A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Arq Hospitalar

Pré-visualização | Página 1 de 7

1.
		Imagine que Mario seja um militar no meio de uma guerra. Ele ficou encarregado de receber os homens de seu exército feridos e organizá-los em tendas montadas que servem como enfermaria. Nenhuma instrução superior foi dada a Mario e, por isso, ele resolve adotar um critério de organização baseado nos programas de construção dos hospitais antigos. Logo, ele distribuirá os feridos pelas enfermarias por:
	
	
	
	Idade, patente militar e tipo de enfermidade.
	
	
	Tipo de enfermidade, idade e especialidade médica.
	
	
	Especialidade médica, sexo e patente militar.
	
	
	Sexo, tipo de enfermidade e especialidade médica.
	
	
	Patente militar, idade e sexo.
	
	
	
	 
		
	
		2.
		O Século XX traz uma série de inovações no campo da arquitetura. O projetos apresentam significativas alterações em relação aos antigos projetos. Podemos exemplificar abaixo, uma das grandes características deste período.
	
	
	
	Os projetos deste período apresentam características extremamente segregadoras.
	
	
	Os projetos hospitalares seguem os tratados no período do cristianismo em sua real concepção.
	
	
	Neste período os projetos hospitalares aproveitam construções religiosas que estavam decadentes e abandonadas.
	
	
	Todas as características acima mencionadas refletem um conceito arquitetônico das intervenções hospitalares do início do século XX.
	
	
	Inicia-se a características dos projetos hospitalares verticais.
	
Explicação:
Já no início do Século XX, os projetos hospitalares ganham uma nova contextualização vertical, proporcionando a oportunidade de receber maior número de pacientes, e, com certeza, garantir atendimento e maior arrecadação nos procedimentos.
	
	
	
	 
		
	
		3.
		Verificamos que a questão da humanização dos edifícios hospitalares é bem antiga. Já no final do Século XVIII os europeus começaram a tratar deste processo de forma efetiva. O hospital passa, então, com o novo conceito terapêutico de humanização a ter novo desafio em sua concepção. Neste sentido é correto afirmar:
	
	
	
	Nenhuma das opções acima poderá ser considerada como correta.
	
	
	Fica evidenciado neste contexto a falta de participação dos arquitetos nos novos projetos hospitalares.
	
	
	Verificamos que, apesar de todo o conceito de humanização dos atendimentos hospitalares, não houve uma mudança conceitual nas intervenções arquitetônicas.
	
	
	Neste período, não há uma grande alteração conceitual nos projetos arquitetônicos.
	
	
	Os arquitetos se apropriam deste novo desafio em seus projetos hospitalares.
	
Explicação:
Esta nova proposta terapêutica, com hospitais acolhedores no sentido de garantir uma assistência humanizada e não apenas de ser instituições de assistência aos pobres e de exclusão social, logo assumindo também a missão de curar. Assim, um grande desafio foi assumido pelos arquitetos, onde os mesmos puderam entender esta nova forma de tratar dos pacientes, projetando espaços mais confortáveis e acolhedores.
	
	
	
	 
		
	
		4.
		Marque abaixo a opção que corresponde a grande influência na construção dos primeiros hospitais na Europa:
	
	
	
	Influência da Reforma Protestante
	
	
	Influência do Capitalismo
	
	
	Influência do Cristianismo
	
	
	Influência do Feudalismo
	
	
	Influência do Socialismo
	
Explicação:
Os primeiros hospitais apareceram na Europa, no século IV aproximadamente, sob a influência do Cristianismo. Servindo tanto como refúgio para viajantes como para abrigar doentes. Posteriormente uma regra imposta pela Igreja, obrigava as paróquias a abrigarem os doentes.
	
