Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
AlfaCon-LinguaPortuguesa

Pré-visualização | Página 12 de 16

de computadores; 
e) casos de adultério. 
 
04) “Consumismo é o ato de comprar o que você 
não precisa, com o dinheiro que você não tem, para 
impressionar pessoas que você não gosta, a fim de 
tentar ser uma pessoa que você não é". Boicote o 
consumismo!!! 
 
O texto mostra desvio da norma culta: 
a) na acentuação gráfica de uma palavra; 
b) na indicação errada de uma forma plural; 
c) na ausência de preposição; 
d) na conjugação de uma forma verbal; 
e) no mau emprego de uma vírgula. 
 
05)1º Rara tem sido a vez, ao longo de tantos anos de 
prática pedagógica, por isso política, em que me tenho 
permitido a tarefa de abrir, de inaugurar ou de 
encerrar encontros ou congressos. 
2º Aceitei fazê-lo agora, da maneira, porém, menos 
formal possível. Aceitei vir aqui para falar um pouco da 
importância do ato de ler. 
3º Me parece indispensável, ao procurar falar de tal 
importância, dizer algo do momento mesmo em que 
me preparava para aqui estar hoje; dizer algo do 
processo em que me inseri enquanto ia escrevendo 
este texto que agora leio, processo que envolvia uma 
compreensão crítica do ato de ler, que não se esgota 
na descodificação pura da palavra escrita ou da 
linguagem escrita, mas que se antecipa e se alonga 
na inteligência do mundo. A leitura do mundo precede 
a leitura da palavra, daí que a posterior leitura desta 
não possa prescindir da continuidade da leitura 
daquele. Linguagem e realidade se prendem 
dinamicamente. A compreensão do texto a ser 
alcançada por sua leitura crítica implica a percepção 
das relações entre o texto e o contexto. Ao ensaiar 
escrever sobre a importância do ato de ler, em que 
senti levado – e até gostosamente – a “reler" 
momentos fundamentais de minha prática, guardados 
na memória, desde as experiências mais remotas de 
minha infância, de minha adolescência, de minha 
mocidade, em que a compreensão crítica da 
importância do ato de ler se veio _____ mim 
constituindo. Ao ir escrevendo este texto, ia “tomando 
distância" dos diferentes momentos em que o ato de 
ler se veio dando na minha experiência existencial. 
Primeiro, a “leitura" do mundo, do pequeno mundo em 
que me movia; depois, a leitura da palavra que nem 
sempre, ao longo de minha escolarização, foi a leitura 
da “palavra mundo". 
 
4º A retomada da infância distante, buscando _____ 
compreensão do meu ato de “ler" o mundo particular 
em que me ouvia – e até onde não sou traído pela 
memória –, me é absolutamente significativa. Neste 
esforço a que me vou entregando, re-crio, re-vivo, no 
texto que escrevo, a experiência vivida no momento 
em que ainda não lia a palavra. Me vejo então na casa 
mediana em que nasci, no Recife, rodeada de árvores, 
algumas delas como se fossem gente, tal a intimidade 
entre nós – à sua sombra brincava e em seus galhos 
mais dóceis à minha altura eu me experimentava 
_____ riscos menores que me preparavam para riscos 
e aventuras maiores. A velha casa, seus quartos, seu 
corredor, seu sótão, seu terraço – o sítio das avencas 
de minha mãe –, o quintal amplo em que se achava, 
tudo isso foi meu primeiro mundo. Nele engatinhei, 
balbuciei, me pus de pé, Andrei, falei. Na verdade, 
aquele mundo especial se dava a mim como o mundo 
de minha atividade perceptiva, por isso mesmo como 
o mundo de minhas primeiras leituras. Os “textos", as 
“palavras", as “letras" daquele contexto – em cuja 
percepção me experimentava e, quanto mais o fazia, 
mais aumentava a capacidade de perceber – se 
encarnavam numa série de coisas, de objetos, de 
sinais, cuja compreensão eu ia apreendendo _____ 
meu trato com eles, nas minhas relações com meus 
irmãos mais velhos e com meus pais. 
 
Assinale a alternativa que preenche 
corretamente as lacunas do texto: 
a) para – da – nos – a. 
b) a – à – a – ao. 
c) sobre – na – aos – no. 
d) à – da – em – em. 
e) em – a – em – no. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
06)
 
A omissão da preposição “a" em “tomando por base 
a nós mesmos" (l.3) e em “A conclusão a que 
devemos chegar" (l.21) prejudicaria a correção 
gramatical desses dois trechos. 
 
