A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
3 - Ensaios Geossintéticos

Pré-visualização | Página 1 de 3

áis*",rh.*-
H
UnB Progræ d€ Pó+Gr¡duåçåo
em Geotêcn¡a - UnB
Ensaios em Geossintéticos
Ennio Marques palmeira
Universidade de Brasília
www. g e o tec n i a. u n b. b rþeossinúeficos
Ensaios em Geossintéticos
Determinação de Propriedades
Físicas
1
* fmg.F¿o- F€r-\ 
u,.r\J'"rù Olt* = lanm"ì'^n* (nO)
tÞ ln¡ r ÍYf\aÆaq.-
0.^-q,õ .l¡¡ñ
* rÞ¡ì^^no. 
"ht.Jq-,]^.s/b t^^ryoç [t-'*"'u-,I'ü
"-.,.rçi.lo,t"A = 
Z_K.|g ( c¡rÁ ueaol- )
Pl tl*r';"
Ll,l"
Ensaios em Geossintéticos
Determinação da Espessura (ta) 
-o "\r'lâ*ni
*p*r-)
.o.*dO
deflectômetro þ^ttG
Equipamento 
- 
Cesi, Itiilia (Colman€tti, 2m5)
¡v r*.tJ^dur.t dro\o
geossintético
placa
Ensaios em Geossintéticos
Variação da Espessura com a Tensão Normal
+GB*GD+GG+GH
'1.
\\
Ensaios em Geotêxteis Não Tecidos
E
E
o
f
aoo
U
2000 2500
L !t'çrttü-*to. -{, frurf: ;X1\ rnsr¡*o¡r¡ oTg Sso ,
0 500 1000 1500
Normal stress (kPa)
Palmeira & Gardoni (2000)
2
Gramatura - Me = massa/área
amostra de geossintético
balança
Norma de refurênc¡ô: NBR 12568
Ensaios em Geossintéticos
Determinação da Gramatura
Porosidade = n = volume de vazios/volume total
n = 1- Mn/ (prtc)
Onde: M¡ = gramatura do geotêxtil
pr = massa específica das fibras do geotêrr'til
-*-El--+++
c-F ÈG
0
n
0.7
0,6
o,5
tc = esPêssura do geotêxtil
50 100 f50
tensão nomal (lpa)
Ensaios em Geossintéticos
Determinação da Porosidade de Geotêxteis
* A potl^J"di- J"
' 6,ñf ¡.'ld eeq-
I
^*0"ùe¡. 
\sr*o ol*
BB o. o, 9¿l
3
Ensaios em Geossintéticos
Determinação de Propriedades
Mecânicas 
- 
Resistência à
- 
ß^"i-k o- fnaçoG (r¡","x)
- 
Dsç. r.re.- R 
"n'lu^t.-(€t¡"",a¡
-o?f"U^f ì tn.*ñ([) )
Tqs)Traçäo 
(F
*tug"6 f¡tù^rt->ñ. & ¡"."1"¡,
-- D-*$^^{'^çJJ T¿moov>
"t in 'À¡.t^Côf
,Þs€
rÀñ-)
g.À lh^SOl!ù-l)
¡loru¡.,c^r,^,
-ÞÀ
n*Jot J*
^ùt
g
âx, .Â-
-+_
l"
d^¡. ¿d\^{Þ_
\t*^"\.{r.*ì,
F
'oTtf
un:¡.Ca.nn.¡\c-
lrnt*^o- À*
*\.
ù. r,""t\,"-
c^rÌo';aô I )
*Pl6<,o me¡nÈRN-
C-L s-t f.rr¡n c.a
msr,,t oc.L gt t
Le
tIY^^^ol*Jto-
comror.i¡,¡cto\
4
¿ Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração
T
F
Jr
1
L et "a
FT= 
L
t Èc¡.ôl^,.aå 
.-, ¡t$ti"y*1 {¡'^ ^"^t
T
I
T
I
geolêxtil
+
T
nãùtecido
lil 1,,, 6mm I],,,,50 mm mm
I IT I TT
Geotêxteis Geomembranâs
Ensaio para controle de qualidade.
