A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
HISTÓRIA DOS POVOS INDÍGENAS E AFRO-DESCENDENTES

Pré-visualização | Página 1 de 2

HISTÓRIA DOS POVOS INDÍGENAS E AFRO-DESCENDENTES 
Aluno(a): GLEISON BARBOSA LIMA 201703334582 
Acertos: 9,0 de 10,0 10/10/2019 
 
 
1a Questão (Ref.:201703555591) Acerto: 1,0 / 1,0 
"Não se pode contar nem compreender a multidão de bárbaro gentio que a natureza 
semeou por toda esta terra do Brasil. (...) Deus permitiu que fossem contrários uns dos 
outros, e que houvesse entre eles grandes ódios e discórdias, porque se assim não fosse 
os portugueses não poderiam viver na terra nem seria possível conquistar tanta gente. 
Quando os portugueses começaram a povoar a terra, havia muitos deste índios pela 
costa junto das Capitanias. Porque os índios se levantaram contra os portugueses, os 
governadores e capitães os destruíram pouco a pouco, e mataram muitos deles. Outros 
fugiram para o sertão, e assim ficou a costa despovoada de gentio ao longo das 
capitanias." (Pero de Magalhães Gandavo. "Tratado da Terra do Brasil". São Paulo: 
Obelisco, 1964) O relato de Gandavo sobre os índios e as suas relações com os 
portugueses no Brasil é do século XVI. Sobre essas relações é correto afirmar que I. os 
portugueses e os índios praticaram genocídio, uns em relação aos outros; II. a empresa 
colonizadora portuguesa teve, também, um caráter militar; III. os índios resistiram ao 
domínio português; IV. os índios não defenderam as suas terras situadas no litoral. 
Estão corretas: 
 
 
 
III e IV, somente. 
 
I e IV, somente. 
 
II e III, somente. 
 
I, II, III e IV. 
 
I, II e IV, somente. 
Respondido em 10/10/2019 11:38:50 
 
 
Gabarito 
Coment. 
 
 
 
 
 
 
2a Questão (Ref.:201706350933) Acerto: 1,0 / 1,0 
As missões eram povoados indígenas criados e administrados por padres jesuítas no 
Brasil Colônia, entre os séculos XVI e XVIII. Para que adotasse a fé cristã, a 
população indígena tinha de ser instruída e ganhava conhecimentos de leitura e escrita. 
Além disso, os índios reunidos nesses aldeamentos não eram escravizados, embora 
trabalhassem de forma sistemática. Eles viviam do cultivo da terra, se valendo de 
técnicas agrícolas ensinadas pelos religiosos. 
A descrição acima apresenta algumas características dos aldeamentos (também 
conhecidos como missões ou reduções). A principal função deste aldeamentos era: 
 
 
 
promover a integração entre indígenas e portugueses. 
 
promover a incorporação da população indígena ao trabalho na lavoura. 
 
promover a catequização da população indígena. 
 
promover a incorporação da população indígena ao trabalho nas minas. 
 
promover a escravização da população indígena. 
 
3a Questão (Ref.:201703555604) Acerto: 1,0 / 1,0 
Durante o período colonial, o Estado português deu suporte legal a guerras contra povos 
indígenas do Brasil, sob diversas alegações; derivou daí a guerra justa, que 
fundamentou: 
 
 
 
a escravização dos índios, pois, desde a antigüidade, reconhecia-se o direito de 
matar o prisioneiro de guerra, ou escravizá-lo. 
 
o extermínio dos povos indígenas do sertão quando, no século XVII, a lavoura 
açucareira aí penetrou depois de ter ocupado todas as áreas litorâneas. 
 
o genocídio dos povos indígenas, que era, no fundo, a verdadeira intenção da 
Igreja, do Estado e dos colonizadores. 
 
a criação dos aldeamentos pelos jesuítas em toda a colônia, protegendo os 
indígenas dos portugueses. 
 
uma espécie de "limpeza étnica", como se diz hoje em dia, para garantir o 
predomínio do homem branco na colônia. 
 
