A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
76 pág.
Subestacao-Eletrica

Pré-visualização | Página 8 de 18

Comunicação por meio de carrier instalado numa linha de 230 kV. 
 
 
Está corrente de "RF" é injetada na LT não se misturando com a corrente da AT, por terem 
tensões e freqüências diferentes. A tensão e a freqüência do carrier dependem de uma série de 
fatores, mas em geral são inferiores a 10V e da ordem de 100 kHz. Para separar a corrente de "RF" 
da corrente de baixa freqüência (60 Hz) da AT, lança-se das propriedades dos capacitores e das 
bobinas (sistema ressonante), que é calculado para bloquear a corrente de alta freqüência. Uma 
bobina de baixa indutância não oferecerá reatância considerável a uma corrente de 60 Hz, já em 
corrente de alta freqüência (100kHz) a reatância torna-se tão elevada que impede a passagem da 
corrente, veja a fórmula: XL = 2πfl. Para os capacitores, a propriedade é ao contrário pois : 
 
E quanto maior a freqüência menor será a reatância capacitiva. No sistema ressonante, a 
bobina instalada em paralelo com o capacitor, provoca a reatância indutiva sendo denominada de 
bobina de bloqueio. A associação destes vários elementos permite representar o "Carrier". 
 
 
 Símbolo Denominação 
 
 
 
 
 
Divisor de tensão-capacitivo. 
cf
XC
π2
1
=
 34 
 
 
 
 
 
 
Sistema ressonante. 
 
 
 
 
 
 
Conjunto de comunicação Carrier. 
 
 
 
