
 
 
 
 
 
 
 
 32 
6 – Aplicação de relés de proteção de transformador e relé diferencial e relé diferencial. 
 
 
 
Exercício 3: Confeccionar o diagrama de uma SE que deverá possuir os seguintes 
equipamentos: três pára-raios, chave de aterramento intertravada com chave seccionadora do 
disjuntor, disjuntor com três TCs (relação 300-5A) instalados nas suas buchas de entrada e saída, 
seccionadoras e baipasse. Após o disjuntor, temos os barramentos principal e transferência. Do 
barramento principal sai um circuito com seccionadoras, disjuntor com TCs (relação 300-5A) 
instalados nas suas buchas de entrada e saída e baipasse, um transformador de 20 MVA, com 
tensões de 69 kV e 13,8 kV, ligação estrela /triângulo. Na saída do secundário do transformador 
encontramos um TP de 13800V / 115V, protegido por chave fusível, cuja ligação é estrela-delta 
aberto, alimentando um relé de sub-tensão que atua sobre o disjuntor do primário do transformador. 
Após o TP, encontramos chaves seccionadoras, um religador automático e três pára-raios. Nas 
buchas de entrada e saída desse religador automático encontramos TC`s com relação 600-5A, sendo 
que os TCs de saáda são ligados a relés de sobre-corrente temporizado e instantâneo de fase. Estes 
relés atuam sobre o disjuntor do primário do transformador e sobre o religador automático. Na saida 
encontramos três pára-raios. O transformador possui proteção através de relé térmico de topo de 
óleo, relé térmico, relé buchholtz, chave de nível que atuam no relé de bloqueio do transformador 
que atua nos disjuntores de entrada e no religador automático. Esse relé através de uma chave de 
transferência também atua no disjuntor de transferência instalado entre os barramentos principal e de 
transferência. No transformador encontramos instalados um relé diferencial que atua no relé de 
bloqueio. Esse relé é alimentado pelos TCs de saída do disjuntor de entrada do transformador e 
pelos TCs de entrada do religador automático. Não esquecer que os TCs que não possuírem ligação 
devem ter o seu secundário curto circuitado. 
 
 33 
8 - SISTEMA DE COMUNICAÇÃO 
 
Hoje a comunicação entre as usinas e subestações se da por meio do cabo OPGW, que é um 
cabo de alumínio que tem dentro de si os pares de fibra óptica. Esse cabo está situado em cima das 
torres, substituindo o cabo guarda ou cabo pára-raio. 
Algumas subestações mais antigas utilizam-se do sistema de ondas portadoras de rádio 
freqüência (RF), o "carrier". Este sistema utiliza-se do próprio condutor da linha de transmissão, 
sendo indispensável linha própria.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.