A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
CURSO DE SERVIÇO SOCIAL
DANIELA DOS SANTOS
PROJETO DE INTERVENÇÃO - ESTÁGIO ll
“COMBATE À EXPLORAÇÃO E ABUSO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES”
SÃO PAULO –SP
2019
Daniela dos Santos
PROJETO DE INTERVENÇÃO - ESTÁGIO ll
	Projeto de Intervenção apresentado ao Curso Superior de Serviço Social como requisito parcial para aprovação na disciplina de Estágio Supervisionado II
Supervisora Acadêmica
Prof. Ana Paula Carvalho M. Salomão
Supervisora de Campo
Elisabete
SÃO PAULO – SP
2019
SUMÁRIO
INTRODUÇAO -------------------------------------------------------------------------- 4
JUSTIFICATIVA ------------------------------------------------------------------------ 5
OBJETIVOS ---------------------------------------------------------------------------- 5
3.1 GERAL ----------------------------------------------------------------------------- 5
3.2 ESPECÍFICOS------------------------------------------------------------------- 5
 4.	METODOLOGIA -------------------------------------------------------------------- 6
 5.	CRONOGRAMA -------------------------------------------------------------------- 6	
 6.	REFERÊNCIAS --------------------------------------------------------------------- 6
		
1 INTRODUÇÃO
	Entende-se de Projeto de Intervenção a organização das ações técnico-profissional e éticos-politicas em resposta as expressões da questão social com as quais se defronta o (a) assistente social no exercício da sua profissão, (CFESS,2000).
 	Assim sendo pensar, planejar e formular o projeto de intervenção “Combate ao abuso à exploração Sexual de Crianças e Adolescentes “ e considerar que seu planejamento e elaboração tem que ser visto como um trabalho pautado entre teoria e o conhecimento da ação que se quer efetivar.
	Existem leis apropriadas e claras contra o abuso sexual, porem há muitas dificuldades no processo de notificação dos casos às autoridades competentes e de funcionamento do sistema de garantia de direitos. Apesar de toda divulgação através de campanhas e propagandas com o foco voltado para o combate ao abuso à exploração sexual de crianças e adolescentes pelos principais meios de comunicação de massa (internet, TV, rádio etc.) incentivando a população a denunciar esse tipo de crime.
2 JUSTIFICATIVA
 O Brasil apresenta uma forte carência de dados sobre a violência sexual de crianças e adolescentes. O que sabemos é que existe fatores de vulnerabilidade que incidem diretamente sobre o problema, aumentando os casos de violação de direitos. Dentre os principais fatores estão a pobreza, exclusão, desigualdade social, questão ligadas a raça, gênero e etnia. Além disso, a falta de conhecimento sobre direitos da infância e adolescência também contribui para o aumento das violações. 
	A violência sexual é praticada quando a criança ou adolescente é usada para o prazer sexual de uma pessoa mais velha, em outras palavras, qualquer ação onde existe o interesse sexual. O que denota a violação dos direitos da criança e do adolescente, , por se tratar de abuso e exploração do corpo e sexualidade da criança, através de força ou coerção, desrespeitando as garantias individuais como liberdade, respeito e dignidade previstos na Lei nº 8.069/90 – Estatuto da Criança e Adolescente ( Brasil, 1990, Artigos 7º, 15,16,17 e 19)
	A conscientização dentro dos projetos de interesse social está voltada para a garantia dos direitos das crianças e adolescentes por meio do trabalho social desenvolvido durante a execução dos eixos mobilização comunitária em que se preparam as famílias para uma nova concepção vida, deixando os cientes do que é o abuso e a exploração de crianças e adolescentes como prevenir, detectar e denunciar.
	Almeja-se assim um profissional assistente social capacitado e atento as questões atuais e principalmente quando este reflete no cotidiano da população. Para o profissional o mundo vive um constante processo de transformações e desenvolvimento, sendo este apresentado com suas temáticas diversificadas. Cabe ao profissional focar seu trabalho com base em conhecimento e habilidades para garantir uma execução eficaz do seu trabalho em prol de uma melhor qualidade de vida da população menos favorecida de conhecimento. 
 
3 OBJETIVOS
3.1 OBJETIVOS GERAL
Mobilizar a população para combater o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes.
3.2 OBJETIVO ESPECÍFICOS
Identificar o perfil e o comportamento do abusador;
Enfatizar a importância de denunciar o crime.
4 METODOLOGIA
	Entende-se que, para a ação aqui proposta para serem concretizada de maneira satisfatória, se faz necessário, entre outras questões, o desenvolvimento de uma metodologia de intervenção que seja capaz de orientar, esclarecer, e permitir a formulação de modo detalhado do projeto em que podemos trabalhar. Para tanto, no primeiro momento será feita a reunião com a dinâmicas.
5 CRONOGRAMA
	MÊS
	DIA
	ATIVIDADE
	HORARIO
	Junho
	22/06/2019
	Reunião
	09:00 as 12:00
6 REFERÊNCIAS
BRASIL. Estatuto da Criança e Adolescente. São Paulo: Saraiva 2005.
CFESS. Recomendações para Elaboração do projeto de intervenção. In Capacitação em serviço social e política social. Brasília: UNB, centro de educação aberta, continuada a distância, 2000.