Câncer de mama
4 pág.

Câncer de mama


DisciplinaGinecologia1.687 materiais13.100 seguidores
Pré-visualização1 página
Marcela Maria Lopes Costa - 14º Turma de Medicina UEMA 
Ginecologia 
Câncer de Mama 
 
1.0 EPIDEMIOLOGIA 
É o câncer ginecológico mais prevalente. O RJ e RS são 
os estados com maior prevalência. 
Fatores de risco 
\u2022 Idade e sexo 
\u2022 BRCA 1 e BRCA 2 \u2013 diagnóstico mais precoce 
(<50 anos) 
\u2022 Menarca precoce e menopausa tardia \u2013 CA de 
mama é hormônio dependente 
\u2022 TH no climatério 
\u2022 Nuliparidade 
\u2022 Obesidade \u2013 a gordura tem ateromatase, que 
faz conversão periférica de androgênio em 
estrona 
\u2022 \u2191 densidade mamária na MMG em idade pós-
menopausa 
\u2022 Álcool. OBS: tabagismo tem relação somente 
com CA de colo uterino 
Os genes supressores tumorais: 
BRCA1 \u2013 relacionado com CA de ovário 
BRCA2 \u2013 relacionado com CA de mama masculino 
Pacientes que possuem mutação nesses genes, 
possuem 60-85% de lifetime risk 
É importante lembrar que a mastectomia após rastreio 
dos genes não é entendida como profilática, pois 
apenas reduz o risco de desenvolvimento do câncer. 
10% dos tumores de mama são genéticos. 
 
2.0 RASTREAMENTO 
\u2022 Autoexame: não se indica mais pois não reduz 
mortalidade. 
\u2022 Exame clínico: não há recomendação 
específica 
\u2022 Mamografia 
o 50-69 anos a cada 2 anos 
o Rastreio antes dos 50 anos não reduz 
mortalidade. Faz mamografia somente 
se encontrar alteração. 
o Grupo de alto risco deve ter o rastreio 
aos 35 anos a cada ano 
§ Histórico familiar de 1º grau 
antes dos 50 anos 
§ Familiar de 1º grau com CA de 
mama nas duas mamas - 
independente da idade 
§ Familiar de 1º grau com CA de 
ovário - independente da idade 
§ Câncer de mama masculino na 
família 
§ Achado em biópsia prévio com 
risco de câncer 
 
 
 
Marcela Maria Lopes Costa - 14º Turma de Medicina UEMA 
 
 
3.0 DIAGNÓSTICO 
Clínica: 
\u2022 Assintomático, tumor palpável unilateral 
endurecido e indolor. 
\u2022 Nódulo fixo em aspecto de pêssego 
\u2022 Achado mamográfico \u2013 EXAME DE 
RASTREAMENTO! 
\u2022 Derrame papilar \u2013 mais raramente. O mais 
característico é em \u201cágua de rocha\u201d. 
 
A fim de fechar o diagnóstico é necessário fazer CORE 
BIOPSY (biópsia com agulha grossa) pois analisa 
Histologia e não somente citologia. 
 
 
 
4.0 TIPO HISTOLÓGICOS 
\u2022 A maioria são carcinomas ductais. 
\u2022 O carcinoma lobular possui mais tendência de 
bilateralidade e multicentridade. 
\u2022 Tumores filoides: tumor com maior tendência 
a recorrência local. Cerca de 20% desses 
tumores tornam-se malignos. 
\u2022 Doença de Paget: desordem eczematoide do 
mamilo e da aréola, geralmente unilateral e 
de evolução lenta. 
Definimos como in situ quando está restrito ao 
epitélio e não invade membrana basal. 
Mas existem outros tipos de CA de mama como o 
papilar, medular... mas menos frequentes. 
 
 
5.0 DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS 
\u2022 Esteatonecrose \u2013 pós trauma 
\u2022 Cicatriz radial \u2013 nódulo benigno que possui 
espículas 
\u2022 Tumor phyllodes \u2013 tumor benigno que causa 
grandes deformidades na mama 
 
6.0 TRATAMENTO 
 
 
 
 
Marcela Maria Lopes Costa - 14º Turma de Medicina UEMA 
O tratamento conservador de setorectomia + 
radioterapia possui a mesma taxa de recidiva de uma 
cirurgia radical. 
 
