Propriedados dos alcanos
11 pág.

Propriedados dos alcanos


DisciplinaQuímica Orgânica I13.813 materiais254.763 seguidores
Pré-visualização2 páginas
UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO 
FACULDADE DE CIÊNCIAS 
DEPARTAMENTO DE QUÍMICA
PRÁTICA N\u25e61
PROPRIEDADES DOS ALCANOS
Disciplina: Quimica Organica 
Turno: Manhã
Ano Academico:I I\u2da
 Docente
 ___________________
 
Luanda, 2019
I OBJECTIVO 
	Esta prática tem como objectivo exercitar a observação das propriedades dos alcanos e efectuar Registro, neste caso, realizar a observação dos alcanos, em segundo momento, efectuar hipóteses experimentar, comparar e concluir.
II INTRODUÇÃO 
ALCANOS
 Alcanos são hidrocarbonetos formados apenas por ligações simples entre seus carbonos. Possuem cadeia aberta (acíclicos) e ligações simples (saturados), sua fórmula é:
CnH2n+2
Os alcanos também são chamados de parafinas ou hidrocarbonetos parafínicos, sendo que essa palavra vem do latim parum que significa \u201cpouca ou pequena\u201d, e afins, que é \u201cafinidade\u201d, isto é, \u201cpouca afinidade\u201d.
Isso acontece porque esses compostos são pouco reactivos em decorrência do fato de suas moléculas serem apolares. Como consequência disso, as suas reacções ocorrem com dificuldade, dessa forma, altas temperaturas, catalisadores, luz ultravioleta, entre outros, fazem \u2013 se necessários.
A parafina é um produto muito utilizado na produção de velas, que são constituídas fundamentalmente por uma mistura de vários alcanos. O principal alcano utilizado no quotidiano é o metano, que é também chamado de gás natural (localizado em jazidas de petróleo), gás dos pântanos (pode ser obtido nas regiões pantanosas pela fermentação de celulose), biogás (é usado como combustível) e gasolixo (pode ser obtido também no lixo, pela decomposição anaeróbica do material orgânico).
Além do metano, todos os alcanos são combustíveis, por isso muitos deles são usados em nosso quotidiano. Por exemplo, os derivados de petróleo, como a gasolina e o óleo diesel, contêm uma mistura de alcanos, e o isqueiro possui o butano como gás combustível.
PROPRIEDADES FÍSICAS	
Não são muito reactivos porque as ligações entre C \u2013 H e C \u2013 C são muito estáveis e difíceis de serem quebradas. São mais utilizados para a queima, por isso são usados como combustíveis, para o fornecimento de energia.
São insolúveis em água e menos densos que a água. Os alcanos de até quatro carbonos são gases à temperatura ambiente (25°C). Os de cinco átomos de carbono até os de 16 átomos de carbono são líquidos. E dos de 17 átomos de carbono em diante são todos sólidos. Conforme o quadro abaixo:
C1 a C2 ----------- Gases
C5 a C16 ----------- Líquidos
C17 a Cn ------------- Sólido 
Com relação ao ponto de fusão do composto, pode-se dizer que este aumenta na medida em que aumenta o tamanho da cadeia. Quanto ao ponto de ebulição, pode-se dizer que este também é directamente proporcional ao tamanho da cadeia carbónica.
É importante observar que a cadeia ramificada apresenta influência nas propriedades físicas dos alcanos. Assim, nos alcanos isómeros (de mesma fórmula molecular e, assim, mesmo número de átomos de carbono), aqueles de cadeia normal apresentam maior temperatura de ebulição do que os de cadeia ramificada, quando se considera o mesmo número de átomos de carbono (ex. pentano PE =36°C, 2-metil-butano PE =28°C).
Com relação à solubilidade, importante propriedade física, os alcanos são substâncias praticamente apolares, ou seja, apresentam alta simetria, daí ser quase sempre insolúvel em água e também em outros solventes fortemente polares. Entretanto, eles são solúveis em solventes de natureza apolar, como o tetracloreto de carbono (CCl4), ou o sulfeto de carbono, CS2).
Com relação à densidade, pode-se dizer que todos os alcanos são menos densos do que a água, ou seja, possuem densidade menor do que 1g/ml.
