Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
101 pág.
Tutorial _ Engenheiro de Manutenção SAP PM

Pré-visualização | Página 4 de 7

‘afetados por corretivas, e as causas correspondestes, ou 
seja, “O Relatório do perfil de perdas da área”. 
 
01 ° Passo Acesse a transação IW69 
 
 
 
 
 
02 ° Passo Faça os filtros desejados 
 
40 
 
 
Atenção, não se esqueça de inserir o filtro tipo de nota ZC. 
 
03 ° Passo Na seleção de colunas válidas para o relatório, siga o modelo: 
 
 
Veja um exemplo de como ficará: 
 
 
 
Pronto, você estratificou os maiores problemas relatados no SAP! 
 
 
 
 
41 
 
 
 
 
 
 Planejamento dos Serviços (Ordens de Serviço) 
 
 
 
Introdução: 
 
 
As ordens PM disponibilizam várias funções de planejamento e processamento dos 
Serviços de manutenção. 
 
A partir da função planejamento de ordens, é possível: 
 Programar os serviços para um ou mais equipamentos, 
 Descrever os serviços a serem executados em detalhes 
 Especificar quais os Centros de Trabalho (mão-de-obra direta) executarão os serviços 
planejados 
 Descrever as operações individuais que serão executadas em detalhes, e, especificar o 
tempo de execução planejado bem como a quantidade de pessoas envolvidas no 
serviço. 
 Planejar materiais com o auxílio das listas de peças específicas do equipamento, 
 Planejar a contratação de compra de materiais de aplicação direta nas ordens PM. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Passo a Passo Ordem de Manutenção 
 
Neste passo, a nota de manutenção já está criada. Portanto iremos começar a geração 
da ordem, fazendo a correlação correta entre estes dois objetos técnicos, isto é, associar a nota 
com a ordem de manutenção. 
Para tal seguiremos os passos descritos a seguir. 
 
42 
 
 
1° Passo Acessar IW22 
 
 Iniciar digitando o código de transação IW22, no campo de comando indicado abaixo: 
 
 
Pressione a tecla ‘’Enter’ 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2° Passo Informar número da nota 
 
Inserir o número da nota já criada, no campo conforme demonstração abaixo: 
 
 Pressione a tecla ‘’Enter’’ 
 
43 
 
 
 
 
3° Passo Criar Ordem 
 
Clique no botão indicado abaixo: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4° Passo Validar Informações 
 
Clique no ícone indicado abaixo 
 
 
44 
 
 
 
Importante: 
No campo ‘Tipo de Ordem’ deve-se estar atento em selecionar a opção correta. Cada Tipo de 
nota está diretamente ligada ao tipo de serviço a ser executado. Os principais tipos de ordem 
são: 
ZCOR – Ordem corretiva 
ZPRV- Ordem preventiva 
ZINS – Ordem de inspeção 
ZMEL – Ordem de melhoria 
 
 
Uma nova tela surgirá, veja: 
 
 
 
Trata-se da tela de planejamento da ordem e devemos preenche-la conforme passos a seguir... 
 
45 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Preenchendo os dados de cabeçalho da Ordem... 
 
5° Passo Texto da Ordem de serviço 
 
Na caixa de ‘’ Texto da Ordem’’, informar a ação da manutenção a ser executada. 
 
Para preencher este campo existe uma lei de formação de texto padrão, que deve ser 
preferencialmente obedecida. 
 
Veja: 
 
Ação + componente danificado +Tag do equipamento 
 
Nota: 
(Ação deve ser um verbo no infinitivo) 
 
 
 
 
6° Passo TipoAtvMnt 
 
‘’Tipo de atividade de manutenção’’, são códigos que representam os tipos de serviço 
com relação à: preventiva, corretiva, inspeção, preditiva,serviços gerais etc. 
 
Existe uma regra de combinações, portanto fique ligado em quais são elas. 
 
46 
 
 
 Veja: 
 
 Para ordens de preventiva (ZPRV), as opções validas são: E1, E6 
 
E1 – Ordem de serviço preventiva, onde a anomalia foi detectada por um processo de 
inspeção no equipamento. 
 
