A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
224 pág.
Metodologia do Ensino da Ginástica Escolar - livro

Pré-visualização | Página 9 de 46

(GUTS MUTHS, 1928, p. 12-13 apud QUITZAU, 2015, p. 113). 
Veja a seguir que a divisão dos jogos aqui exposta representa as duas 
classes de exercícios apresentadas por Guts Muths em seu manual de jogos. 
Dentro das duas classes há ainda outras subdivisões.
FIGURA 30 – EXERCÍCIOS PROPOSTOS POR GUTS 
Tabela 1 Elementos constituintes da ginástica de Guts Muths
Exercícios ginásticos Trabalhos manuais Jogosa
Saltar Carpintaria De movimento sentados ou 
de descanso
Correr Torneiro
Arremessar Jardinagem 
Lutar Encadernação
Escalar
Equilibrar
Levantar e carregar; exercícios 
para as costas; pular corda e arco
Banhar-se; nadar exercícios de 
enrijecimento
Leitura e declamação
Exercício dos sentidos
Fonte: Guts Muths (1928) e Guts Muths (1959).
a A divisão dos jogos aqui exposta representa as duas classes de exercícios apresentados por Guts 
Muths em seu manual de jogos. Dentro das duas classes há ainda outras subdivisões.
FONTE: Quitzau (2015)
Veja os vídeos nos links a seguir que mostram a ginástica alemã: 
<https://www.youtube.com/watch?v=00vhq4RjQIM>.
<https://www.youtube.com/watch?v=1iIwMdZecPo>.
DICAS
TÓPICO 2 | CONHECENDO A HISTÓRIA DA GINÁSTICA
39
FIGURA 31 – GINÁSTICA DE RODA ALEMÃ
FONTE: Disponível em: <http://3.bp.blogspot.com/_mIt4N029Eso/S8iIrAXojlI/
AAAAAAAAABw/3L6SvCjWy7w/s1600/NiceKnickers!.jpg>. Acesso em: 17 set. 2015.
FIGURA 32 – GINÁSTICA ALEMÃ
FONTE: Disponível em: <http://www2.brasilalemanha.com.br/1824_antes_arquivos/
image010.jpg>. Acesaso em: 17 set. 2015.
A Escola Alemã resultou na modalidade competitiva atual Ginástica 
Artística e “foi a base para a estruturação da “Ginástica Moderna”, que é a atual 
Ginástica Rítmica”. (FIORIN, 2002, p. 27 apud DODÔ e REIS, 2014).
UNIDADE 1 | RESGATANDO AS RELAÇÕES ENTRE EDUCAÇÃO FÍSICA E A GINÁSTICA
NO AMBIENTE ESCOLAR
40
A Escola Sueca foi idealizada por Pehr Henrick Ling (1776-1839) e possuía 
um caráter não acentuadamente militar, mas sim “pedagógico” e “social”, com a 
finalidade de extirpar os vícios da sociedade, em especial o alcoolismo, regenerar 
a população, gerando indivíduos fortes que pudessem ser úteis à pátria, como 
soldados ou trabalhadores civis (SOARES, 2004).
Levando em consideração os princípios estabelecidos dentro das ciências 
biológicas, Ling criou exercícios livres sem aparelhos, de execução fácil e estética, 
além de saltos no cavalo, cambalhotas, jogos ginásticos, patinação e esgrima. 
Tudo associado a cantos alegres e disciplina militar (RAMOS, 1982).
Uma sessão de exercícios livres era composta da seguinte forma (DODÔ 
e REIS, 2014):
1º - Exercícios de ordem.
2º - Exercícios de pernas ou movimentos preparatórios formando uma pequena série.
3º - Extensão da coluna vertebral.
4º - Suspensões simples e fáceis.
5º- Equilíbrio.
6º - Passo ginástico ou marcha.
7º - Movimentos dos músculos dorsais.
8º - Movimentos dos músculos abdominais.
9º - Movimentos laterais de tronco.
10º - Movimentos de pernas.
11º - Suspensões mais intensas que as do nº 4.
12º - Marchas ou movimentos de pernas, executados mais rapidamente que os 
outros para preparar saltos.
13º - Saltos.
14º - Movimentos de pernas.
15º - Movimentos respiratórios. 
FIGURA 33 – GINÁSTICA SUECA
FONTE: Disponível em: <http://ginasticasueca.zip.net/images/calistenia.jpg>.
Acesso em: 17 set. 2015.
TÓPICO 2 | CONHECENDO A HISTÓRIA DA GINÁSTICA
41
FIGURA 34 – GINÁSTICA SUECA
Fonte: Disponível em: <http://www.parkour.pt/site/artigos/parkour/_georges_
hebert/mn.jpg>. Acesso em: 17 set. 2015.
Veja os vídeos nos links a seguir que mostram a ginástica sueca.
<https://www.youtube.com/watch?v=dsNLap2jqfM>.
<https://www.youtube.com/watch?v=kg3Iu5zv_JM>.
DICAS
 “A extensão do movimento não ficou na Suécia, estendeu-se com 
entusiasmo por todo o mundo, principalmente aos demais países nórdicos 
– Dinamarca, Noruega e Finlândia” (RAMOS, 1982, p. 211). Na Dinamarca, o 
Método Sueco foi chamado de Ginástica Racional, por ser fundamentado e 
consciente de seu objetivo. 
Entretanto, foi considerado inapto para as necessidades e interesses da 
juventude dinamarquesa, por ser composto por posições rígidas. Surge, então, 
a Ginástica Básica Dinamarquesa, idealizada por Niels Bukh, uma Ginástica de 
Movimento. Assim como Ling, Bukh preocupou-se muito com a postura. Os 
exercícios deveriam ser diferentes para homens e mulheres e voltados para a 
correção de defeitos posturais oriundos do trabalho (DODÔ e REIS, 2014). 
 
