A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
65 pág.
Administração da Produção e Operações

Pré-visualização | Página 1 de 13

Aula 1: Introdução a Administração da Produção e Operação.
Atualmente, o mundo dos negócios está cada vez mais globalizado e, portanto, as empresas estão cada vez mais, não só sujeitas a serem afetadas por qualquer motivo externo, como também precisam ser competitivas, se quiserem sobreviver nos negócios.
Todas as empresas, em níveis distintos, possuem processos em seus sistemas de rotina e de funcionamento. O normal, inclusive, é que esses processos possuem divisões e até mesmo subdivisões, que deverão ser identificados, mapeados, estudados, aprimorados e monitorados.
Os processos podem ser individuais ou fazem parte de um conjunto de atividades, sendo que cada um poderá ser decisivo ou fundamental nesse conjunto de processos, dependendo do tipo de segmento ou negócio adotado.
1 - Em uma empresa de produção, como uma indústria farmacêutica, nós teremos processos industriais, tipo fabricação de um determinado medicamento, onde é necessária uma linha de montagem e fabricação. Mas, não podemos deixar de lembrar que teremos diversos outros processos na mesma empresa, tais como: de comercialização, de vendas, de controle de qualidade, de fiscalização, ou seja, não exclusivamente de fabricação ou montagem.
2 - Em uma empresa de serviços, como uma empresa de terceirização de mão de obra, teremos processos de controles de horas para gerar pagamentos, mas teremos também processos de contratação, de entrevistas, dentre outros.
Veja que é importante destacar que, nos dois exemplos citados e em alguns dos seus processos exemplificados, teremos clientes externos ou internos, que são na verdade os responsáveis pela existência de determinada empresa ou setor.
Fatores que afetam a APO.
Em cada empresa, departamentos, áreas ou setores, existirão diversos fatores que irão afetar de uma forma ou de outra a nossa administração. É claro que não existirá uma fórmula mágica e nem um modelo único, pois tudo é muito dinâmico e cada caso deve ser estudado individualmente. Aqui, iremos destacar os principais e observe que em cada um deles existem seus próprios fatores, ainda mais específicos.
Objetivos da APO.
Como podemos observar, são diversos os fatores que podem, de forma direta ou indireta, afetar a Administração da Produção e Operações e, por essas razões, nosso estudo, o seu conhecimento e o seu controle são de fundamental importância.
01 Identificar os processos e aplicar os conhecimentos específicos para melhorar o desempenho;
02 Compreender melhor as atividades dos gestores e saber quais ferramentas gerenciais aplicar;
03 Conhecer os fundamentos de produtividade;
04 Saber os conceitos e a metodologia para poder avaliar cada tipo de processo, buscando um melhor resultado, empregando planejamento e controle;
05 Independente do ramo de atividade, tamanho, faturamento e outros, as atividades se relacionam entre si, assim, é necessário saber ser eficiente com esses setores, melhorando a qualidade;
06 Entender um pouco mais sobre esses segmentos, pois é uma área que emprega uma quantidade enorme de mão de obra e cujo ramo de atividade é cada vez mais intenso e exigente;
07 Em função da globalização presente e em uma velocidade cada vez maior, todos nós usamos produtos ou serviços em diferentes escalas e níveis, conforme a nossa capacidade financeira. Estar preparado para esta competição é vital.
Aula 2: Produtividade.
Produção.
Na verdade, é a execução de uma ação em si, ou seja, as atividades desenvolvidas pelas diferentes empresas sejam elas de produção/operações ou de serviço, na execução de suas atividades.
A linha de produção da empresa de fabricação de cerveja. Vê-se muitas latas do produto.
Fabricação de cerveja (Fonte: Shutterstock).
Para algumas empresas, o volume da produção acaba sendo um fator decisivo no seu negócio. É comum ainda, infelizmente para muitas empresas, pensarem apenas no resultado da produção, ou ainda mais grave, pensarem que alterando a capacidade de produção estarão resolvendo algumas questões.
