Exercícios de Contabilidade Avançada Conversão das demonstrações contábeis em moeda estrangeira (Parte 1)
2 pág.

Exercícios de Contabilidade Avançada Conversão das demonstrações contábeis em moeda estrangeira (Parte 1)


DisciplinaContabilidade Avançada3.017 materiais33.685 seguidores
Pré-visualização1 página
Exercícios de Contabilidade Avançada \u2013 Conversão das demonstrações contábeis em moeda estrangeira 
(Parte 1) 
 
1. Quanto à moeda funcional, é correto afirmar: 
a. deve ser aquela que a entidade utiliza eventualmente; 
b. deve ser aquela que mais influencia os preços de venda de bens e serviços; 
c. é aquela que é apresentada a uma outra companhia; 
d. é aquela que é utilizada pela controladora; 
e. é aquela que a entidade utiliza em pequena parcela de suas operações, mas 
frequentemente. 
 
2. A moeda de apresentação é aquela que: 
a. mais influência fatores como mão de obra, matéria-prima etc.; 
b. mais influencia os preços de venda de bens e serviços; 
c. é apresentada a uma outra companhia controladora; 
d. por meio dela os recursos das atividades de financiamento são originados; 
e. aquela que a entidade utiliza em grande parcela de suas operações. 
 
3. Uma dessas alternativas não é uma transação originada em moeda estrangeira: 
a. compra de bens cujo preço é fixado em moeda estrangeira; 
b. venda de bens e serviços cujo preço é fixado em moeda estrangeira; 
c. obtenção de empréstimos no exterior; 
d. concessão de empréstimos; 
e. compra de bens do exterior. 
 
4. Quanto ao reconhecimento inicial de operações em moeda estrangeira, é correto 
afirmar: 
a. deverá ser contabilizada pela moeda funcional mediante a taxa de câmbio do período 
imediatamente anterior; 
b. deverá ser contabilizada pela moeda de origem mediante a taxa de câmbio do período 
imediatamente anterior; 
c. deverá ser contabilizada pela moeda de origem mediante a taxa de câmbio à vista, 
na data da transação; 
d. não deverão ser reconhecidas; 
e. deverá ser contabilizada pela moeda funcional mediante a taxa de câmbio à vista, na 
data da transação. 
 
 
5. Em balanços subsequentes, os itens monetários em moeda estrangeira devem ser: 
a. excluídos dos demonstrativos; 
b. mantidos ao custo histórico; 
c. convertidos pela taxa histórica; 
d. convertidos pela taxa de fechamento; 
e. convertidos pela taxa média. 
 
6. Em balanços subsequentes, os itens não monetários, mensurados pelo custo histórico, 
em moeda estrangeira, devem ser: 
a. excluídos dos demonstrativos; 
b. não devem ser convertidos; 
c. convertidos pela taxa de câmbio vigente na data da transação; 
d. convertidos pela taxa de fechamento; 
e. convertidos pela taxa média. 
 
7. Em balanços subsequentes, os itens não monetários, mensurados pelo valor justo, em 
moeda estrangeira devem ser: 
a. excluídos dos demonstrativos; 
b. não devem ser convertidos; 
c. convertidos pela taxa de câmbio vigente na data da transação; 
d. convertidos pela taxa de câmbio vigente na data da determinação do valor justo; 
e. convertidos pela taxa média. 
 
8. Na conversão das demonstrações contábeis para outra moeda, os ativos e passivos devem 
ser convertidos: 
a. pela taxa média ou pela taxa da data da transação; 
b. não devem ser convertidos; 
c. pela taxa histórica; 
d. pela taxa do período anterior; 
e. pela taxa de fechamento. 
9. Na conversão das demonstrações contábeis para outra moeda, as receitas, os custos e 
as despesas devem ser convertidos: 
a. pela taxa média ou pela taxa da data da transação; 
b. não devem ser convertidos; 
c. pela taxa histórica; 
d. pela taxa do período anterior; 
e. pela taxa de fechamento.