Seguindo os métodos de Ling, a escola dinamarquesa difundiu a ginástica 
na escola e a prática pela população, porém aos poucos foi criando um novo 
método, pois não estavam satisfeitos com a sistematização dos exercícios. Para 
os dinamarqueses, o instrutor de ginástica não deveria somente sistematizar os 
exercícios e sim conduzir um trabalho de forma que o aluno fosse consciente 
UNIDADE 1 | RESGATANDO AS RELAÇÕES ENTRE EDUCAÇÃO FÍSICA E A GINÁSTICA
NO AMBIENTE ESCOLAR
42
do objetivo da atividade. A ginástica dinamarquesa valorizava os movimentos 
naturais e sua utilização como instrumento educativo (STANQUEVISCH, 2004).
Alguns exercícios propostos por Bukh (DODÔ e REIS, 2014):
1º - extensão lateral das pernas em posição acocorada nas pontas dos pés, com as 
mãos apoiadas no solo.
2º - separação e extensão das pernas em posição acocorada nas pontas dos pés, 
apoiando as mãos no solo.
3º - flexão unilateral lenta e profunda dos joelhos, em posição vertical com as 
pernas abertas e em colaboração com um companheiro.
4º - torsão do tronco com movimento unilateral de braço para fora em posição 
vertical com o tronco inclinado para a frente, as pernas abertas e os braços 
flexionados horizontalmente à altura dos ombros.
Também inspirada na Ginástica Sueca de Ling, temos a Calistenia, que é 
uma série de exercícios ginásticos localizados, com fins corretivos, fisiológicos 
e pedagógicos, que pode integrar perfeitamente qualquer sistema ginástico. 
Objetivando melhorar a forma física da população, foi introduzida nas escolas 
americanas em 1860 por Dio Lewis. Os exercícios calistênicos foram divididos em 
oito grupos: de braços e pernas; para a região póstero-superior do tronco (parte 
superior da espádua); para a região póstero-inferior do tronco (parte inferior da 
espádua); para a região lateral do tronco (laterais); de equilíbrio; gerais de ombros 
e espáduas (Wood) ou gerais de espáduas e ombros (Skartrom); Saltos e corridas 
(Skarstrom) ou sufocantes (Wood) (DODÔ e REIS, 2014). 
FIGURA 35 – GINÁSTICA DINAMARQUESA
FONTE: Disponível em: <http://s.glbimg.com/po/tt/f/original/2012/08/01/imagem17.
jpg>.Acesso em: 17 set. 2015. 
TÓPICO 2 | CONHECENDO A HISTÓRIA DA GINÁSTICA
43
FIGURA 36 – GINÁSTICA DINAMARQUESA
FONTE: Disponível em: <http://gazetaweb.globo.com/Fotos/Noticias/030810acrobacias.
jpg>.Acesso em: 17 set. 2015.
Veja os vídeos através dos links a seguir que mostram a ginástica dinamarquesa. 
<https://www.youtube.com/watch?v=2Ggw4LBd-gs>.
<https://www.youtube.com/watch?v=rIF-fHdt2oQ>.
DICAS
A Escola Francesa teve como principais representantes o Método Francês 
desenvolvido por D. Francisco de Amoros e Ondeaño (1770-1848), George Demeny 
(1850-1917) e o Método Natural pensado por Hébert (1875-1957) (RAMOS, 1982). 
A contribuição de Amoros, um militar que dá início a um trabalho de 
ginástica com o objetivo de educação moral dos seus alunos, tinha como ideia 
principal afastar a prática por entretenimento e buscar fundamentá-la em 
exercícios severos, rigorosos e de exigências acrobáticas (STANQUEVISCH, 2004).
Demeny, discordando do método sueco de Ling, propôs exercícios 
ginásticos completos, arredondados e contínuos (RAMOS, 1982). Voltou-se para 
a saúde da mulher, combatendo hábitos elegantes, tais como cintas, salto alto, 
porta-seios; condenava os meios de sustentação artificiais (DODÔ

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.