L* r,À ...;,*^r^\"^".^ *.o..,\io\o"\t ia¡. ,nto\¡'úfo.
t^o¡iP-t J¡ otnqò\
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração em Tira Estreita
.l
rrr^Pñ^O'
oe/>
Equipamento 
- 
Cesi, Itália (Colmanetti, 2005)
.,r*;-_7-
+t*
6,.9
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração em Tira Estreita
Ensaio em Amostra de Geomembrana
5
rEt@
=Þ
$ t.-rroior dx
E--\,'.rj..f"^- ¡- d¡-¿lnoga,ö oc
ttn o_f\c,C\ CgL
¡.rt*rl*rl^ o¡-
co" J*gí;" dr
D-u\. il,a.¡nol-
-t/\ñ/
.t-
a\-\,(-\4O\\tqrâÒ,
.^
/Q.rã-{/2-\.ÂJ\rì-
6
Nrrr\ ¿-
:+ffiî f
Ensaios ern Geossintéticos
Ensaio de Tração Localizada (GraÞ Iesf/
G¡¡-o ¡¡"Ox.rrb,no-¡son>
l{,orma de referência: ASTM 4632
Tgafra
25,4
T
pedaço de geotêxtil
(200 x 200 mm)
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração em Tira Estreita
lnfluência da Largura da Tira
16
E
zJ
o
Poo
100 x 100 mm
50 x 200 mm
525 x 125 mm
Debrmação (%)
I
1
2
2
3I
34
4
I
t
H
I
I
lN
I
t
- 
FiT]r
l^ô.ç,â.)0204060
Dimensões:
200 x 50 mm \À t"c.r
Co l"
.¡ts.\ *.
Or-^\l
,¿"- I
* (ß .t¡rÞo.ioñ, d¡- Jtr¡o- ¡¡rlt riJc- Å "l'!-1n*çuê -!*c"-\*Jo-Ã úr-..r-^-\ o.¡ôr\ .o,.ru-1a",..r\r qrr eo-Jiq"l= ù ÞS t¿:f,\
"dl-* Çars.o.' + ú-,ir^,r\f9.ID ç I,rU"^*\ef\ a <o.,.Lçaô >rÇ-¡.-l^"e-
; ïffi\" J" "ì^,*'*-t^o' 
ofs-èèü*k n"^-^ ,*lJ"t*" r^s,Ao.ro
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração em Faixa Larga
7
Normas de reftrênc¡a: NBR 12824, AsTtvt 4885, ASTTII 4884, ASTM 4595
I
J"
F
I
J
o
rO
o.g
q)
E(!
o)
oo
temperatura = t 
"C
L
BlAB
Tw
carga
etr= r.'dio.Às ei,r
t âr¡¡
ÂB/B = e
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração em Faixa Larga
ìT Lé,R
P
*
ñ
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Traçäo
lnfluência da Taxa de Deformação e da Temperatura
-o$t,e2
^-ÞO
f3
ù",\o
qt" > .l-ùoc. DÀ[-
taxa de deformação, i; (%/min)
h> t¿> t
deformaçäo, e
temperatura
tt,¿. taxa de deformaÇão
T
(kN/m)
(
{\ \À¡ñ\
Tw
ouJ
(kN/m)
e1>tiz>e3
temperatura = t
\.¡,\ne o\aJo,.lxl".-
Daç
Tl" > t^ljff!,nrat{jL
o
=l.
-9,
¡'.r=o'=tr^*t!_
ôfs>ryüt"t
c
_t
o\s
¿-O
\^J\n
x Ct¡,,rVq-
o- ¡r-r-\n_
cr) )fe'r)
lr^^p
. ¡F\9
I
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração
lnfluência da Taxa de Deformação - lsócronas
o
o¡O(t(ú
E
o
o
.tt
tempo
tt
isócrona
t'
tempoC
n T¡
T.
Tt
*T
?l 
^*. 
dÂf- 1,^\o
D.!- ( ¿) p I cd c.n*- :Fr
-1íoJr..^
temperatura f ("C/
_+ lÀ
-ù d.qfu/U\cç\^¡noy.Tn -ff af¡
b
ef¡r¡"e*ll¡U Q .f¡¡.l^.-f
","\"Yo P I ,À^^Ff\
"Li"åb o-
T, constante
(T/Twþ
O/T*)¡
E
t
geossintét¡co
(ïÆw),(T/Tuxþ > (T/Truþ > (T/Tw),
Ê 
= f(t)
Dlgr"r
O/T*)'
(T/T*Þ
lu=rr,)
* \i"
dlr"rrtr
ìlOIG L-rùu
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Traçäo
Ensaio de Fluência
f dg
¿l--
I ¡.""rÁx 
= "¡Lo,râ^r:'\ ' 
â.
