A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Trabalho Patologia

Pré-visualização | Página 4 de 5

descendo, o metabolismo vai diminuindo e as funções vitais vão abrandando, entre elas a cardíaca e a respiratória. A vítima afectada por hipotermia evidencia sensação de debilidade, palidez, tremor generalizado, uma rigidez muscular inicial que, posteriormente, se transforma em flacidez e uma progressiva alteração do nível de consciência que vai desde um estado de apatia e sonolência até ao coma.
Por fim, caso o problema não seja solucionado, pode provocar uma paragem cardiorrespiratória que, caso não se proceda ao tratamento imediato, provoca a morte da vítima.
B) Corrente elétrica:
“Em um choque elétrico é a intensidade da corrente elétrica a que produz o dano à vítima”. Em geral, quanto mais durar a intensidade da corrente circulando através do corpo, mais graves serão as lesões que causará. Quanto maior for a tensão, maior será a corrente e os efeitos serão mais graves.
As lesões por choque elétrico são graves se a corrente passa pelos centros nervosos, ou muito perto deles e dos órgãos vitais. Além de diversas lesões externas (queimaduras da pele e combustão de cabelos, etc.), podem originar transtornos durante algum tempo depois, como a perda da memória (amnésia), delírio, estado de excitação furiosa, paralisia parcial (por lesões dos centros nervosos centrais) ou paralisia parcial de natureza periférica (por lesão dos nervos periféricos; neurite).
Na maioria dos casos de acidentes que ocorrem no lar ou nos comércios, a corrente circula das mãos para os pés e, ao fazê-lo assim, passa pelo coração e pulmões, podendo os resultados ser muito graves como parada cardíaca e parada respoiratória.
C) Queimaduras:
A ocorrência de queimaduras na superfície do corpo humano resulta na perda ou comprometimento da barreira de proteção da pele, que acaba interferindo no equilíbrio entre a microbiota normal e o tecido sadio. Desta forma, o paciente torna-se susceptível a invasões de microrganismos patogênicos por via linfática ou sanguínea, possibilitando infecções nestes locais.
A lesão resulta em grave estresse oxidativo, produzido por uma combinação de isquemia e reperfusão, acompanhado de reações inflamatórias que irão afetar os diversos mecanismos de defesa do organismo.
Outros fatores também favorecem a sepse no queimado, como a imunossupressão decorrente da lesão térmica, a possibilidade de translocação bacteriana gastrointestinal, a internação prolongada e o uso inadequado dos antimicrobianos, levando ao surgimento de bactérias com multiresistência antimicrobiana.
D) Radiações
Efeitos das radiações
Grandes doses de radiação ionizante podem causar doença aguda reduzindo a produção de células sanguíneas e danificando o trato digestivo.
Uma dose muito grande de radiação ionizante também pode danificar o coração e os vasos sanguíneos (sistema cardiovascular), o cérebro e a pele.
As lesões provocadas por radiação devido a doses grandes e muito grandes são designadas reação do tecido. A dose necessária para causar lesão visível do tecido varia com o tipo de tecido.
A radiação ionizante pode aumentar o risco de câncer.
A exposição de espermatozoides e óvulos à radiação traz um pequeno aumento do risco de defeitos genéticos nos descendentes.
A ação das radiações sobre as células provoca rupturas nos elos moleculares, o que consequentemente origina alterações químicas e danos no material genético.
30) Com relação aos agentes químicos causadores de lesões, diferencie agentes de efeitos previsíveis e os de efeitos imprevisíveis. 
Os efeitos previsíveis estão ligados a características comuns, como a dose e o efeito produzido (que são semelhantes mesmo entre indivíduos diferentes), estando associados a fatores como idade, metabolismo, gênero, doenças preexistentes e associação com outras drogas (ex. fármacos).
Os efeitos imprevisíveis, por outro lado, estão geralmente ligados ao perfil genético de cada indivíduo. A condição na qual um determinado agente químico apresenta um efeito imprevisível é conhecida como idiossincrasia. 
