Regência verbal sem preposição
9 pág.

Regência verbal sem preposição


DisciplinaPortuguês69.535 materiais1.596.179 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Português - Gramática 
 
 
 
 
REGÊNCIA VERBAL SEM PREPOSIÇÃO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1 
 
 
Sumário 
 
Introdução ........................................................................................................................................ ..2 
 
Objetivo................................................................................................................................................2 
 
1. Verbos transitivos diretos ..........................................................................................................2 
1.1. Casos de regência verbal sem preposição ......................................................................3 
1.2. Verbos que admitem mais de um significado .................................................................5 
 
Exercícios .............................................................................................................................................6 
 
Gabarito ...............................................................................................................................................6 
 
Resumo ................................................................................................................................................6 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 
 
Introdução 
Na aula \u201cRegência verbal com preposição\u201d estudamos os casos em que a 
regência verbal ocorre com verbos transitivos indiretos, casos estes que exigem o 
uso de preposição. 
Já nesta aula, vamos compreender que também existem casos de regência 
verbal sem preposição, cujos verbos são transitivos diretos, isto é, não exigem o uso 
de preposição. Além disso, vamos analisar alguns verbos que admitem mais de um 
sentido, e dependendo desse sentido, não vêm preposicionados. 
Objetivos 
\u2022 Caracterizar verbos transitivos diretos; 
\u2022 Especificar os casos de regência verbal sem preposição. 
 
1. Verbos transitivos diretos 
Conforme já estudamos, na regência verbal o que se analisa é a relação que o 
verbo estabelece com seu complemento, isto é, se esse verbo é transitivo direto, 
indireto, direto e indireto ou intransitivo (sem complemento). 
Assim, quando analisamos a regência dos verbos, identificamos se o seu 
complemento é um objeto direto, indireto, se há ambos os objetos presentes, ou, 
ainda, se não há complementos. 
Vamos analisar 4 (quatro) exemplos para refrescar sua memória em relação 
ao assunto. 
\u2022 Chamei todos os funcionários para a reunião. (verbo transitivo direto) 
\u2022 Os fiscais procederam à prova com atraso. (verbo transitivo indireto) 
\u2022 Irresponsabilidade pública custa sofrimento ao povo. (verbo transitivo 
direto e indireto \u2013 sentido de causar incômodo) 
\u2022 Os sapatos custaram noventa reais. (verbo intransitivo \u2013 sentido de 
precificar) 
Percebemos que o verbo \u201cchamar\u201d do primeiro exemplo é transitivo direto 
por ter como seu complemento um objeto direto, que vem sem preposição, 
enquanto os demais verbos transitivos a acompanham. 
Desse modo, em um período, quando um verbo não exigir o uso da 
preposição para complementar o seu sentido, a relação de dependência entre o 
termo regente e o termo regido ocorrerá independentemente da preposição. 
Vamos, então, analisar mais de perto os casos de regência verbal sem 
preposição, a qual ocorre com verbos transitivos diretos. 
 
3 
 
1.1. Casos de regência verbal sem preposição 
Vamos ver os 10 casos de verbos transitivos diretos mais comuns que 
dispensam o uso da preposição. 
 
VERBOS SENTIDO 
ASPIRAR Absorver, cheirar. Ex.: Aspirei a brisa da tardinha. 
ASSISTIR Auxiliar, prestar assistência. Ex.: O médico assistiu o paciente. 
VISAR Mirar, dar visto. Ex.: O gerente visou o cheque do cliente. 
QUERER Desejar, intencionar (não estimar). Ex.: Quero muito a 
passagem. 
CHAMAR Convocar, mandar vir. Ex.: Chamaram apenas alguns para cá. 
IMPLICAR Acarretar. Ex.: Discursos de ódio implicam desavenças. 
DESFRUTAR Usufruir. Ex.: Desfrutamos as nossas férias muito bem. 
NAMORAR Namorar. Ex.: Namorei um homem mais velho por meses. 
COMPARTILHAR Repartir. Ex.: Ele compartilhou a sua alegria com todos. 
ESQUECER Sem pronome. Ex.: Esquecemos a sua data de aniversário. 
 