 
Exercício 4: Confeccionar uma parte de um diagrama unifilar completo de um SE, que deverá 
conter os seguintes equipamentos: Três pára-raios, conjunto de comunicação carrier, chave de 
aterramento intertravada com a seccionadoradora do disjuntor, seccionadoras, disjuntor (52-01) e 
baipasse, ligados nos barramentos principal (BP) e de transferência (BT) de 230 kV. Interligando 
ambos os barramentos (BP e BT) temos um disjuntor de transferência (52-02). O disjuntor da 
entrada (52-01) e o disjuntor de transferência (52-02) dos barramentos BP e BT, possuem nas 
buchas de entrada e saída, dois TCs de bucha cuja relação de transformação de todos é 1200-5A. 
Antes da ligação do baipasse e no barramento principal temos TPs de três enrolamentos de 230000V 
- 115V para sincronismo/medição e proteção. 
Saindo dos barramentos BP e BT tem-se um circuito com seccionadoras, disjuntor(52-03) e 
baipasse, sendo que as buchas de entrada e saída do disjuntor(52-03) possuem dois TCs de bucha, 
sendo que a relação de transformação de todos é 1200-5A. 
A seguir tem-se três pára-raios, um transformador de força de três enrolamentos de 230 kV / 
138 kV / 13,8 kV, ligação estrela/estrela/triângulo. Esse transformador possui nos três enrolamentos 
TCs de bucha cuja relação de transformação são: 1200-5A no primário e secundário, e 3000-5A no 
terciário. A seguir tem-se três pára-raios, seccionadoras, disjuntor(52-04) e baipasse ligados nos 
barramentos BP e BT de 138 kV. Esses barramentos de 138 kV são interligados através de um 
disjuntor de transferência(52-05). 
Saindo desses barramentos tem-se um circuito com seccionadoras, disjuntor(52-06), baipasse, 
dois TCs de bucha do 52-06, sendo um na entrada e o outro na saída cuja relação de transformação é 
300-600-5A, TP de três enrolamentos de 138000V/115V para sincronismo/medição e proteção, 
conjunto de comunicação carrier e três pára-raios. No barramento principal de 138 kV, tem-se TPs 
de três enrolamentos de 138000V/115V para sincronismo/medição e proteção. 
Quanto a proteção e medição da subestação tem-se os primeiros TCs de bucha dos disjuntores 
52-01, 52-02 e 52-03 são interligados e alimentam o relé diferencial do barramento de 230 kV, que 
atua no relé de bloqueio desse barramento e que desliga todos os disjuntores ao barramento de 230 
 35 
kV(52 - 01,02 e 03). O segundo TC do disjuntor 52-01, alimenta através de uma chave comutadora 
amperimétrica(43A) um amperímetro(A), um wattímetro(W) e um varímetro(VAr). 
Nas buchas de saída desse disjuntor, o primeiro TC alimenta relés de distância de 1ª 
zona(21/1ª zona) e 2ª zona(21/2ª zona), relé direcional de sobre corrente de CA de neutro(67N) e 
relé detector de corrente(95). O relé 21/1ª zona atua nos relés de abertura do disjuntor(94) e relé de 
tempo do terciário(62Y). O relé 94 atua no disjuntor 52-01. O relé 62Y atua no relé de tempo(62B) 
no barramento de 230 kV e este vai ao relé de bloqueio do barramento(86B) que desliga todos os 
disjuntores de 230 kV. O relé 21/2ª zona atua no 21X e este usa a linha de atuação que vem do relé 
21/1ª zona que vai aos relés 94 e 62Y. O relé 67N também usa essa mesma linha de atuação para os 
relés 94 e 62Y. 
O segundo TC desse disjuntor alimenta os relés de distância (21P), relé de distância (21S), relé 
direcional de sobrecorrente de CA(67NT) e relé de bloqueio de abertura(68) por faltas externas em 
uma linha de transmissão. Os relé 21P, 21S e 67NT vão atuar num relé de recepção por onda 
portadora, e esse vai atuar num relé de tempo do secundário(62X) e no disjuntor 52-01, através da 
linha de atuação que sai do relé 94. O relé 62X usa a mesma linha de atuação que sai do relé 62Y e 
que atua no relé de tempo(62B) no barramento de 230 kV e depois no de bloqueio 86B. 
O segundo TC da entrada do disjuntor 52-03 não possui ligação, portanto a sua saída do seu 
secundário é curto-circuitada. O mesmo deve ser feito com o primeiro TC da saída desse disjuntor, 
pois não possui ligação. O segundo TC de saída desse disjuntor alimenta os relés: de sobrecorrente 
de fase temporizado(51), de sobrecorrente de fase instantâneo e temporizado de neutro(50/51N) e 
detector de corrente(95). Desse TC também saem alimentação para os seguintes medidores: 
amperímetro, wattímetro, varímetro e cosefímetro. 
O transformador possui proteção de relés de imagem térmica no primário, secundário e 
terciário(49H,X e Y) com chave de bloqueio de atuação do relé(49S), termômetro de topo de 
óleo(26), relé de sobre pressão de líquido ou gás(63T) e indicador de nível de óleo(71T), que atuam 
no relé de bloqueio do transformador(86T) e desse aos disjuntores 52-03, 52-04 e que através de 
chaves de transferências(83T), atuará nos disjuntores de transferências(52-02 e 52-05). 
Interligado através dos TCs de bucha do primário e secundário do transformador, tem-se um 
relé de proteção diferencial do transformador que atua no relé de bloqueio do transformador(86T). O 
TC do terciário da transformador alimenta o relé de sobrecorrente de fase temporizado(51), chave 
comutadora amperimérica e um amperímetro. O relé 51 atua no relé de bloqueio do 
transformador(86T). 
O primeiro TC da bucha de entrada do disjuntor 52-06, alimenta relés de distância de 1ª 
zona(21/1ª zona) e 2ª zona(21/2ª zona), relé direcional de sobre corrente de CA de neutro(67N) e 
relé detector de corrente(95). O relé 21/1ª zona atua no relé de abertura do disjuntor(94). O relé 94 
atua no disjuntor 52-06 e no relé 62B do barramento de 138 kV e desse ao relé de bloqueio do 
barramento(86B). O relé 94 atua através de chave de transferência, no disjuntor de transferência do 
barramento de 138 kV . O relé 21/2ª zona atua no 21X e este usa a linha de atuação que vem do relé 
21/1ª zona que vai ao relé 94. O relé 67N atua no relé 94. 
O relé de bloqueio desse barramento, desliga todos os disjuntores de 138 kV, inclusive o 
disjuntor de transferência(52-05). O segundo TC da saída do disjuntor, alimenta os seguintes 
instrumentos de medição: cosefímetro, chave comutadora amperimétrica, amperímetro, wattímetro e 
varímetro. 
 
 
9 - "LAY-OUT" DE SUBESTAÇÕES 
 
Antes de entrarmos especificamente no assunto da elaboração de "lay-out" vamos analizar 
alguns cuidados que devemos ter com a escolha dos terrenos para SE`s. 
 36 
 
- ESCOLHA DE TERRENOS 
 
Definido o tipo de SE, o diagrama unifilar (arranjo) e seus principais objetivos, o passo 
seguinte é a escolha do local mais adequado para

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.