31) O que significa idiossincrasia? 
A condição na qual um determinado agente químico apresenta um efeito imprevisível é conhecida como idiossincrasia
32) Cite 5 exemplos de agentes biológicos causadores de lesões. ¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿w
Lesões em infecções virais: Após ultrapassar as barreiras naturais do corpo e se disseminar pelo organismo, o vírus penetra nas células e provoca sérios danos.
Lesões em infecções bacterianas: A propriedade de uma cepa bacterina em provocar lesões é conhecida como virulência e depende da presença de diversos genes no cromossomo responsáveis pela codificação dos chamados fatores de virulência.
Toxinas bacterianas: As endotoxinas, componentes da membrana externa de bactérias gram-negativas, tem importância em diversos processos fisiológicos e patológicos no organismo.
33) O que significa efeito citopático? 
O efeito direto ou citopático ocorre devido à interação do micro-organismo com células do hospedeiro, causando uma disfunção celular seguida de morte. É considerado um mecanismo frequente dos vírus, mas que pode ocorrer em alguns tipos específicos de riquétsias, bactérias e protozoários.
34) Sobre lesões caudadas por bactérias, defina e cite exemplo de endotoxina e exotoxina.
As exotoxinas são proteínas sintetizadas por bactérias gram-positivas e gram -negativas na fase exponencial de seu crescimento, são compostas por dois componentes, o componente A (ativo) com atividade enzimática, que é responsável pelo efeito biológico; e o componente B (ligante), responsável pela ligação da exotoxina com a superfície celular do hospedeiro.
endotoxinas, moléculas endógenas estruturais ou armazenadas no interior dos microrganismos que são liberadas após sua morte. Estas toxinas podem atuar afetando células distantes do local da produção, liberando enzimas que degradam tecidos ou induzindo danos diretos em vasos sanguíneos que podem levar à necrose isquêmica.
35) Defina degeneração hidrópica.
 (processo caracterizado pela tumefação celular decorrente da falência de bombas eletrolíticas de íons dependentes de ATP), perda de microvilosidades, depleção das reservas intracelulares de glicogênio e acúmulo de ácido lático e acúmulo de triglicerídeos. 
36) O que significa degeneração hialina e degeneração mucoide. 
Na degeneração hialina ocorre o acúmulo massivo de material proteico decorrente de uma síntese proteica defeituosa ou da apresentação excessiva de proteínas à célula. Além disso, pode ocorrer a formação de estruturas denominadas corpúsculos, que são verdadeiros condensados proteicos. A degeneração hialina é considerada uma alteração celular grave, podendo ser encontrada em diversas condições.
degeneração mucoide associam-se a condições patológicas tais como inflamação das mucosas, hiperprodução de mucina por células mucíparas dos tratos digestório e respiratório, e síntese maciça de mucina em alguns tipos de cânceres. 
37) Defina esteatose e cite as principais causas tóxicas, anoxicas e dietéticas.
Esteatose é definida como sendo o acúmulo anormal de gorduras neutras no citoplasma de células que usualmente não as armazenam, como células do miocárdio, do músculo esquelético, do epitélio tubular renal e, principalmente, do fígado.
Causas tóxicas: dentre as diversas substâncias que potencialmente induzem esteatose (fósforo, tetraciclinas), o álcool (etanol) é um dos principais responsáveis pelos danos hepáticos observados nesta enfermidade.
Causa anóxica: condições que provocam redução da produção de ATP devido a uma diminuição na disponibilidade de O2 para o ciclo de Krebs induzem tanto o aumento na síntese de ácidos graxos a partir do excesso de acetil-CoA quanto a diminuição na síntese de lipídeos complexos.
Causas dietéticas: a carência proteica e a redução da síntese de apoproteínas são responsáveis pelo decréscimo na formação de lipoproteínas e pela eliminação de triglicerídeos, ao passo que a ingestão calórica deficiente provoca a saída de lipídeos do tecido adiposo, aumentando o transporte de ácidos