A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
45 pág.
Guia Completo da Cor

Pré-visualização | Página 9 de 11

vermelho. o amarefo e o azuf,as tracfícíonaís cores pnmanas,
não estão distribuídas por igual em torno do círculo.
o CíRCULO DE PIGMENTO
Os círculos cromáticos produzidos por teóricos mais rece ntes
foram, quase sempre, baseados numa dist ribuição eq üidistante das
core s primárias - quaisquer que fossem elas. O círculo típico de
pigmentos usa vermel ho , amare lo e azul, o imp erfeito sistema de
mistura subt rativo, gera lmente adotado por aqueles que trabalham
com tintas, tecidos ou outros materiais reflexivos. Entremeadas
co m as cores primárias, no círculo, há três secundárias, cada uma
de las represe nta ndo um a mistu ra das pr imárias circundantes. Seis
outras cores terciárias são, então, entremeadas para dar um to tal
de doze matizes.
O círculo de pigm entos não funciona bem para mistu ras
partitivas. Aqui, a relação-chave é entre cores e suas imagens
residuais negativas, mas estes pares não são enco ntrados em lados
opostos um ao outro , no círculo cro m ático , Prod uz-se uma
aprox imação mais minuci osa de pares de contras te simultâneo pela
adição do verde ao círcu lo, como uma quarta cor primár ia. O
círculo visual resultante tem sido usado desde a renascença, antes
que a operação da mistu ra partitiva fosse inteiramente
Acima à esquerda; As cores
básicas tradicionaisusadas na
mistura de pigmentossão
verme lho, ama relo e azu l. Um
círculo cromático baseado nessas
cores primárias mostra ao pintor
quaismatizesdeveriam ser
combinados para produzir outras
cores. Note a limitaçãocomum a
todos os círculos cromáticos
básicos: só os matizes puros
aparecem - ouseja, sóum nível de
saturação e brilho - e oferecem-se
sóduas combinações primárias.
O Cí RCU LO DO ARTISTA
Acima:Adicionar overde como uma
quarta cor primária cria um círculo
cromáticoalternativo, que também
é Largamente usado por artistas.
Embora o Leque totaLde mat izes
produzidos nãoseja
significantemente diferente, os
pares compLementares - matizes
opostosum ao outro no círculo -
variam Ligeiramente. Por certo, os
pintores normaLmente trabaLham
com uma paLeta de muitos
pigmentos,além das cores
primárias.
Abaixo: Est e s imples círculo cromá tico most ra como
as luzes verme Lha , verde e azu l se com binam para
resu ltar nas cores secundárias da no. magenta e
amare Lo. Os circulos crom át icos e m softwa re de
computador se baseiam nele, mas mostram
gradu ação contín ua en tre matizes, em Lugar de
interrupções discretas.
o CÍRCULO DE PROCESSO O CÍRCULO DE LUZ
.a Quando as cores são
adas subtrativamente
pre ssào colorida, o
·0 dec ide a porcentagem
cada tinta a ut ilizar. Qua nto
a porcentagem, mais
a COf. Os matizes puros
eroduzldcs usando uma
... a s tintas. Este círculo
ra 100% magenta. dano e
lo como pr imárias Ino
"do do re Ló gio, a pa rtir do
I; 100% de ca da pa r como
nd árias, for ma ndo
e lho, az ul e verd e ; e
+ 50% de combinações
cores ter ciár ias.
co mpreendida. N o século X.X,Albert ,\ Iunsell
(rerp. -/6) tentou melhorar mais ainda o
casamento de com plementos, adicionando uma
quinta cor primária, o violeta.
Em bo ra os cí rculos cro máticos
indiquem qu ais mati zes devem se r mistu rad os
par a pr oduzir mati zes sec undários e terciári os,
eles não mostram a qu antidad e qu e será
nece ssár ia de cada um . Como o valor e a
saturação da s co res prim árias varia, serão
ind ispens áveis proporções desiguais para
produzir um a cor visualmente cqüidistante aos
seus do is compone ntes . Alguns pi nt ores,
frustrados pe la imprecisão técn ica e inutilidade
prática do s círcu los cr om áticos-padrão, uniram
seus próprios diagramas mostrando a exata
localização de cores especí ficas de tinta dentro
de um círculo cro rmirico . Vários exemplos
desses círculos cro má ticos pod em se r enco ntrados em
ferra me ntas de bu sca da \ Veb, di git and o "color wh eel".
