Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Teologia Apol Daniel 2

Pré-visualização | Página 1 de 1

O vocábulo “jubileu” é de extrema importância para se compreender a questão simbólica dos números na Bíblia. Ele representava um grande ajustamento social e econômico que acontecia a cada cinquenta anos. De acordo com o fragmento de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, qual a incidência da palavra “jubileu” no Antigo Testamento?
Nota: 20.0
	
	A
	15 vezes.
	
	B
	20 vezes.
Você acertou!
O vocábulo jubileu ocorre 20 vezes no Antigo Testamento (LIVRO-BASE, p. 85).
	
	C
	16 vezes.
	
	D
	17 vezes.
	
	E
	19 vezes.
Questão 2/5 - Daniel
Considere o seguinte extrato de texto:
“A seção narrativa de Daniel (caps. 1-6) coloca em cena o personagem Daniel, que concentra em sua figura o modelo de heroísmo e fidelidade que se espera de todo crente judeu que vive em situação de minoria no contexto hostil da diáspora”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em:  ANDINACH, Pablo. Introducción hermenêutica al Antiguo Testamento. Navarra: Verbo Divino, 2014, p. 307 – Tradução do autor.
Daniel é o personagem principal do livro, mas há outros três personagens secundários, amigos de Daniel, que, ao longo da narrativa do livro, também assumem algo dos mesmos ares heroicos de Daniel. Considerando o fragmento de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, os três amigos de Daniel são:
Nota: 20.0
	
	A
	Isaías, Jeremias e Ezequiel.
	
	B
	Hananias, Misael e Azarias.
Você acertou!
Nabucodonosor, rei da Babilônia, após invadir Jerusalém, entre os prisioneiros levados para a sua capital, se encontravam alguns príncipes, a saber, Hananias, Misael e Azarias (livro-base, p. 63).
	
	C
	Abraão, Isaque e Jacó.
	
	D
	Neemias, Esdras e Rute.
	
	E
	Amós, Miquéias e Naum.
Questão 3/5 - Daniel
Considere o seguinte extrato de texto:
“Para todo leitor, para o hermeneuta, o livro de Daniel é um desafio pois concentra em sua forma literária e em seu conteúdo uma quantidade de problemas que o torna de difícil interpretação”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em:  ANDINACH, Pablo. Introducción hermenêutica al Antiguo Testamento. Navarra: Verbo Divino, 2014, p. 307 – Tradução do autor.
O gênero simbólico é muito utilizado no livro de Daniel. Trata-se de uma forma epistemológica de explicar as intenções do autor do livro. Nesse sentido, o próprio nome “Daniel” traz um significado todo peculiar. De acordo com o livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel e as videoaulas, qual o real significado do nome “Daniel”?  
Nota: 20.0
	
	A
	O nome Daniel pode ser traduzido como “Deus é juiz ou meu juiz”
Você acertou!
O nome próprio “Daniel” pode ser traduzido como “Deus é juiz ou meu juiz”. (Livro-base, p. 62)
	
	B
	O nome Daniel pode ser traduzido como “Deus é santo”.    
	
	C
	O nome Daniel pode ser traduzido como “Deus é o meu pastor”.
	
	D
	O nome Daniel pode ser traduzido como “Deus dos exércitos”.
	
	E
	O nome Daniel pode ser traduzido como “Deus dos céus e da terra”.
Questão 4/5 - Daniel
Considere o fragmento de texto a seguir: 
“O livro de Daniel começa com Nabucodonosor no trono da Babilônia. A dinastia babilônica substituíra a assíria como potência dominante na região oriental do Mediterrâneo durante o último quarto do século VII a.C. Ele expandiu ainda mais as conquistas de seu pai e, conforme o relato do livro de Reis, em 587-586 a.C finalmente subjugou Judá e saqueou Jerusalém”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: WALLACE, Ronald. S. A mensagem de Daniel. São Paulo: Abu, 1987, p. 1.
Jamais teria passado pela mente de um judeu que a cidade santa – Jerusalém – e seu templo pudessem ser não somente conquistados, mas destruídos. Segundo o fragmento de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, qual teria sido a maior causa dessa tragédia que se abateu sobre o povo de Deus:
Nota: 20.0
	
	A
	A derrota de Judá se deu por causa do jogo político imperial da época.
	
	B
	A destruição de Judá e da cidade/templo aconteceu por causa da fraca presença militar do povo de Deus.
	
	C
	A conquista da cidade de Jerusalém ocorreu por imperícia política do rei de Judá.
	
	D
	A conquista aconteceu porque Judá era uma importante rota comercial.
	
	E
	O cativeiro de Judá foi, em grande parte, fruto da desobediência dos judeus às ordenanças de Deus.
Você acertou!
A desobediência do povo de Deus teria sido o principal motivo para que a desolação, destruição e cativeiro do povo acontecesse (LIVRO-BASE, p. 84).
Questão 5/5 - Daniel
Considere o fragmento de texto a seguir: 
“Portanto quando tudo aconteceu às avessas, quando a cidade e o templo invioláveis foram destruídos, foi difícil para eles admitirem que o futuro pretendido por Deus pudesse envolver tanta humilhação como a glória, o exílio e a vergonha, bem como a segurança e a prosperidade. Será que Deus poderia realmente usar um pagão como Nabucodonosor como instrumento para o bem e a educação de seu povo?”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: WALLACE, Ronald. S. A mensagem de Daniel. São Paulo: Abu, 1987, p.21.
A conquista da cidade de Jerusalém e o posterior exílio do povo foram fenômenos que se desenvolveram por longos anos. Na Babilônia, os judeus ficaram por muito tempo, escravizados. Até mesmo o profeta Jeremias escreveu aos exilados motivando-os a construírem suas vidas por ali mesmo. Segundo o fragmento de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, o período de tempo que durou o exílio na Babilônia foi de...
Nota: 20.0
	
	A
	70 anos