 
4a Questão (Ref.:201704009436) Acerto: 1,0 / 1,0 
A escravidão indígena adotada no início da colonização do Brasil foi progressivamente 
abandonada e substituída pela africana entre outros motivos, devido: 
 
 
 
ao desejo manifestado pelos negros de emigrarem para o Brasil em busca de 
trabalho. 
 
ao constante empenho do papado na defesa dos índios contra os colonos. 
 
à bem-sucedida campanha dos jesuítas em favor dos índios. 
 
aos grandes lucros proporcionados pelo tráfico negreiro aos capitais 
particulares e à Coroa. 
 
à completa incapacidade dos índios para o trabalho. 
 
 
5a Questão (Ref.:201703467184) Acerto: 1,0 / 1,0 
Sobre as características da sociedade escravista colonial da América portuguesa estão 
corretas as afirmações abaixo, À EXCEÇÃO de uma. Indique-a. 
 
 
 
Nas cidades coloniais da América portuguesa, escravos e escravas trabalharam 
vendendo mercadorias como doces, legumes e frutas, sendo conhecidos como 
¿escravos de ganho¿. 
 
Em algumas regiões da América portuguesa, os senhores permitiram que alguns 
de seus escravos pudessem realizar uma lavoura de subsistência dentro dos 
latifúndios agroexportadores, o que os historiadores denominam de ¿brecha 
camponesa¿. 
 
O início do processo de colonização na América portuguesa foi marcado pela 
utilização dos índios denominados ´´negros da terra´´ como mão-de-obra. 
 
A partir do século XVI, com a introdução da mão-de-obra escrava africana, a 
escravidão indígena acabou por completo em todas as regiões da América 
portuguesa. 
 
Na América portuguesa, ocorreu o predomínio da utilização da mão-de-obra 
escrava africana seja em áreas ligadas à agro-exportação, como o nordeste 
açucareiro a partir do final do século XVI, seja na região mineradora a partir do 
século XVIII. 
Respondido em 10/10/2019 11:25:59 
 
 
6a Questão (Ref.:201706308238) Acerto: 0,0 / 1,0 
Após a longa travessia, quando finalmente desembarcavam nos portos da América 
portuguesa, a situação de boa parte dos africanos era péssima. Aqueles que tinham 
conseguido aguentar a viagem passavam por um breve exame médico e eram 
rapidamente vendidos. Os africanos mais fragilizados, principalmente aqueles que 
haviam contraído escorbuto, passavam por um processo de quarentena em galpões 
localizados na região portuária. 
Nesses locais eles recebiam uma alimentação especial para recuperar suas forças o mais 
rápido possível. Assim que estivessem mais fortes, eram levados para os mercados 
onde seriam comprados. A partir de então, o destino desses africanos estava atrelado a 
de seu senhor e, em muitos casos, eles tinham que continuar a viagem, só que agora 
pelo interior do Brasil. Entretanto,muitos negros não sobreviviam, pois: 
 
 
 
Os negros buscavam sua aoforria. 
 
os negros casavam entre si no período conhecido como quarentena, iniciando 
suas famílias. 
 
Muitos deles era preferível morrer a trabalhar como escravo, pois acreditavam 
que a morte significava o retorno à sua terra natal, junto a seus ancestrais. 
 
Os negros se rebelavam e fugiam formando os quilombos e movimentos de 
resistencia com luta armada. 
 
Os negros acreditavam que retornariam para seu habitat na África resisitindo, 
então, ao que viria posteriormente, a escravidão. 
 
 
7a Questão (Ref.:201703498314) Acerto: 1,0 / 1,0 
A Igreja Católica era uma das instituições mais importantes da colônia brasileira. Sobre 
a sua relação com os negros podemos lembrar que: 
 
 
 
Os africanos recém-chegados eram batizados e recebiam um nome cristão que 
deveria levar até sua morte 
 
Os africanos, por não terem alma, não passaram até o século XIX pelo crivo da 
Igreja Católica. 
 
Os africanos antes de serem vendidos eram encaminhados para Igreja, fazendo 
sua catequese e depois seguiam para venda. 
 
Os africanos eram organizados por regiões de proveniência. Seguidores do Islão 
eram exorcizados em praça pública, e os animistas recebiam o catecismo. 
 
Os africanos eram convertidos a força, em cerimônias de casamento públicas e 
sendo vendidos sempre em par.