AVALIANDO RESP CIVIL
3 pág.

AVALIANDO RESP CIVIL


DisciplinaResponsabiblidade Civil313 materiais131 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1a Questão (Ref.:201512271269) Acerto: 1,0 / 1,0
Ano: 2015; Banca: FCC; Órgão: TJ-PE; Prova: Juiz Substituto. Haverá obrigação de reparar o dano, independentemente de culpa:
quando a lei não estabelecer que a hipótese se regula pela responsabilidade civil subjetiva.
somente nos casos especificados em lei.
 quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por sua natureza, risco para os direitos de outrem.
apenas quando o dano for ocasionado por agente público ou preposto de empresa concessionária de serviço público, no
exercício de seu trabalho.
sempre que o juiz, verificando a hipossuficiência da vítima, inverter o ônus da prova.
Respondido em 20/10/2019 15:15:06
2a Questão (Ref.:201512397164) Acerto: 1,0 / 1,0
São elementos da responsabilidade civil subjetiva, EXCETO:
 Dano moral.
Dolo ou culpa em sentido estrito.
Nexo de Causalidade
Conduta comissiva ou omissiva.
Dano
Respondido em 20/10/2019 15:17:44
3a Questão (Ref.:201512330637) Acerto: 1,0 / 1,0
Joana deu seu carro a Lúcia, em comodato, pelo prazo de 5 dias, findo o qual Lúcia não devolveu o veículo. Dois dias depois, forte
tempestade danificou a lanterna e o parachoque dianteiro do carro de Joana. Inconformada com o ocorrido Joana exigiu que Lúcia a
indenizasse pelos danos causados ao veículo.
Não há de se falar em responsabilidade civil no caso em tela.
Lúcia incorreu em inadimplemento absoluto, pois não cumpriu sua prestação no termo ajustado, o que inutilizou a prestação
para Joana.
Lúcia não responde pelos danos causados ao veículo, pois foram decorrentes de força maior.
Lúcia não está em mora, pois Joana não a interpelou, judicial ou extrajudicialmente.
 Lúcia deve indenizar Joana pelos danos causados ao veículo, salvo se provar que os mesmos ocorreriam ainda que tivesse
adimplido sua prestação no termo ajustado.
Respondido em 20/10/2019 15:18:39
4a Questão (Ref.:201512570108) Acerto: 1,0 / 1,0
(FCC - 2005 - OAB/SP - Exame da Ordem - adaptada) - Existe responsabilidade civil por ato:
 ilícito, apurando-se a culpa do agente.
abusivo, ainda que sem culpa do agente.
ilícito, apurando-se o dolo do agente.
lícito ou por fato jurídico, independentemente de culpa, somente nos casos especificados em lei.
lícito ou por fato jurídico, independentemente de culpa, tão só quando constatar-se risco ao direito de outrem.
Respondido em 20/10/2019 15:21:25
5a Questão (Ref.:201514590776) Acerto: 1,0 / 1,0
O nexo de causalidade é a relação necessária entre o evento danoso e a ação que o
produziu. Não há como confundir nexo de causalidade e imputabilidade. A imputabilidade diz
respeito a elementos subjetivos, e o nexo de causalidade, a elementos objetivos. Dentre os
motivos abaixo relacionado, qual não é uma excludente de nexo de causalidade:
Culpa de terceiro
Fato de terceiro
 Culpa não concorrente
Força maior ou caso fortuito.
Culpa exclusiva da vítima
Respondido em 20/10/2019 15:32:43
6a Questão (Ref.:201512350377) Acerto: 1,0 / 1,0
2015 - Banca: FAPEC - Órgão: MPE-MS - Prova: Promotor de Justiça Substituto. Tratando-se de indenização, é correto afirmar que:
Não se cumulam as indenizações por dano moral e dano material oriundos do mesmo fato.
A indenização é mensurada pela extensão do dano, inexistindo a possibilidade de sua redução pela via da equidade.
 A teoria da causalidade adequada é aplicável na fixação da indenização.
O acidente que cause morte de filho menor, caso este não exerça trabalho remunerado, não é indenizável.
