Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Anemia Infecciosa das Galinhas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Anemia Infecciosa das Galinhas
Familia Circoviridae 
Anemia aplástica por que causa:
Destruição 
eritrócitos
Imunodeficiência: 
Depleção timócitos corticais
Impacto econômico 
Perda de 17-19% do 
desempenho dos lotes. 
Custos com antibioticoterapia 
Aves de 2-4 sem. Idade: 
Retardo do crescimento 
Mortalidade: 10-20-60%
Etiologia 
Família Circoviridae 
Gênero Gyrovirus 
DNA fita simples 
Ñ envelopado 
20 nm 
VP 1 – capsídeo 
VP 2- atividade de
fosfatase/form. Capsídeo 
VP 3 – apoptina
Resistência/Sensibilidade 
Resistente: 
– éter / clorofórmio 
– 56-70º C/ 1 h. 
Estabilidade: 
ph 3 / 3 h.
Sensível:
– Fenol 50% - 5´
Replicação viral 
Medula óssea 
Timo 
Baço 
Age em vários órgãos 
Pintos de 1 dia: 
– Anemia 
– Medula óssea 
– Tecidos linfóides 
– Morte: 2-4 sem.
Os vírus após 
adsorção e penetração nas células hospedeiras, multiplicam-se primeiramente nas células precursoras da medula óssea e nas células linfocitárias precursoras da córtex do timo, causando morte celular por apoptose.
Cultivo e isolamento 
Ovos embrionados – 
5 dias – saco viltelino 
Cultura de células 
linfoblastóides derivadas de linfomas
Epidemiologia 
Hospedeiros
naturais: Galinhas 
de todas as idades são susceptíveis ( maior nas três primeiras semanas de vida) 
Transmissão: 
Vertical ( mais importante.) 
Horizontal ( contato 
direto ou indireto, instalações, fômites). 
A via oral é a mais 
importante. 
Disseminação 
principalmente através das fezes
Periodo de inubação
10-14 dias
Patogenia 
Vírus: 
– Fígado
– Cérebro
– Baço 
– Bursa 
– Medula 
– Soro 
– Timo 
– Rim 
Medula óssea: 
– Hemocitoblastos 
Dim. Trombócitos 
Dim. Hematócrito 
Timo:
– Células T
Sinais clínicos
Anemia 
– Hematócrito: 6- 
27% 
Imunossupressão 
15 dias: 
– Anorexia 
– Depressão 
– Crista pálida 
– Penas arrepiadas 
– Mortalidade 
– Lesões de pele 
(asa, cabeça, tórax, abdômen)
Lesões 
Medula óssea 
amarelada/vermelho escuro 
Atrofia timo 
Hemorragias subcutâneas 
Hemorragias intramusculares 
Hemorragia proventriculo
Diagnóstico 
Isolamento viral 
(tanto em células como em ovos é demorado e confuso) O ideal é o PCR 
Sorologia: os Ac persistem por 
um longo tempo após a infecção. 
– SN 
– IF 
– ELISA
Profilaxia 
Vacinação:
– 16-18 sem. 
Monitoração plantéis 
Biosseguridade