CIRURGIA RADICAL X CONSERVADORA 
\u2022 Relação tumor/mama \u2013 tentar manter o 
máximo de mama possível 
\u2022 Gestantes \u2013 não faz radioterapia. Mas se a 
gestação já for de 3º trimestre, podemos fazer 
a conservadora + radio após parto. 
\u2022 Doenças do colágeno \u2013 contraindicação de 
radioterapia. 
\u2022 Tumores multicêntricos \u2013 melhor fazer 
radical. 
\u2022 Radioterapia prévia \u2013 indica cirurgia radical. 
 
O câncer de mama é o mais fiel há teoria do linfonodo 
sentinela. Para identifica-lo podemos fazer injeção de 
Azul patente ou Radiofármaco e massageamos a 
mama por 7 min para identificar o linfono sentinela, 
o qual é dissecado e enviado para patologia e 
identificação se há metástases. 
Caso seja identificado metástases, é necessário de 
fazer dissecção de demais linfonodos. 
 
Novas perspectivas: Não fazer linfadenectomia se... 
1. Setoterectomia \u2013 a radio pega região da axila 
2. Tumores até 5cm 
3. Até 2 linfonodos positivos 
4. Primeira Intervenção 
 
Após a ressecção cirúrgica, mandamos a peça para 
patologia e IMUNOISTOQUÍMICA que identifica 
marcadores como: 
\u2022 RE 
\u2022 RP 
\u2022 Ki-67 \u2013 índice de proliferação do tumor 
\u2022 Her-2 (c-erb-B2) \u2013 também funciona como 
índice de proliferação. 
 
TRATAMENTO ADJUVANTE 
RADIOTERAPIA 
Sempre indicada em cirurgia conservadora 
Indicada em cirurgia radical quando: 
\u2022 Llimites comprometidos em pele e parede 
torácica ou+ 4 linfonodos acometidos. 
 
QUIMIOTERAPIA 
Tratamento sistêmico com uso de Antraciclinas e 
Taxanos. 
Fazemos quando: 
\u2022 Linfonodo sentinela + 
\u2022 Existem casos em que é feito mesmo quando 
axila negativa... mas isso depende de 
algoritmos específicos da oncologia. 
Quimioterapia neoadjuvante: 
\u2022 Tumores volumosos nos quais se pensa em 
reduzi-los e somente depois fazer uma 
cirurgia conservadora. 
\u2022 Mas também podemos fazer o teste da 
sensibilidade in vivo em casos de ressecção 
prévia. 
 
HORMONIOTERAPIA 
Marcela Maria Lopes Costa - 14º Turma de Medicina UEMA 
Trata-se de um medicamento para uso por 5 anos 
caso a paciente tenha em sua imunoistoquímica 
receptores de estrogênio e progesterona positivos. 
\u2022 Tamoxifeno 
\u2022 Inibidor de aromatase \u2013 pacientes pós 
menopausa. 
 
TRASTUZUMABE 
Usado para bloqueio HER-2 e diminui recidiva. 
 
7.0 FATORES PROGNÓSTICOS 
RECIDIVA LOCAL 
\u2022 Estado das margens 
\u2022 Grau nuclear 
\u2022 Tamanho do tumor 
\u2022 Tipo histológico 
 
RECIDIVA SISTÊMICA 
\u2022 Status axilar 
 
8.0 CASOS ESPECIAIS 
Carcinoma inflamatório 
Êmbolos tumorais que acabam saindo do tumor e 
indo para a pele, produzindo um sintoma de mastite. 
Deixando até um aspecto de casca de laranja. Tona 
necessário biópsia da pele. 
 
Sempre necessário fazer QT neoadjuvante e 
mastectomia. 
Possui prognóstico ruim. 
 
Carcinoma de paget 
Cancer de Aréola e mamilo desenvolvendo área 
descamativa e pruriginosa, sendo necessário fazer Dx 
diferencial com eczema. 
 
Tratado com setorectomia. 
 
Câncer de mama no homem 
\u2022 1 : 135 
\u2022 Mais associado a mutação no BRCA 2 
\u2022 Sempre fazer cirurgia radical