Não se deduz o valor do seguro obrigatório da indenização judicialmente fixada.|
Respondido em 20/10/2019 15:26:09
7a Questão (Ref.:201514533228) Acerto: 1,0 / 1,0
A gravidade do dano há de medir-se por um padrão objetivo, quando a apreciação deve ter em linha de
conta as circunstâncias em cada caso, e pela visão de fatores subjetivos ¿ de sensibilidade
particularmente requerida. A gravidade é apreciada em razão da tutela do direito. O dano deve ser de tal
modo greve que justifique a concessão de uma satisfação de ordem pecuniária ao lesado. O dano típico
esta positivado de forma normativo. Um tipo de dano típico está descrito como o dano inerente à pessoa
natural. É a ofensa ao psiquismo que atinja a sua dignidade, respeito próprio e autoestima. Este dano
típico é descrito como:
Dano a honra objetiva.
Dano emergente.
Dano moral a pessoa jurídica.
Lucro cessante.
 Dano a honra subjetiva.
Respondido em 20/10/2019 15:30:19
8a Questão (Ref.:201512271308) Acerto: 1,0 / 1,0
(Ano: 2015; Banca: MPE-BA; Órgão: MPE-BA; Prova: Promotor de Justiça Substituto). Assinale a alternativa INCORRETA sobre a
responsabilidade civil, segundo o Código Civil Brasileiro:
Aquele que ressarcir o dano causado por outrem pode reaver o que houver pago daquele por quem pagou, salvo se o causador
do dano for descendente seu, absoluta ou relativamente incapaz.
 O direito de exigir a reparação se transmite com a herança, mas não a obrigação de prestá-la.
O incapaz pode ser responsabilizado pelos prejuízos que causar se as pessoas por ele responsáveis não tiverem obrigação de
fazê-lo ou não dispuserem de meios suficientes.
A responsabilidade civil é independente da criminal, não se podendo questionar mais sobre a existência do fato, ou sobre quem
seja o seu autor, quando estas questões se acharem decididas no juízo criminal.
Aquele que, por ato ilícito, causar dano a outrem fica obrigado a repará-lo.
Respondido em 20/10/2019 15:31:11
9a Questão (Ref.:201512330657) Acerto: 1,0 / 1,0
Felipe, atrasado para um compromisso profissional, guia seu veículo particular de passeio acima da velocidade permitida e, falando ao
celular, desatento, não observa a sinalização de trânsito para redução da velocidade em razão da proximidade da creche Arca de Noé.
Pedro, divorciado, pai de Júlia e Bruno, com cinco e sete anos de idade respectivamente, alunos da creche, atravessava a faixa de
pedestres para buscar os filhos, quando é atropelado pelo carro de Felipe. Pedro fica gravemente ferido e vem a falecer, em decorrência
das lesões, um mês depois. Maria, mãe de Júlia e Bruno, agora privados do sustento antes pago pelo genitor falecido, ajuíza demanda
reparatória em face de Felipe, que está sendo processado no âmbito criminal por homicídio culposo no trânsito. Com base no caso em
questão, assinale a opção correta.
Felipe, como a legislação civil prevê em caso de homicídio, deve arcar com as despesas do tratamento da vítima, seu funeral,
luto da família, bem como dos alimentos aos dependentes enquanto viverem, excluindo-se quaisquer outras reparações.
Felipe deverá indenizar as despesas efetuadas com a tentativa de restabelecimento da saúde de Pedro, sendo incabível a
pretensão de alimentos para seus filhos, diante de ausência de previsão legal.
 Felipe indenizará as despesas comprovadamente gastas com o mês de internação para tratamento de Pedro, alimentos
indenizatórios a Júlia e Bruno tendo em conta a duração provável da vida do genitor, sem excluir outras reparações, a exemplo
das despesas com sepultamento e luto da família.
Felipe fora absolvido por falta de provas do delito de trânsito na esfera criminal e, como a responsabilidade civil e a criminal não
são independentes, essa sentença fará coisa julgada no cível, inviabilizando a pretensão reparatória proposta por Maria
Não é devida qualquer indenização, tendo em vista que o caso ocoreu por motivo de força maior.
Respondido em 20/10/2019 15:35:31
10a Questão (Ref.:201512356518) Acerto: 1,0 / 1,0
(TRT 9 ¿ 2007/Juiz) Sobre teoria geral da responsabilidade civil, assinale a alternativa CORRETA: I. A teoria subjetiva da
responsabilidade civil é fundada na culpa ou dolo do agente. II. Admite-se a responsabilização do agente independentemente de culpa,
quando a atividade por ele normalmente desenvolvida, por sua natureza intrínseca, implicar riscos, mas as hipóteses de aplicação da
teoria do risco