A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
APS fisioteria aquatica

Pré-visualização | Página 1 de 3

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP 
FISIOTERAPIA AQUÁTICA
SÃO JOSE DOS CAMPOS
2019
RESUMO
A fisioterapia aquática, também chamada de hidroterapia, é uma modalidade da fisioterapia que consiste na utilização dos efeitos físicos da água para um melhor resultado terapêutico. Neste trabalho, iremos apresentar tais efeitos no organismo, os benefícios oferecidos, as indicações e contraindicações, os equipamentos e algumas técnicas utilizadas durante Fisioterapia Aquática.
Palavras Chave: Fisioterapia, Água, Benefícios. 
ABSTRACT
Aquatic physiotherapy, also called hydrotherapy, is a form of physiotherapy that consists of utilizing the physical effects of water for a better therapeutic outcome. In this paper, we will present such effects on the body, the benefits offered, the indications and contraindications, the equipment and some techniques used during Aquatic Physiotherapy.
Keywords: Physiotherapy, Water, Benefits.
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO
O objetivo deste trabalho é explanar sobre a terapia aquática como meio de reabilitação, bem como seus efeitos fisiológicos, físicos, equipamentos e os tipos e técnicas de exercício.
A Fisioterapia Aquática, também conhecida como Hidroterapia, consiste na aplicação de técnicas de Fisioterapia no meio aquático, visando proporcionar a cura e a prevenção de doenças, além da promoção de saúde, através de exercícios terapêuticos, utilizando os princípios físicos da água e os efeitos fisiológicos. É considerada uma intervenção não invasiva, realizada de acordo com a necessidade de cada paciente.
Os benefícios comprovados serão relatados neste trabalho, nos quais inclui manutenção da ADM, relaxante muscular, analgesia, redução da dor, entre outros.
Esta terapia é indicada para doenças neurológicas, reumatológicas, cardíacas, traumatológicas, depressão e estresse. Suas contraindicações são dermatites, doenças de pele, febre, epilepsia, diabetes não controlados.
2. PRINCIPIOS FÍSICOS DA ÁGUA
Os princípios físicos da água são importantes para qualquer atividade e tratamento, sendo primordiais para explicação dos efeitos fisiológicos que são aplicados no corpo quando o mesmo se encontra imerso na água.
A hidrostática e a Hidrodinâmica estão presentes em toda terapia aquática, nas quais estudam o comportamento dos líquidos em repouso e em movimento. O conhecimento do terapeuta sobre os efeitos físicos da água faz com que a atividade na água seja realizada com uma maior segurança ao paciente.
Densidade
Definida como a massa por unidade do volume (kg/m³ - g/cm³). Este princípio determina a capacidade que o corpo tem de flutuar ou submergir ao comparar sua densidade com a água. 
A densidade da água é igual a 1, já a de um corpo humano é de 0,93, por isso ele flutua. No caso do organismo humano, a densidade relativa varia com a composição corporal, de maneira que pessoas com maior quantidade de gordura flutuam com maior facilidade.
Pressão Hidrostática – Lei de Pascal 
É uma pressão exercida em toda a superfície do corpo imerso na água, ou seja, quanto maior a profundidade em que o corpo se encontra, maior será a pressão exercida sobre ele. Em um indivíduo que esteja em pé, a pressão hidrostática será maior nos pés. 
Efeitos terapêuticos: analgesia, diminuição de edemas, aumento da circulação, reação de equilíbrio e resistência à expansão torácica e abdominal. 
Flutuação
Flutuação, também conhecida como empuxo ou princípio de Arquimedes é a força exercida no corpo imerso e oposta à da ação da gravidade, sendo igual à força inversa gerada pelo volume de água deslocado, ou seja, um corpo sofre um empuxo para cima igual ao peso do líquido deslocado. Se a densidade do corpo for menor que 1,0 (densidade da água), ele flutuará; caso for maior que 1,0 ele afundará.
Efeitos terapêuticos
Diminuição da dor, relaxante muscular, facilitação dos movimentos articulares. 
Figura 1. Pressão Hidrostática e Flutuação.
Refração/ Reflexão
A refração é um fenômeno que ocorre quando a luz sofre mudança do meio de propagação, ou seja, do meio de incidência para o meio de refração, onde há variação de velocidade, sofrendo uma diferença de angulação.
A reflexão é um fenômeno que ocorre quando a luz incide sobre o meio de propagação e é refletida com a mesma angulação, ou seja, não há variação.
Coesão 
Coesão se refere à atração de moléculas por outras moléculas do mesmo tipo e as moléculas de água possuem forças de coesão fortes graças a sua capacidade de formarem ligações de hidrogênio entre si.
Adesão
Adesão se refere à atração das moléculas de um tipo por moléculas de outro tipo, e ela pode ser bem forte no caso da água, especialmente com moléculas que têm carga positiva ou negativa.
 