1¡*çó r'-o
-)l
-t^rvrt;<> i"n+it¡- t-
aq*I)
i¡¡'frdDilr
d-l.r.v-,.c-r.¡^þ ì-(trz)
*Ato)lg¡rn-o r-
,$r-;- 
-lonnsOr¡ ¡¿R-O
Þ -c^.r=o.isg ¿-
ç-qAî^""\ o.. , ¡rvrodJ)
;,r^".J^-'y' q-
cR e\sLo\ol.
\
+ 6Jo ù ,rrrÏ*^o l¡crsù.¡lc. 1'1'^-ûntr* = l** "Qo"¿" I
I
fa^1 : flvçq¡
t'IR
extrapolação
tempo (log)
vida útil
T,er
Curva de Referência
T
LP \ø^k""öL, çl . e$$rÈ
.rufq¡o L l,ì
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração 
- 
\
Ensaio de Ftuência 
- 
Curva de Referênc¡a (CR)
å <FRit< s
8x I
Ensaios em Geossintéticos
Ensaio de Tração Axisimétrico
m€didor de med¡dor de våri9ção
de wlume
gæñbÞm-
pciFo ¡nicial
gmmembrana
defqmaúa
ã
?pIanqus r¡gido
T T ro0
efüm€çãô (tl)
D
I'J
4M
(B6rd)
r Fll6SlPå
{Unbtbl)
wcluãþÉl)
(BbÈt)
(B€Èl)
\¡-
o{undan"n\ _r*"lqJt d" t"^r.r"* l5do ur¡.".rr "on".*Jo-
J.È J.-
Ensaios em Geossintéticos
Ensaios de Tração em Soldas de
Geomembranas 
-v
Trecho soldado
For descamamentoNorma de reerência: ASTl.l 4545
I
T T
T
T
Trecho soldado
For cisalhamento
L+e cr,l¡ile r,1',
10
Ensaios em Geossintéticos
Ensaios de Tração em Soldas de
Geomembranas
a, çl Jr"a\..s o\ r¡"¡cn{o{o',
td. ù¡.\st'¡oòo
*-
p Equipamento (Colmanetti, 2005)
Lro!P ^¡î,^
sob
Ensaios em Geossintéticos
Resistência ao Estouro (ansS)
t nonsoÞ¿ *pt'. hX-
c^Â Joxld" à)
ùr-1. axc¡¡d¡l'>-
11
Ensaios em Geossintéticos
Resistência ao Rasgamento (¡X sa)
25 mm 100 mm
13
l{,orma de rcferência: ASTM 4633, ASTM 4533
,,>lø.E*
T
* A.^".rrlo ùs
rrr.iúql r* do t*t
75 mm
rasgo inicial
t,
Ensaios em Geossintéticos
I nteraçäo Solo-Geoss i ntéti co
1 2
rt¡^¡aiop e;"No.-16 Þ;"ijiô ,¡'oíd i O
ulJ¡:¡y:f(¡qClørfr I qño"Ler- .sr-.
.¡, o,he - 7u---a^"ifi lotJLls.lPs-\
prato rig¡do l¡vre
pr¿b rlgie fuê
(mæ s/eçáo)
(a) tbl
pato lgido fxo bls pæurizdâ @cæ
Palms¡E (1987)
(c) (d)
Norma de referênch: Normås ISO
Ensaios em Geossintéticos
lnteração Solo-Geossintético
Ensaios de Cisalhamento Direto
l:1f ts
+-.5óSlì15555t
ft'55$t
.-#llfr*
t.1.Jl.5.f J
zl.*>ffi\{diy
/"
base æ-ffi
lOCx þæç.rtsqe ðð¿\
oMElhâglo z- '
æ
solo
não tecido
tecido r&cçrE !¿ãS¡ãgÃ
solo
Ensaios em Geossintéticos
lnteração Solo-Geossintético (çX 5e)
13
Ensaios em Geossintéticos
lnteração Sol o-Geossintéti co
Ensaios de