Produtividade.
É o resultado obtido por uma determinada produção comparado com algum critério, tendo como exemplo a quantidade de produtos fabricados por hora, ou a quantidade de serviços executados em um mês.
Saber empregar de forma eficiente os recursos disponíveis, bem como buscar as melhorias necessárias nos processos, seja através de alteração nos procedimentos operacionais ou até mesmo com uma qualificação melhor dos colaboradores.
01 Podemos avaliar se a quantidade de saída comparada com a entrada é constante ou se tem alguma alteração;
02 Podemos ter um processo de retroalimentação no sistema como um todo, se necessário;
03 O cliente final, externo ou interno, irá consolidar as informações em relação à satisfação e qualidade final da saída (Feedback).Podem surgir vários parâmetros de medição para um melhor acompanhamento da produção;
04 Podemos identificar onde o processo precisa ser melhorado, ou onde o processo é deficiente ou ruim;
05 Podemos identificar onde temos que colocar em prática os planos de melhoria.
Uma das atividades desenvolvidas pelos gestores da APO é chamada de Administração da Produtividade, onde todas estas informações e outras mais específicas, conforme a realidade de cada empresa, serão aplicadas. Conforme vimos na aula anterior, os departamentos /setores ou áreas são muitas vezes inseridos um dentro do outro e nossa missão de desenvolvimento desta administração fica mais complexa e, em alguns casos, com muita interferência, o que acaba prejudicando os resultados da nossa análise.
Ocorrências externas, quando, por exemplo, uma determinada produção é comprometida por falta de energia ou algum tipo de greve, ou seja, problemas externos que momentaneamente afete esta relação, não sendo nenhum tipo de problema interno.
Devemos primeiramente conhecer muito bem nossos processos para avaliar qual a melhor forma de atuar. Lembre-se: uma consultoria pode saber as melhores ferramentas gerenciais existentes e a mais indicada para cada caso, porém, uma consultoria não sabe os detalhes do seu negócio.
Não existe nenhum tipo de produção ou de serviços que não contenha processos, ou seja, é aqui nosso maior mecanismo de atuação gerencial.
Podemos encontrar soluções simples que alterem as rotinas de execução, maximizando os resultados e trazendo o aumento da produtividade.
São exemplos:
alteração de uma sequência de montagem;
uma rota diferente no trânsito;
uma nova ferramenta;
um novo equipamento.
Nesses dois últimos exemplos, o custo financeiro desta compra também deve ser considerado, pois podemos aumentar a produtividade com essas novas aquisições, mas seu custo financeiro pode não viabilizar ao longo do tempo.
Para que tenhamos, de fato, sucesso em nossos empreendimentos, dependemos muito do plano estratégico da empresa, que deve estar alinhado à Visão e à Missão.
Dentro dos departamentos ou áreas, também devemos ter essas missões podermos tirar vantagens competitivas com os nossos competidores. Basicamente, dividimos os planos estratégicos em três tipos de direções ou conceitos:
Custo.
É quando temos todo o processo voltado à necessidade de se baixar os custos, repassando aos clientes esse diferencial. Aqui, no Brasil, algumas empresas aéreas seguiram o modelo Americano da Southwest Airlines e adotam o mesmo conceito.
Exclusividade ou renome no mercado.
Ocorre quando temos o domínio de um determinado produto ou serviço por ele ser único, ou seja, somente aquela empresa possui aquele produto ou somente esta empresa executa determinado serviço. No mesmo sentido, também acontece esse domínio quando uma empresa, por várias razões, acaba possuindo uma marca de renome e que, em alguns casos, fica tão forte e expressiva que vira sinônimo do seu uso. Temos vários exemplos nesse sentido.
Aula 3: Planejamento da Capacidade.
Planejamento da Capacidade Produção.
A Capacidade