Aula 2-0109

Aula 2-0109


DisciplinaQuímica Orgânica I13.808 materiais254.573 seguidores
Pré-visualização2 páginas
GQI - 135 Química Orgânica 
Prof. Wilder Douglas Santiago
\uf0fc Nomenclatura de alcanos e cicloalcanos;
\uf0fc Cicloalcanos nas conformações cadeira e bote;
\uf0fc Isômeros cis e trans em compostos cíclicos;
\uf0fc Mecanismo geral para reações de halogenação de alcanos;
\uf0fc Principais fontes de alcanos.
Parafinas
Hidrocarbonetos
Cadeia carbônica acíclica, saturada e 
homogênea
Características
\u2022 Fórmula molecular: CnH2n+2
\u2022 Hibridação: sp3
\u2022 Geometria: Tetraédrica
\u2022 Ângulo de ligação: 109º5\u2019
\u2022 Comprimento de ligação: 1,54 Aº
\u2022 Terminação: ANO
Gás natural
\u2022 Gases acumulados no subsolo, de 
composição variável, associados ou não à 
presença de óleo
\u2022 95% de hidrocarbonetos 
\u2022 Metano (90%)
Origem e uso do petróleo
\u2022 Mistura complexa de hidrocarbonetos (C,H)
\u2022 Alquenos e compostos aromáticos; nitrogênio 
e enxofre
\u2022 Fonte de energia, medicamentos, pesticidas, 
plásticos, fibras sintéticas, entre outros 
Origem e uso do petróleo
Nomenclatura
Prefixos gregos e 
latinos
Compostos 
isoméricos
IUPAC
n* nome n nome
1 Metano 17 Heptadecano
2 Etano 18 Octadecano
3 Propano 19 Nonadecano
4 Butano 20 Icosano
5 Pentano 21 Henicosano
6 Hexano 22 Docosano
7 Heptano 23 Tricosano
8 Octano 30 Triacontano
9 Nonano** 31 Hentriacontano
10 Decano 40 Tetracontano
11 Undecano 41 Hentetracontano
12 Dodecano 50 Pentacontano
13 Tridecano 60 Hexacontano
14 Tetradecano 70 Heptacontano
15 Pentadecano 80 Octacontano
16 Hexadecano 100 Hectano
Nomenclatura
1 \u2013 Reconhecimento da cadeia principal
CH3-CH2-CH2-CH2-CH-CH3
CH2-CH3
Cadeia mais longa: Heptano
(7 átomos de carbono)
2 \u2013 Numera-se a cadeia mais longa, começando-se pela extremidade
da cadeia mais próxima da ramificação.
CH3-CH2-CH2-CH2-CH-CH3
CH3
CH3-CH2-CH2-CH2-CH-CH3
CH2
CH3
CH3-CH2-CH2-CH2-CH-CH3
CH2-CH3
\u2022 Os nomes dos grupos derivados dos alcanos, por remoção de um
hidrogênio, são denominados grupos alquilas.
\u2022 Quando o alcano não é ramificado e o hidrogênio que é
removido é um hidrogênio terminal, os nomes das ramificações
se formam de modo direto.
Grupo alquilaAlcano
CH3CH2CH2
CH3CH2
CH3
propil ou 
propila
etil ou etilaCH3CH3 
metil ou metilaMetano torna-se CH4
Etano torna-se
CH3CH2CH3 Propano torna-se
Ramificações
\uf0fc Duas ramificações podem ser derivadas do propano: propil e
isopropil;
\uf0fc Quatro ramificações podem ser derivadas do butano: butil, isobutil,
sec-butil, tert-butil;
Ramificações
\uf0fc Prefixos sec e tert são termos numéricos e não fazem parte do nome.
Ex: citação em ordem alfabética, o nome do grupo tert-butil começa
com a letra b e não com t.
H3C 
-H 
H3C H
CH3CH2- Etil(a) 
CH3CH2CH2- Propil(a)
CH3CH2CH2CH2- Butil(a) 
CH3[CH2]6CH2- Octil(a)
Isopropil(a)H3C CH
CH3
(CH3)3C
CH3CHCH2CH3
tert-Butil(a) ou t-Butil(a)
sec-Butil(a) ou s-Butil(a) 
Isobutil(a)(CH3)2CHCH2
 
