Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
52 pág.
IP_e_Resistividade_na_prospeccao_de_ouro

Pré-visualização | Página 2 de 10

materiais geológicos. 
Nesse trabalho descreve-se a metodologia utilizada para caracterizar a 
arquitetura faciológica e acamadamento dos sedimentos do canal, com os 
métodos de resistividade elétrica e polarização induzida relatando 
pseudoseções e mapas de cargabilidade obtidos pelo método de resistividade 
e polarização induzida fazendo a sua correlação com dados diretos de furos de 
sondagem, associando os resultados obtidos para confeccionar uma seção 
interpretada, um modelo que relata de forma clara os benefícios da integração 
da geologia com a geofísica. 
 
 
PALAVRAS-CHAVE: Prospecção Mineral, Geofísica Aplicada, 
Polarização Induzida, Resistividade e Furos de Sondagem. 
SUMÁRIO 
 
 
LISTA DE FIGURAS 
LISTA DE FOTOS 
CAPITULO 1 – INTRODUÇÃO 11 
1.1 – APRESENTAÇÃO 11 
1.2 – OBJETIVO 12 
1.3 – LOCALIZAÇÃO E SITUAÇÃO 12 
1.4 – TRABALHOS ANTERIORES 14 
CAPITULO 2 – MATERIAIS E MÉTODOS 15 
2.1 – LEVANTAMENTOS BIBLIOGRÁFICOS 15 
2.2 – LEVANTAMENTOS DE CAMPO 15 
2.3 AQUISIÇÃO E PROCESSAMENTO DE DADOS 18 
CAPITULO 3 – FUNDAMENTAÇÕES TEORICA 24 
3.1 – GEOFÍSICA 24 
3.1.1 Resistividade das rocas e dos minerais 26 
3.1.2 Procedimento e Arranjo 29 
3.1.3 Arranjo Dipolo-Dipolo 31 
3.1.4 Profundidade de análise 32 
3.1.5 Método Polarização induzida – IP 33 
3.1.6 Limitações e Capacidades 35 
CAPITULO 4 GEOLOGIA 37 
CAPÍTULO 5 – RESULTADOS E DISCUSSÕES 41 
CAPÍTULO 6 – CONCLUSÕES E SUGESTÕES 49 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 52 
 
 
 
 
 
 
 
 
LISTA DE FIGURAS 
 
Figura 5.1: Modelo de Arranjo de Blocos e Pontos de Dados de Resistividade 
Aparente para espaçamento de 5 metros. 
Figura 5.2: Modelo e Arranjo de Blocos e Pontos de Dados de Resistividade 
Aparente para espaçamento de 2,5 metros. 
Figura 5.3: Pseudoseções de Cargabilidade Aparente e Calculada e Seção 
geoelétrica invertida. As imagens mostram o contorno da cargabilidade 
perpendicularmente ao Riacho do Incó, com espaçamento entre os eletrodos 
de 5/5m na linda de sondagem 13. A imagem mostra a profundidade em 
metros no lado esquerdo, a extensão da linha de sondagem em metros na 
parte superior e a Cargabilidade em mV/V com a escala de cores em baixo das 
imagens. 
Figura 5.4: Pseudoseções de Cargabilidade Aparente e Calculada e Seção 
geoelétrica invertida. As imagens mostram o contorno da cargabilidade 
perpendicularmente ao Riacho do Incó, com espaçamento entre os eletrodos 
de 2.5/2.5m na linda de sondagem 13. Na imagem a profundidade em metros 
no lado esquerdo, a extensão da linha de sondagem em metros na parte 
superior e a Cargabilidade em mV/V com a escala de cores em baixo das 
imagens. 
Figura 5.5: Pseudoseções de Resistividade Aparente Medida e Calculado e 
Seção geoeletrica invertida da resistividade. As imagens mostram o contorno 
da resistividade perpendicularmente ao Riacho do Incó, com espaçamento 
entre os eletrodos de 5/5m na linda de sondagem 13. Na imagem a 
profundidade em metros no lado esquerdo, a extensão da linha de sondagem 
em metros na parte superior e a resistividade em ohm.m relacionada a escala 
de cores em baixo das imagens. 
Figura 5.6: Pseudoseções de Resistividade Aparente Medida e Calculado e 
Seção geoeletrica invertida da resistividade. As imagens mostram o contorno 
da resistividade perpendicularmente ao Riacho do Incó, com espaçamento 
entre os eletrodos de 2,4/5,2m na linda de sondagem 13. Na imagem a 
profundidade em metros no lado esquerdo, a extensão da linha de sondagem 
em metros na parte superior e a resistividade em ohm.m relacionada a escala 
de cores em baixo das imagens 
Figura 5.7: Pseudoseção Interpretada; limites de resistividade aparente 
associados a litologia demarcada através dos furos de sondagem; mostrando 
que o método geoelétrico associado com o furo de sondagem delimita, 
profundidade, largura e litologias associadas ao paleocanal. As cores referem-
se aos padrões de resistividade da litologia mostrando sua largura e 
profundidade em metros. Este perfil foi interpretado usando as pseudoseções 
geradas pelo software de inversão e as interpretações dos furos de sondagens 
da linha 13 da MFB. 
 
 
 
LISTA DE FOTOS 
 
Foto 01: Disposição dos eletrodos em linha de sondagem. Foto com visada para norte, trecho 
perpendicular ao Riacho do Incó, Mineração Fazenda Brasileiro, Barrocas, Bahia, Brasil. 
Foto 02: Disposição dos eletrodos, de 5,0m em 5,0m, ligados por fios ao 
resistivímetro SiscalPro, 
Foto 03: Resistivimetro IRIS SYSCAL Pro com 10 canais. Com cabos 
acoplados aos eletrodos. 
 
 
 
 
 
 
 
11 
 
 
1.0 INTRODUÇÃO 
 
1.1 APRESENTAÇÃO 
 
O caso deste trabalho refere-se à prospecção mineral, tendo como principal 
ferramenta a geofísica aplicada, em particular a eletroresistividade e a 
polarização induzida (IP). Estes métodos além do aparelho com alta 
capacidade de leitura e armazenamento de informações também processa os 
dados de forma idônea, computando os dados medidos em campo através de 
softwares que geram imagens em até 3D, determinando padrões associados 
ao verdadeiro. 
Para prospecção de ouro este caso é particular, sendo que não se trata de 
uma medida direta associada ao minério e sim ao seu ambiente de 
acumulação, levando em consideração que diretamente há a discriminação de 
condutores disseminados no ambiente pela polarização induzida. A aplicação 
do método pode ser bastante útil na delimitação e discriminação das litologias 
associada a uma jazida integrando dados obtidos pela geofísica com os do 
fundo de sondagem da geologia. O acúmulo de sedimentos drenados das 
rochas mineralizadas pode gerar uma nova fonte de extração de ouro. Essa 
possibilidade motivou uma pesquisa sobre o potencial de mineralização nos 
aluviões nessa drenagem, através dos métodos geofísicos de Resistividade e 
Polarização Induzida (IP). Aplicados em um trecho do riacho, com o objetivo de 
delimitar seus parâmetros geométricos e sua arquitetura faciológica. 
O contraste existente entre as propriedades físicas de cargabilidade e 
resisitividade do meio envolvido torna a delimitação do ambiente de deposição 
propício à identificação da zona de acumulação do minério de ouro, tornando 
possível através de furos de sondagem identificar o potencial produtor da área 
em questão. 
“Nos levantamentos geofísicos de campo, não se
Página12345678910