	
	
	 
		
	
		5.
		Quais os reais objetivos dos hospitais surgidos a partir do século XX?
	
	
	
	Solidariedade
	
	
	Nenhuma das opções anteriores
 
	
	
	Todas as opções anteriores
	
	
	Lucratividade
	
	
	Caridade
	
Explicação:
No século XX surgiram os hospitais particulares, com objetivos lucrativos, de propriedade de médicos. A partir de 1960 começaram a surgir os hospitais próprios da medicina de grupos, envolvendo tanto os grupos médicos quanto as cooperativas médicas.
	
	
	
	 
		
	
		6.
		Modelo que serviu de protótipo a diversos hospitais e permanecem sendo usadas até os dias de hoje, para algumas concepções e desenhos de estruturas com implantação térrea. Constitui-se o elemento mais importante e característico da anatomia do hospital do século XIX. Estamos nos referindo a:
	
	
	
	Concílio de Aechen
	
	
	Modelo Casas de Caridade.
	
	
	Modelo Brás Cubas.
	
	
	Conceito tradicionalista da arquitetura hospitalar.
	
	
	Enfermaria Nightingale.
	
Explicação:
A conhecida enfermaria Nightingale consistia em um longo e estreito salão, com leitos dispostos de forma perpendicular em relação as paredes, dotado de pé-direito generoso e janelas altas entre leitos, em ambos lados, garantindo assim ventilação e iluminação natural. Os banheiros ficavam em uma das extremidades. Contemplava ainda local para isolamento de paciente terminal, escritório da enfermeira chefe, sala de utilidades, copa e depósito, localizados no corredor de ligação com os outros pavilhões. No centro da enfermaria era implantado um posto de enfermagem.
	
	
	
	 
		
	
		7.
		Marque abaixo a alternativa que corresponde a construção do primeiro hospital do Brasil.
	
	
	
	O primeiro hospital do Brasil é o Hospital Israelita na Capital Paulista.
	
	
	O primeiro hospital do Brasil é a Casa de Caridade de Niterói, no Rio de Janeiro.
	
	
	O primeiro hospital do Brasil é a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.
	
	
	O Primeiro hospital do Brasil é a Santa Casa da Misericórdia de Santos, do Estado de São Paulo.
	
	
	O primeiro hospital do Brasil é a Santa Casa de Misericórdia de Recife, em Pernambuco.
	
Explicação:
O Primeiro hospital do Brasil é a Santa Casa da Misericórdia de Santos, do Estado de São Paulo, que foi inaugurado em novembro 1543. A construção teve início em 1542, por iniciativa do português Braz Cubas, líder do povoado do porto de São Vicente, posteriormente Vila de Santos.
	
	
	
	 
		
	
		8.
		Marque abaixo aquele que foi responsável pela instalação da primeira Santa Casa de Misericórdia no Rio de Janeiro.
	
	
	
	Mem de Sá
	
	
	Padre José de Anchieta
	
	
	Padre Manoel da Nóbrega
	
	
	Tomé de Sousa
	
	
	Brás Cubas
	
Explicação:
No Rio de Janeiro a Santa Casa de Misericórdia foi instalada pelo Padre José de Anchieta para socorrer os tripulantes da esquadra do Almirante Diogo Flores Valdez, aportada à baía de Guanabara em 25 de março de 1582, com escorbuto a bordo.
		De acordo com a Lei 8080/90, aos Estados compete:
	
	
	
	formular políticas e normas, coordenar e avaliar sua implantação em articulação com os demais órgãos governamentais e promover a descentralização para as Unidades Federadas e Municípios dos serviços e ações de saúde.
	
	
	a descentralização dos serviços e ações de saúde para os Municípios, controlar e avaliar as redes hierarquizadas do SUS e formular, executar e acompanhar normas e padrões de funcionamento em caráter suplementar.
	
	
	formular, executar e acompanhar normas e padrões de funcionamento em caráter privativo.
	
	
	planejar, programar e organizar a rede regionalizada e hierarquizada do SUS em articulação com a direção nacional.
	
	
	fiscalizar as ações e serviços de saúde em caráter exclusivo e promover articulação com os órgãos de fiscalização federais.