Quanto à cor, os alcanos são todos incolores e, quanto ao cheiro e sabor, os alcanos gasosos e sólidos são inodoros e insípidos, já os líquidos apresentam cheiro característico (gasolina e querosene, por exemplo).
PROPRIEDADES QUIMICA 
Combustão: é a reacção de um composto com o oxigénio, eles sofrem combustão completa produzindo gás carbónico e água
Ex: CH4 + 2O2 CO2 + 2H2O + energia
	Reacção de combustão pode ser considerada uma oxirredução, onde o alcano é o agente redutor (combustível) e o oxigénio o agente oxidante (comburente). Para que a reacção ocorra é necessária uma energia de activação, que é dada pela faísca produzida pelo movimento rápido da pedra.
Substituição: é a substituição de um hidrogénio do alcano por outro ligante. As mais importantes reacções de substituição dos alcanos são Halogenação, nitração e sulfonação.
Halogenação: o hidrogénio é substituído por um halogénio.
Ex: CH3 \u2013 CH2 \u2013 CH2 \u2013 CH3 + Br2 	CH3 \u2013 CH2 \u2013 CH \u2013 CH3 + HBr
 			 Br
Nitração: As reacções de nitração são reacções de substituição que ocorrem por meio do ácido nítrico (HNO3). Esse tipo de reacção ocorre especialmente com alcanos e com o benzeno e seus derivados, onde um dos átomos de hidrogénio ligados à cadeia ou ao núcleo aromático é substituído pelo grupo NO2, originando um nitrocomposto e água.
Ex:
Quando o alcano possui mais de dois carbonos, forma-se uma mistura de compostos diferentes substituídos. A quantidade de cada composto obtido será proporcional à seguinte ordem de facilidade com que o hidrogénio é liberado na molécula:
No caso acima, não há carbono terciário, existe apenas um secundário e dois primários; assim, a maior quantidade de composto formado como produto será o 2-nitro-propano.
Sulfonação: O hidrogénio é substituído pelo grupo sulfónico (SO3H).
Ex: CH3 \u2013 CH2 \u2013 CH3 + H2SO4 	CH3 \u2013 CH \u2013 CH3 + H2O
 HSO3
III MATERIAL E REAGENTES 
Material 
Tubo de ensaio;
Cota gotas;
Cápsula;
Esguicho;
Copo de precipitação;
Suporte;
Reagentes
H2O;
Éter de petróleo;
Heptano;
Parafina;
HNO3 (Concentrado)
H2SO4 (Concentrado);
NaOH 25%;
KMnO4 (reactivo de Bayer);
IV PROCEDIMENTO EXPRIMENTAL
4.1 \u2013 EXPERIÊNCIA A - ESTADO FÍSICO E SOLUBILIDADE DOS ALCANOS
Enumerou-se 4 tubos de ensaio (de 1 á 4), e colocou \u2013 se 1ml de heptano nos tubos 1 e 2 em seguida adicionou-se 1ml de água no tubo 1 houve uma dissolução, caso contrário comparar as densidades. 
E repetiu \u2013se a experiencia usando o 1ml de éter de petróleo no tubo 2 onde contem heptano e anotamos as observações. 
Colocou \u2013 se 1ml de água destilada no tubo 3 e 1ml de éter de petróleo no tubo 4 e em seguida preparou-se 2 amostras de parafina e adicionou-se uma de cada nos tubos acima citados e observou-se. 
4.1.1 \u2013 RESULTADOS E DISCUSSÕES
Colocou \u2013 se o heptano em um tubo de ensaio e adicionou \u2013se 1ml de água Observamos que não houve nenhuma alteração nas suas cores e observou-se que as amostras não se misturam, que dizer não houve dissolução, sendo a água que ficou em baixo do heptano, concluímos que a água é mais densa que o heptano.
A seguir colocou se 1ml de heptano no tubo de ensaio e adicionou \u2013 se 1ml de éter de petróleo verificou \u2013 se que não houve alteração na sua coloração e verificou \u2013se que as amostras se misturaram indicando que houve dissoluções., se misturam e têm a mesma solubilidade. 
Colocou \u2013 se 1ml de água destilada no tubo 3 e adicionou \u2013 se 1 amostra de parafina observou \u2013 se que não mudança na sua coloração e que não houve dissolução, sendo a água que ficou em baixo da parafina, concluímos que a parafina é insolúvel em água.
E no tubo onde continha o 1ml de éter de petróleo e uma amostra da parafina observou-se que a parafina depois de algum tempo houve a dissolução, isto é, a parafina é solúvel em éter de petróleo e por