Aula 8 - Glomerulopatias TBL

Aula 8 - Glomerulopatias TBL

Pré-visualização1 página
TBL Glomerulopatias \u2013 10/09/2019
I: BCDCCBBCDA
G: BCACBBBCBA
C: BCACBBCCXA
Em relação a glomerulopatias primárias: a sd nefrotica pode ser a apresentação inicial podendo estar associada a sd nefrítica. 
No exame comum de urina: nas glomerulonefrites primárias temos niveis variáveis de proteina dependendo do grau de alteração na barreira de filtração podocitária. 
Glomerulonefrite pós infecciosa: lesão glomerular resulta de deposição antígeno-anticorpo Ag-Ac. A pós infecciosa sempre tem complemento consumido (C3, via alternativa porque não diminui C4 como no lúpus que é pela via clássica). Subendotelial tem hematúria e muita ativação do sistema complemento. 
Pcte com proteinuria, idoso, perda de peso e diarreia: sempre realizar exames para afastar causas secundárias de sd nefrotico como doenças auto-imunes, virais e neoplásicas. 
Glomerulonefrite membranosa cursa com sd nefrotico e por vezes esta associada a neoplasia e doenças virais.
Nefropatia por IgA é a mais frequente em adulto, sendo comum em países asiáticos e frequentemente apresenta-se com hematúria microscópica assintomática. IgA tem que fazer bx (assim como tem que fazer em todas glomerulopatias, só não em criança sem marcadores e pós infecciosa).
A doença MEMBRANOSA apresenta-se geralmente com sd nefrótica podendo pacientes terem complicações trombóticas (trombose veia renal, por exemplo) devido a proteinúria maciça. Isso leva a perda de fatores antitrombóticos. 
Sd Vasculíticas: a presença de anticorpos contra citoplasma de leucócitos (ANCA) é característico da poliangeite microscópica e Gralunomatose de Wegener. Ativação e deposição dos imunocomplexos Ag-Ac nos tecidos (menos circulante). Pode levar a sd pulmão rim com alto risco de mortalidade. Sempre que houver ANCA pensamos na poliangeite microscópica e G Wegener.
Nefropatia do HIV: A forma de apresentação mais frequente é de síndrome nefrótico e perda de função renal, sendo o achado histológico de glomeruloesclerose Segmentar e Focal (GESF) do tipo colapsante, o mais frequente. 
Lesão mínima e GESF: A sd nefrótica é a apresentação comum a ambas as doenças, no ententanto, a faixa etária da GLM é predominante de crianças enquanto a GESF é doença predominante no adulto jovem. 
Revisando
Quando pensar em glomerulopatia: 
	-Clínica: edema, HAS, Urina Escura (hematúria) e Uremia. 
	-Laboratório: proteinúria, hematúria, cilindrúria, queda da TFG e retenção de sódio. 
Inicialmente pedimos urina 1 \u2192 proteinúria, hematúria, cilindrúria. Creatinina para estimar TFG. 
Confirmado: Quantificar proteinuria. Hematuria ( US para afastar neoplasias e nefrolitiase). Hematuria dismorfica com cilindros \u2192 direciona para o glomérulo.
Primárias: 
GESF e GLM podem ser faces da mesma doença, estando a GLM presente quando criança e evoluido depois para GESF.
IgA (Berger): maior causa de glomerulopatia. Maior prevalência e incidência na Ásia. 
Purpura Henoch-schoenlein
** não faze bx em sd nefrotica pura em criança e não fazer bx em sd nefrítica pós strepto
GN MEMBRANOSA quase sempre é nefrótica e com muita perda de proteínas. Comum em neoplasia, hep C, HIV, esquistossomose. Ocorre perda de fatores antitrombóticos. Comumente secundária a outra doença. Lesão dos espaços provocam a proteinúria acentuada.
GN MEMBRANOPROLIFERATIVA: muita hematúria e muito complemento consumido (C3). Proliferação gera irritação do glomérulo. Muito associada a Hep C. 
As glomerulopatias rapidamente progressivas (crescentes) podem ser oriundas de todas. 
Secundárias:
Doenças metabólicas e autoimunes. Infecções (hepatite e HIV). Vasculites. Neoplasias recentes. Drogas (mais comum é AINE que dá um GLM).
LES
GN pós infecciosa
GN Mieloma multiplo/macroglobulinemia walderstpom/ amiloidose
GN HIV