A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
AD2 didática

Pré-visualização | Página 1 de 2

SEGUNDA AVALIAÇÃO A DISTÂNCIA – AD2 – 2019.1 
DISCIPLINA: DIDÁTICA 
Coordenação: CLAUDIA MIRANDA 
Professoras Tutoras a Distância: Greice Bolgar e Heidi Rocha 
 
Caro(a) aluno(a) 
 Você está recebendo a Segunda Avaliação a Distância (AD2). Esta prova deve ser entregue no prazo abaixo indicado. 
 A prova em questão abordará as Aulas de 13 a 20. Esta avaliação pretende levá-lo a estabelecer uma relação com o viver, o ler e o escrever. Dessa forma, é fundamental a atenção na leitura, bem como no enunciado, de forma a não se distanciar do que está sendo solicitado na hora de responder a questão. 
A resposta deverá ser entregue via Plataforma até às 23h55min do dia 20/04/2019. 
Orientações para a elaboração e envio da prova: 
Você deverá entrar na Sala Virtual da disciplina Didática na plataforma. 
Entrar no Tópico “AD2”. 
Aparecerá a página com a AD2 da disciplina. Clique no link – AD2 – Didática. Abrirá uma página com as questões da avaliação. 
Para respondê-las deverá clicar em “Adicionar Atividade”, que se encontra no final da página. 
Em seguida aparecerão novamente as questões da AD2 e, logo abaixo, um pequeno editor de texto (“Texto online”) para que você possa colocar suas respostas. Sugerimos que faça suas respostas no editor de textos do seu computador (Microsoft Word, Br Office e etc) e só depois quando estiver com suas respostas finalizadas é que deve “colar” essas respostas no editor da ferramenta. 
Logo após escrever suas respostas no "texto online", você deverá clicar no link “Salvar Mudanças” e “Enviar Atividade”. 
Ao fazer esse procedimento, aparecerá uma tela com as questões da prova e, logo abaixo, o “Status de Envio”. Nesse status, aparecerá a informação que sua avaliação foi enviada para a avaliação, inclusive constando a data e a hora da última modificação: ou seja, a data e a hora do momento em que você enviou com sucesso sua AD2. 
Lembre-se, esses passos são obrigatórios para o envio de sua AD2. 
 
Atenção: Estamos disponibilizando, em anexo, um Tutorial com o passo a passo para o envio de sua AD através da plataforma. 
 
Qualquer dúvida, por favor, entre em contato através da sala de tutoria. 
Equipe de Didática – UNIRIO 
 