\uf0fc Usam-se os números obtidos pela aplicação da regra 2 para
designar a posição dos grupos substituintes.
\uf0fc O nome base do alcano é colocado por último, e o grupo
substituinte, precedido pelo número que designa sua localização
na cadeia é colocado primeiro.
\uf0fc Os números são separados das palavras por um hífen.
Nomenclatura
Isobutano Isopentano
Neopentano
Isoexano
\uf0fc Prefixos iso e neo fazem parte dos nomes dos grupos; logo isobutil é
iniciado pela letra i e não b.
CH3 CH2 CH CH2 CH CH CH2 CH3
CH3 CH3CH3
2 3 4
567
765
4 3 2 1
3,4,6-Trimetiloctano (correto)
3,5,6-Trimetiloctano (incorreto)
1 8
8
112
10
11 7
8
9
6
5
4
3
2
2,3,3,8,9,11 - Hexametildodecano (correto)
2,4,5,10,10,11 - Hexametildodecano (incorreto)
CH3 CH2 CH CH2 CH CH CH2 CH3
CH3 CH3CH3
2 3 4
567
765
4 3 2 1
3,4,6-Trimetiloctano (correto)
3,5,6-Trimetiloctano (incorreto)
1 8
8
112
10
11 7
8
9
6
5
4
3
2
2,3,3,8,9,11 - Hexametildodecano (correto)
2,4,5,10,10,11 - Hexametildodecano (incorreto)
Exemplos
\uf0fc Quando dois ou mais substituintes estão presentes no mesmo carbono
usa-se este número duas vezes.
2,3-dimetilbutano 2,4,4-trimetilexano
CH3CHCH2CCH2CH3
CH3 CH3
CH3
CH3 CH3
CH3 CH3
CH CH
Exemplos
\uf0fc Quando duas cadeias de igual comprimento competem para a
seleção da cadeia básica, escolhe-se a cadeia com o maior número
de substituintes.
(certa)
(errada)
2, 3, 5-trimetil - 4-propileptano 
(4 substituintes) 
2,3-dimetil - 4-sec butileptano 
CH3CH2CHCHCHCHCH3
CH3
CH2CH2CH3
H3CH3C
4-Etil-5-isopropil-2-metil-7-propildecano
1
2 3 4 5 6 7 8 9
10
4-Etil-5-isopropil-2-metil-7-propildecano
1
2 3 4 5 6 7 8 9
10
54321
3-etil-2,3-dimetil-5-propiloctano
CH2CHCH2CCH
CH2CH3
CH3 CH2CH2CH3
CH3 CH2 CH3
CH3
6 7 8
Exemplos
 
2-metil-6- tert-butilnonano (incorreto) 
6 -tert-butil-2-metilnonano (correto)
18
7
6
5
4
3
29
 
2-metil-6- tert-butilnonano (incorreto) 
6 -tert-butil-2-metilnonano (correto)
18
7
6
5
4
3
29
Exemplo
\uf0fc Os alcanos que apresentam halogênios como substituintes são
nomeados pela IUPAC, como haloalcanos.
CH3Cl Cloreto de metila
(CH3)3CBr Brometo de tert-butila
Nomes não-sistemáticos, aceitos pela IUPAC:
CHF3 Fluorofórmio CHBr3 Bromofórmio
CHCl3 Clorofórmio CHI3 Iodofórmio
Nomenclatura radiofuncional
\uf0fc Primário: encontra-se ligado apenas a outro átomo de carbono.
\uf0fc Secundário: encontra-se ligado a outros dois átomos de carbono.
\uf0fc Terciário: encontra-se ligado a outros três átomos de carbono.
\uf0fc Quaternário: encontra-se ligado a outros quatro átomos de carbono.
8
76
54321
H3C C CH2 CH CH3
CH3
CH3
CH3
Crescem à medida que aumenta o número de carbonos na cadeia 
dos alcanos
Tebulição e a Tfusão
Forças que mantêm unidas as moléculas são fracas
Molécula Forças
\uf0fc Número de átomos de carbono - podem apresentar-se em
condições ambientes.
\uf0fc Alcanos de cadeia normal de 1 a 4 carbonos são gases, de 5
a 17 carbonos são líquidos e de 18 carbonos em diante são
sólidos.
\uf0fc Alcanos puros são incolores, os gasosos e os sólidos são
inodoros e os líquidos têm cheiro característico (gasolina, por
exemplo).
\uf076 A temperatura de ebulição (Te) dos alcanos apresentam um
incremento regular com o aumento do peso molecular, e
diminui com as ramificações em isômeros.
Alcanos Temperatura de ebulição (oC)
Pentano 36
Isopentano 28
Neopentano 9
Obs.: Pela inserção de cadeias laterais, a molécula tende a aproximar-se da forma
esférica; isso produz um decréscimo da área superficial relativa e, consequentemente,
enfraquecimento das forças intermoleculares, as quais podem, assim, ser vencidas a
temperaturas mais baixas.
\uf0fc Insolúveis em H2O - baixa polaridade e à pequena capacidade
de formar ligações de H;
\uf0fc Solúveis em solventes apolares.
\uf0fc Densidade peso molecular, mas tende para um limite
de 0,8 g/mL, sendo todos menos densos que a água.
\uf0fc Tem como principal finalidade a produção de energia térmica;
\uf0fc Combustões incompletas carbono sólido finamente dividido
chamado negro fumo ou pó de sapato, utilizado como
pigmento preto para tintas.
CnH2n+2 + nO2 nCO2 + nH2O
\uf0fc Alcanos, quando aquecidos, sofrem ruptura da cadeia resultando
em outros alcanos e alquenos de cadeia menores.
C C
H
H
C
H
H
CC
H
H
C
H
H
H
H
C C
H
H
C
H
H
C
H
H
C
H
H
H
H
C C
H
H
C
H
H
H C
H
H
C
H
H
H
H
H
H
H
Aquecimento
CC
H
H
C
H
H