07) 
 
Considerando o emprego das preposições no texto, 
assinale a alternativa correta. 
a) Em “tão diabólica quanto a do procurador e a da 
infração” (linhas 33 e 34), a preposição de, em ambas 
as ocorrências, veicula uma ideia de posse. 
b) O emprego da preposição “contra”, em “contra o 
soberano, o Estado, a lei” (linha 40), é exigido pela 
presença do substantivo “ofensa” (linha 39). 
c) A preposição de, em “do alto” (linha 16), veicula 
uma ideia de origem e introduz um termo com função 
de adjunto. 
d) A preposição por, tanto em “pelo único fato [...]” 
(linha 21) quanto em “por esse indivíduo” (linha 27), 
introduz termos que exercem a mesma função 
sintática. 
e) O termo “de um indivíduo” (linhas 31 e 32) denota, 
graças à presença da preposição “de”, o paciente da 
ação denotada pelo substantivo “lesão” (linha 31). 
8) Considere o texto abaixo para julgar o item que se 
segue. 
 
Questão de relevância na discussão dos efeitos 
adversos do uso indevido de drogas é a associação 
do tráfico de drogas ilícitas e dos crimes conexos – 
geralmente de caráter transnacional – com a 
criminalidade e a violência. 
 
O emprego da preposição “com”, em “com a 
criminalidade e a violência”, deve-se à regência do 
vocábulo “conexos”. 
 
9) Estamos no trânsito de São Paulo, ano 2030. E não 
é preciso apertar os cintos: nosso carro agora trafega 
sozinho pelas ruas, salvo de acidentes, graças a um 
sistema que o mantém em sincronia com os demais 
veículos lá fora. O volante, item de uso opcional, 
inclina-se de um lado para outro como se fosse 
manuseado por um fantasma. Mas ninguém liga pra 
ele - até porque o carro do futuro está cheio de 
novidades bem mais legais. Em vez dos tradicionais 
quatro assentos, o que temos agora é uma verdadeira 
sala de estar, com poltronas reclináveis, mesa no 
centro e telas de LED. As velhas carrocerias de aço 
foram substituídas por redomas translúcidas, com 
visibilidade total para o ambiente externo. Se você 
preferir, é possível torná-la opaca e transformar o 
carro em um ambiente privado, quase como um quarto 
ambulante. Como o sistema de navegação é 
autônomo, basta informar ao computador aonde você 
quer ir e ele faz o resto. Resta passar o tempo da 
forma que lhe der na telha: lendo, trabalhando, 
assistindo ao seu seriado preferido ou até dormindo. A 
viagem é agradável e silenciosa. (Superinteressante, 
novembro de 2014). 
 
O segmento do texto em que a preposição destacada 
faz parte de um adjunto e NÃO é solicitada 
obrigatoriamente por nenhum termo anterior é: 
a) “Estamos no trânsito de São Paulo”; 
b) “salvo de acidentes”; 
c) “em sincronia com os demais veículos lá fora”; 
d) “assistindo ao seu seriado preferido”; 
e) “basta informar ao computador”. 
 
10) A preposição existente em “identificar uma mentira 
contada por e-mail” relaciona dois termos e estabelece 
entre eles determinada relação de sentido. Essa 
mesma ideia está presente em: 
a) As histórias que nascem por mãos humanas são 
muitas vezes pura falsidade. 
b) A pesquisa reforçou o que já se sabia: na internet, 
frequentemente, se vende gato por lebre. 
c) Consumiu-o por semanas a curiosidade de estar 
cara a cara com sua amiga virtual. 
d) Alguns deveriam ser severamente 
penalizados, por inventarem indignidades na rede. 
 
11) A substituição da preposição “de” pelo vocábulo 
por, no fragmento “Pode haver uma janela alta de 
onde eu veja o céu e o mar”, resulta em outro 
significado para o contexto frasal. 
 
 
 
 
12) Nas frases a seguir foram sublinhadas 
preposições. 
 
Assinale a alternativa que indica a preposição 
que não foi solicitada pela regência de nenhum 
termo anterior. 
a) “Não é preciso ter assistido nem à primeira aula de 
Latim".
Página1...8910111213141516