E6 – Ordem de serviço preventiva, onde a anomalia não foi detectada por um processo 
de inspeção. 
 
 
 
 
 Para ordens de melhoria (ZMEL), as opções validas são: E5 
 
E5 - Ordem de serviço de melhoria. Significa que o usuário deseja criar uma atividade 
melhorias no equipamento, isto é, para elevar a capacidade produtiva do equipamento, 
garantir maior segurança, repotenciamento do equipamento etc. 
 
 
 
 Para ordens de corretiva (ZCOR), as opções validas são: E3, E4 
 
E3 - Ordens de serviço corretiva onde a solução do defeito acontecerá de forma ‘’ paliativa’’ 
E4 - Ordens de serviço corretiva onde a solução do defeito acontecerá de forma ‘’ definitiva’’ 
 
47 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Para ordens de preditiva (ZPRD), as opções validas são: 
 
E2 – Ordens de serviço preditiva. Visa a solucionar a anomalia por métodos preditivos, 
como por exemplo análise vibração. 
 
 
 
48 
 
 
 
 Para ordens de preditiva (ZINS), as opções validas são: 
 
C7 – Ordens de inspeção a serem executadas com o equipamento parado 
C8 – Ordens de inspeção a serem executadas com o equipamento funcionando 
 
 
 
 
 
 
7° Passo CondInst 
 
CondInst é relacionado à ‘Regra de apropriação’. Esta é forma pela qual será feito o 
pagamento dos materiais associados a ordem de manutenção. 
 
Veja lista de opções: 
 
 
 
 
Definições: 
 
1 Norma – Centro de Custo 
 
Centro de custo é, em uma linguagem aberta, correspondente a uma ‘’ conta corrente’’. Ou 
seja, todos os gastos com peças de manutenção atrelados a trocas ‘’ rotineiras’’, devem ser 
associados a essa forma de debitar. 
 
 
 
2 Norma – Equipamento paralisado 
 
Equipamento paralisado também é associado à uma conta para débitos. Porém, esta é uma 
conta a ser usada quando um equipamento ou processo industrial irão passar por longos 
períodos de reforma. Para casos como este, o setor de controladoria da empresa, cria uma 
conta especifica para este fim. 
 
Exemplo grande reforma: revitalização do espessador de rejeitos 
 
49 
 
 
3 Norma–Elemento PEP 
 
Elemento PEP é uma conta associada a Investimento. 
 
Para escolher esta norma (investimento), deve-se estar atento as regras de capitalização da 
empresa. 
 
Regra de capitalização da CSN-Mineração: 
 
Componentes acima de R$30.000 + Vida Útil superior a 12 meses 
 
 
 
8° Passo Prioridade 
 
Veja lista de opções: 
 
 
 
 
 
 
Este campo está relacionado a aquisição (compra) dos materiais necessários a 
manutenção. 
Para que seja gerado compra de materiais via ordens, este, deverá estar enquadrado dentro dos 
seguintes códigos de MRP: PD, P1 e ND 
 
Mas, o que é MRP? 
MRP é a sigla de material requirement planning, que pode ser traduzido por planejamento 
das necessidades de materiais. O MRP usa uma filosofia de planejamento. A ênfase está na 
elaboração de um plano de suprimentos de materiais, seja interna ou externamente. 
 
Em outras palavras, é a ‘inteligência’ de reposição daquele material, isto é, é regido por um 
conjunto de regras que irão garantir por exemplo, a disponibilidade daquele material em 
estoque em tempo hábil. 
 
Logo: 
 
50 
 
PD 
Item que somente é reposto através de uma reserva gerada pelo usuário. Significa que 
este tipo de material somente é adquirido pela empresa quando há necessidade. 
Exemplo: Redutores, Transformadores, Roda de Caçamba entre outros. 
ND 
São materiais inativos, alienados com pendencia técnica como por exemplo revisão do 
desenho. 
P1 São materiais que não possuem característica de estoque e nem de consumo 
 
 
 
 
Mas, qual o intuito de cada “prioridade”? 
 
 
Definições: 
 
P0- Imediato:
Página1234567