Tanto os verbos esquecer quanto lembrar, quando não vêm acompanhados 
de pronome, dispensam o uso de preposição. 
 Ex.: Lembrei-me da sua data de aniversário. 
SAIBA MAIS! 
 
 
 
 
 
 
Sabemos que quando um verbo está na voz passiva, é o sujeito da oração que 
sofre a ação expressa pelo verbo. Vamos relembrar rapidamente: 
 
Apenas verbos transitivos diretos admitem a voz 
passiva, com exceção dos verbos: obedecer, pagar e 
perdoar, que são transitivos indiretos e admitem a voz 
passiva. 
Ex.: Os pais foram obedecidos pelos filhos. 
Adaptado pela autora (2019) de BECHARA (2009). 
 
 
4 
 
EXEMPLO 
 
 
 
Agora fica mais fácil para você descobrir se um verbo é transitivo direto, ao 
tentar colocá-lo na voz passiva. 
 
 
01 
 
Dicas sobre os verbos transitivos diretos. 
Fonte: Deduca (2019). 
 
O que fica claro em nosso exemplo é que alguém aplaude alguém, e não a 
alguém. Por isso, o verbo aplaudir é transitivo direto e seu complemento (os 
jogadores), um objeto direto. 
A seguir, veremos que alguns verbos admitem mais de um significado e por 
essa razão, dispensam o uso de preposição. 
 
\u2022 A torcida aplaudiu os jogadores. (voz ativa) 
 (v. transitivo direto) 
\u2022 Os jogadores foram aplaudidos pela torcida. 
 (voz passiva) 
 
 
5 
 
1.2. Verbos que admitem mais de um significado 
Vimos que verbos como aspirar, assistir e querer admitem mais de uma 
regência, ou seja, podem vir ou não acompanhados de preposição. 
Mas vamos observar três outros casos: 
 
\u27a2 CHAMAR: Este verbo no sentido de convocar, mandar vir, dispensa 
preposição. Já no sentido de apelidar, exige o uso de preposição. 
EXEMPLO 
 
\u27a2 VISAR: Este verbo no sentido de mirar ou dar visto, dispensa 
preposição. Já no sentido de almejar, pretender, exige o uso de preposição. 
 
 
\u27a2 PROCEDER: Este verbo pode ser transitivo indireto, exigindo as 
preposições a e de, ou pode ser intransitivo. No sentido de ter fundamento dispensa 
preposição, porque é intransitivo! Observe: 
 
a) No sentido de ter fundamento: Usa-se sem preposição. 
Ex.: Seus argumentos não procedem. 
 
b) No sentido de originar-se, vir de algum lugar: exige a preposição \u201cde\u201d. 
Ex.: Muitos males da humanidade procedem da falta de respeito ao próximo. 
 
c) No sentido de dar início, executar: usa-sea preposição \u201ca\u201d. 
Ex.: Os advogados procederam à lei. 
EXEMPLO 
 
 
 
\u2022 Chamei Verônica para o jogo. 
\u2022 Chamei de amiga Verônica. 
 
 
\u2022 A inclusão da cláusula procede à lei. 
\u2022 Minha tia procede da Itália. 
 
 
 
6 
 
Por isso, é importante identificarmos o significado dos verbos, em qual 
contexto estão inseridos, além de diferenciar a transitividade presente neles para 
uma regência verbal adequada. 
Então, vamos exercitar o que estudamos até aqui? 
Exercícios 
1. Com base no estudo sobre regência verbal sem preposição, analise as 
orações e identifique a única correta. 
a. A mãe custava a sentir a frustração da filha. 
b. Lembramo-nos que a sua viagem seria hoje. 
c. Felipe chamou à Isabel para irem juntos para a festa. 
d. Os espectadores aplaudiram todos os artistas do palco. 
 
2. Sabendo que geralmente verbos transitivos diretos admitem a voz passiva, 
marque a alternativa