A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
PIMVI

Pré-visualização | Página 7 de 8

27 
 
Houve grande investimento nas garrafas retornáveis para reduzir o material nas 
embalagens. Uma a cada quatro garrafas da Ambev é retornável, que podem ser 
reutilizadas até 20 vezes, fazendo com que tenha menos impacato no meio ambiente. 
 
 Direito Sindical e Coletivo 
 
 
Figura 10 – Direito trabalhista 
 
Embora sejam ramos próximos, devem ser entendidos como distinto o Direito 
Sindical do Direito Coletivo do Trabalho. Sindicatos são entidades associativas 
permanentes que representam os trabalhadores e os empregadores para defesa dos 
interesses profissionais e econômicos, respectivamente. 
O direito sindical se caracteriza por regular as relações jurídicas entre o 
empregador e os trabalhadores representados por um sindicato. 
Segundo Amauri Mascaro Nascimento, é "o ramo do direito do trabalho que 
tem por objetivo o estudo das relações coletivas de trabalho, e estas são as relações 
jurídicas que têm como sujeitos grupos de pessoas e como objetivo interesses 
coletivos". 
Assim, nem todas as relações coletivas de trabalho caracterizam-se como 
sindicais, uma vez que há outros sujeitos coletivos além dos sindicatos. As relações 
entre representação não sindical de trabalhadores e empresa são um exemplo. 
O direito sindical abrange: Organização sindical; Conflitos coletivos; 
Representação dos empregados; Convenções coletivas de trabalho. 
O direito coletivo representa o segmento do direito do trabalho que estuda a 
organização sindical, a representação dos trabalhadores, a negociação coletiva e o 
direito de greve. 
28 
 
As relações coletivas são geradas levando em consideração os direitos de uma 
coletividade de pessoas, e tem como principal função a criação de normas que regem 
os interesses daquele grupo, em âmbito coletivo, bem como podem refletir nos 
contratos individuais de cada trabalhador. 
 
Compõe o direito coletivo do trabalho: 
 
• Negociações Coletivas 
São feitas entre um empregador ou um grupo de empregadores e uma ou várias 
organizações de trabalhadores que visam fixar melhores condições de trabalho e 
disciplinar a relação entre as partes. 
 
• Organização Sindical 
Tem formato de sindicato, tanto de trabalhadores quanto de empregadores, 
visando regulamentar as relações de trabalho. 
 
• Convenção Coletiva 
É o acordo de caráter normativo firmado entre sindicatos de empregados e 
empregadores que define as condições de trabalho. É aplicado a toda categoria, 
independente de associação ao sindicato, e versa sobre direitos como participação 
nos lucros, horas extras, jornada de trabalho, entre outros. 
 
• Greve 
É um direito dos trabalhadores de suspender a prestação de seus serviços de 
forma total ou parcial, visando melhorias salariais e melhores condições de trabalho. 
É garantido a todos os trabalhadores do serviço privado pela Constituição Federal em 
seu artigo 9º, mas não pode ser utilizado de forma indiscriminada: quando o serviço é 
considerado essencial, é necessário que ocorra um atendimento mínimo. 
 
 
 
29 
 
Os princípios do direito coletivo do trabalho são: 
 
• Liberdade sindical 
Este princípio advém da liberdade de associação, em que o legislador garante 
que todo trabalhador ou empregador pode se associar sem que sofra nenhum tipo de 
interferência ou intervenção do Estado. A liberdade sindical também garante ao 
empregado a possibilidade de não se associar a nenhum sindicato, caso assim prefira. 
 
• Autonomia Sindical 
Este princípio garante aos sindicatos a autogestão, sem que sofram 
interferências tanto do empresariado quanto do Estado. 
As organizações associativas dos trabalhadores são livres para se estruturar 
internamente e escolher suas áreas de atuação, bem como a sustentação econômico-
financeira. 
 
• Adequação Setorial Negociada 
Embora a atuação coletiva seja livre, a legislação impõe alguns limites que 
precisam ser observados. 
Um deles é que as normas coletivas servem para estabelecer direitos mais 
benéficos ao trabalhador, não podendo o sindicato negociar de forma prejudicial aos 
empregados. 
 
• Princípio da interveniência sindical na normatização coletiva 
A participação dos sindicatos é imprescindível nas negociações coletivas dos 
direitos trabalhistas. No entanto, quando as organizações coletivas que devem 
representar os empregados não se manifestarem no prazo estipulado pela legislação, 
os trabalhadores podem se organizar e negociar de maneira direta com o empregador. 
 
 
 
 
30 
 
• Princípio da equivalência dos contratantes coletivos 
O direito do trabalho parte do pressuposto que há certa desigualdade tanto 
econômica quanto jurídica entre empregados e empregadores. Isso porque não há 
como comparar a força de uma grande empresa com a de um trabalhador. 
 
• Princípio da lealdade e transparência na negociação coletiva 
A negociação coletiva realizada pelos sindicatos deve obedecer aos princípios 
de lealdade e transparência para que os trabalhadores não sejam lesados. 
 
• Princípio da criatividade jurídica da negociação coletiva 
O sindicato pode criar normas jurídicas que conjuguem os interesses comuns 
da classe representada. 
 
Com relação à Ambev, a confederação nacional dos trabalhadores nas 
indústrias de alimentação (CNTA) atua desde 1988 em defesa dos direitos e 
interesses de aproximadamente 1,6 milhão de trabalhadores da categoria no Brasil 
permitindo a filiação de sindicatos para representação, assim existem vários 
sindicatos que representam a indústria com suas respectivas convenções coletivas de 
trabalho. 
O setor de bebidas e, mais especificamente, o setor cervejeiro, vem passando 
por um amplo processo de reestruturação com o objetivo estratégico de ampliar o seu 
mercado nos países onde é alto o potencial de consumo, tal como o Brasil. Entretanto, 
esse processo também tem provocado efeitos negativos sobre os trabalhadores. No 
caso específico da AmBev, há uma tendência à precarização das relações de trabalho 
decorrente, principalmente da terceirização, assim como uma tendência para o 
desemprego devido, em parte, ao fechamento de algumas unidades. Os problemas 
apontados pelos sindicalistas incluem redução dos salários, desrespeito à 
organização sindical, redução das conquistas do acordo coletivo, dificuldade de 
comunicação com a Empresa, não-compromisso com os trabalhadores, carga horária 
superior à permitida por lei, perdas de benefícios, aumento de demissões em geral e 
também das demissões por justa causa - sem motivo justificado -, acúmulo de função, 
muita pressão para aumentar produção com aumento da jornada. 
31 
 
6. CONCLUSÃO 
 
Acreditamos no alcance e atingimento das metas estipulas pelo grupo para a 
concretização deste projeto. 
Analisando o cenário atual da Ambev é perceptível que a empresa tem um futuro 
promissor no mercado. 
Os Modelos de Liderança agregados a outros instrumentos viabiliza a empresa 
uma percepção mais apurada dos acontecimentos que ocorrem e que poderão ocorrer 
e das pessoas que compõem a mesma, o que permite uma gestão geral e mais 
aprofundada de todos os seus setores. 
Observamos a importância de ter definido qual tipo de líder atua em cada 
área/departamento fazendo com o grupo trabalhe em função de buscar melhores 
resultados para a organização. 
O sucesso de qualquer negócio depende de várias decisões que o empreendedor 
deve tomar antes de iniciar seu empreendimento. 
Um plano de negócios é a formalização de todo o conjunto de dados e informações 
sobre o empreendimento, definindo suas características e condições, possibilitando a 
análise de sua viabilidade e seus riscos, bem como facilitando