O círculo cro mático de processo mostra como as tintas
ciano, magenta e amarelo combinam. Ao co ntrá rio de outros
círculos cro máticos subtrativos, este mostra um espectro co mp leto
de co res, incluindo verm elh o, verde e azul (RG B) como
secundárias relativamente puras. Semelhante a isso, ao inverso, o
círculo cromát ico aditivo RGB , ou círculo de luz, mostra o
resu ltado de misturar luz com ciano, magenta e amarelo
aparecendo como secundárias. É usado por projetistas de luz e
qua lque r outra pesso a que trabalhe com mídia translú cida.
O RGB tam b ém é o mo delo usual para espec ificação de
cor no computador, com valores dados em por centagens, ou em
uma escala de Oa 2;5. Como combina as cores prim árias
detectadas pelo olho humano e torna a mistura relativamente
simples, o RGB não é uma má escolha , mas você precisa ter em
mente que cores opostas, no círculo, não são complem entos
parti cularmente bons para efeitos contrastantes simu lt âneos.
capi tu lo 03. os sistemas de cor 41
HARM oNIA DAS CORES Qualquer que seja o círculo cromático que você usa,seu objetivoprincipal e
indicar matizes que funcionarão bem juntos .AB relações mais simples no círculo são entre cores
análogas,que estão lado a lado,e entre complementos, encontrados em lados opostos. Mas várias
outras relações podem indicar esquemas de cor agradáveis.
ESQU EMA COMPLEMENTA R
Duas cores em lados opostos no circulo cromático.
ESQUEMA ANÁLOGO
Duasoumaiscores Ladoa ladonocirculocromático.
ESQUEMA TRIÁ DICO
Três cores espaçadas uniform em ent e em tor no do
círcuLo cromático.
42 parte Dl. definições
ESQUEMA MONOCROMÁTICO
Tonalidades e tintas de uma só cor, saturação
variável e brilho em lugarde matiz.
emas de cor algumas vezes são chamados de harm on ias.
contexto , harmonia se relaciona com a expectativa de
......:.;00·0 tota l ou neutralidade do olho/cérehro. Quando as
uma composição somadas resultam em cinza, consegue-
nia, e sente-se que a imagem está cerra, tem aparência
~""'D(e. Claro , isso não é dizer que as cores usadas devem , elas
....·ror_ .ser neutras. O círcu lo cromático o ajudará a selecionar
- s de cores que equ ilibram uma a outra.
em esquema tri ãdico é baseado em tr ês cores
.",.ôtS1t.2.ntes em torno do círculo cromático. Elas podem ser
• .".....,IaS. mas esse esquema tende a ser berrante; uma tríade de
ndárias ou terci árias é mais fácil de manusear. A
_""'-u~ complement ar é um esquema de tr ês cores mais
.",.,::C:I(J,O. que compreende qualq uer mati z mais os dois mati zes
m seu complemento.
lOm esquema comp leme ntar dup lo usa dois conjuntos de
enros, Eles podem estar em qua lquer ângu lo, em relação
0"0, no círcu lo cromático, em bora a flexibilidade do
ignifique que nem todas as comhi nações formadas
o serão, necessariamente, agradáveis.
Para fazer esses esquemas funcion arem harmoni osament e,
. a satu ração e/ou extensão (área de cobertura) das co res
as no círculo precisarão ser ajustados para igualar sua
I. Goethe formulou uma escala de forças relativas (ver
com esse pro pósito. Quando você quer cr iar um efeito
a:== ICO. pode ou partir da fórmu la ou exagerá -Ia - usando uma
pequena de uma cor fort e em um grande campo de
ntO fraco, por exemplo.
Final mente, um esquema monocromático é baseado em
matiz, com variações criadas inteiramente pelo ajuste
ou da saturação. Aqui, as proporções de G oe the para
_~=,es matizes não pode ser aplicada, mas note que o preto é
"0 do sistema (sign ificando que pode ser usado mais
....."."""u ,e) e o branco é o mais alto (sign ificando que deveria ser
maior moderação). Isso sugere que tintas mais escuras
____-iam do minar as composições monocromáticas, e pode
• razão pela qual os designers usam , freqüentemente,
__:IIS' monocrômicas sobre um fundo preto, para dar a
_cn:""-o de fria sofisticação.
A RELAÇÃO DE SEPARAÇÃO COMPLEMENTAR
Um matiz acompanhadopor dois, a igual distância de seu compLemento.
A RELAÇÃO COMPLEMENTAR DUPLA
Dois par es compLem entares em lados opostos do