 
Questão 1 (2,0 pts): 
Pensando na importância dos objetivos educacionais na prática docente, leia a Aula 14, Livro “Didática” (Capítulo 6 – páginas 119 a 126) de José Carlos Libâneo e elabore um Resumo apresentando as principais ideias do autor acerca do tema. 
Observação: A Aula 19 do nosso material Didático Impresso, traz o seguinte conceito de Resumo: “Transformação do texto original em um texto menor, mantendo as ideias principais e os detalhes importantes” (p. 73). 
Sendo assim, para elaborar seu Resumo, siga as orientações da Aula 19 (página 73). 
No texto o autor destaca os objetivos educacionais estão relacionados às reivindicações da sociedade para com as práticas de ensino e também refletem as alternativas político-pedagógica do agente de educativo. Os objetivos educacionais costumam expressar propósitos definidos e explícitos quanto a evolução das qualidades humanas e possuem três referências para a sua formulação: ideias e valores, conteúdos básicos das ciências e necessidades, e expectativa da formação cultural do discente. Essas referências estão relacionadas, portanto não podem ser consideradas de forma isolada, além disto estão expostas a contradições. 
Para que o docente elabore os objetivos é necessário uma avaliação crítica das referências que utiliza, pois quanto mais o docente se percebe como um agente inserido na prática social mais ele será capaz de fazer a ligação do conteúdo que ensina com a sua relevância social.
Dentro do trabalho docente, os objetivos educacionais são exigências indispensáveis e exigem do docente um posicionamento ativo na sua explicitação. 
Os objetivos educacionais possuem dois níveis: os objetivos gerais e os objetivos específicos. Os objetivos gerais expressam um propósito amplo acerca do papel da escola e do ensino, diante da exigência da realidade social e personalidade em desenvolvimento do aluno. O primeiro objetivo geral pelo sistema escolar é o de colocar a educação no conjunto das lutas pela democratização da sociedade a educação escolar pode contribuir para a compreensão da realidade social. O segundo objetivo é o de garantir a todas as crianças uma sólida preparação cultural e científica, assegurando o direito da criança de estar na escola. O terceiro objetivo é garantir o máximo aproveitamento das potencialidades dos alunos. O quarto objetivo é formar alunos com capacidade crítica e criativa em relação às matérias e a aplicação do conhecimento. O quinto objetivo tem como propósito atender a função educativa de ensino. O sexto objetivo refere-se a instituição dos processos participativos envolvendo todas as pessoas ligadas à escola. 
Os objetivos específicos referem-se a conhecimentos, habilidades, atitudes e convicção que ocorrem no processo de transmissão e assimilação ativa dos conteúdos. Portanto, determinam exigências e resultados esperados da atividade dos alunos. Ao formular objetivos específicos o docente deverá ser capaz de observar sequência lógica que garanta assimilação de conteúdo; expressar os objetivos com clareza, especificar conhecimentos, capacidades e habilidades dos alunos; dosar o grau de dificuldade e formular objetivos e resultados. 
Questão 2 (4,0 pts): 
Leia o texto a seguir: 
“O Aprendizado do Trabalho em Grupo” 
(Artigo de Luis Carlos de Menezes, publicado pela Revista Nova Escola - Edição 222, 01 de Maio de 2009) 
Na família e na vida profissional e social, é preciso saber se expressar, consultar, questionar, fazer planos, tomar decisões, estabelecer compromissos e partilhar tarefas. 
Essas ações, envolvendo aspectos práticos, éticos e estéticos, podem ser relativamente simples, como é o caso de escolher o que preparar para uma refeição ou um trajeto. 
Outras vezes, são complexas, como estabelecer prioridades num orçamento e atribuir responsabilidades na realização de um projeto. Na escola, atividades em grupo qualificariam para desafios como esses, tão necessários na vida social. Mas isso frequentemente esbarra em obstáculos. 
Quem acha que o papel do professor é só "passar" conhecimentos talvez veja a aprendizagem ativa e interativa como um devaneio teórico ou como ilusões de certas propostas pedagógicas. Isso, na prática, reduz o ensino à instrução individual em massa, quando as classes não são coletivos de trabalho cooperativo. Essa visão leva a uma prática em que só o professor tem a palavra e a interação dos estudantes é desprezada. Por isso, as turmas são simplesmente reunidas - não se pensa em construí-las. Atitudes dessa natureza, aliás, têm o respaldo de famílias que veem um convite à diversão quando se abre espaço à participação dos filhos. 
Já quem reconhece a importância dessa participação ativa e interativa e se dispõe a promovê-la em situações reais enfrenta bem o desafio de colocá-la em prática mesmo em classes numerosas - como mostrou a reportagem Como Agrupo Meus Alunos?, capa da edição de março de NOVA ESCOLA. Para promover a autonomia, não bastam materiais didáticos e um professor protagonista. É preciso propor à classe atividades coletivas mais estruturadas do que as aulas expositivas, pois todos devem estar motivados e conscientes do sentido delas. 
Para isso, cabe ao professor atuar com seus colegas e com a coordenação pedagógica, aliás, com a mesma dinâmica que pretende propor em sala de aula. Além de se perguntar "de que forma a atividade em grupo melhora o ensino da minha disciplina?", é necessário formular outra: "De que forma minha disciplina pode promover nos grupos a aprendizagem cooperativa?" Sim, é possível também ter a disciplina a serviço dessa formação coletiva e não apenas o inverso. Com isso, tem-se o foco na aprendizagem e no desenvolvimento da turma, não somente no ensino de conteúdos. 
É claro que nem tudo deve ser feito de forma coletiva, pois são igualmente essenciais