Tensão Superficial
Graças às forças de coesão citadas anteriormente, provocarão a tensão superficial no meio líquido, na qual se refere à força que atua através de qualquer linha da superfície, ou seja, a camada que permanece na superfície de água. Quando um corpo ou objeto tende a passar por esta linha, encontra uma resistência. 
Viscosidade 
Viscosidade refere-se ao atrito entre as moléculas de um líquido. Essa atração gera uma resistência ao corpo em movimento. Quanto mais viscoso o líquido, maior a resistência por ele exercida ao corpo em movimento, sendo igual ao volume e à velocidade exposta a essa força.
Fluxo da Água (Linear e Turbulento)
A água quando posta em movimento apresenta características diferentes, levando em conta o tipo de movimento e velocidade, sendo caracterizada por um fluxo linear ou turbulento. Quando os movimentos de água são desorganizados, causando redemoinhos, o efeito é chamado de fluxo turbulento. Logo após um fluxo turbulento, as moléculas tendem a se organizar novamente e formam um fluxo linear, promovendo menor resistência ao corpo em movimento.
Figura 2. Fluxo Linear e Fluxo Turbulento.
3. EFEITOS FISIOLÓGICOS
A água é um meio muito diferente da terra. Ao ser inserido neste novo meio o organismo é submetido a diferentes forças físicas e em consequência realiza uma série de adaptações fisiológicas.
Os efeitos fisiológicos causados pelos exercícios combinados e o calor da água são uma das vantagens das atividades nesse meio e envolvem respostas cardíacas, respiratórias, renais e musculoesqueléticas.
3.1 Sistemas Cardiorrespiratórios
A imersão na água exerce pressão sobre todo o corpo, aumentando significativamente o retorno venoso. Ocorrendo o aumento do fluxo sanguíneo no pulmão, fazendo com que aumente a troca gasosa devido o grande volume de sangue na circulação pulmonar. Aumentando também o consumo energético, pois o coração aumenta sua força de contração e débito cardíaco em resposta ao seu maior volume de sangue. O aumento do débito cardíaco esta relacionado com a temperatura da água, podendo atingir um aumento de 30% a uma temperatura de aproximadamente 33C. Ainda a imersão até o tórax afeta significativamente o ritmo respiratório ocasionando o aumento do trabalho respiratório devido a compreensão torácica.
3.2 Sistemas Musculoesqueléticos 
O aumento do calor ocasionado durante a imersão em temperaturas acima de 37 C podem ocasionar vasodilatação e aumentar o fluxo sanguíneo muscular.
A flutuação na água diminui a sobrecarga articular e favorece uma atuação equilibrada dos músculos. Potencializando a realização de exercícios que no solo não seriam possíveis, principalmente em indivíduos com limitações de força e movimentos, diminuindo também os riscos de lesões por sobrecarga articular.
3.3 Sistema renal
 	Ha também um aumento do fator natriurético atrial (aumentando a natriurese, cancelando a sede); Cancela o hormônio antidiurético (aumentando a concentração de urina nos tubos coletores) e cancela o sistema Renina-Angiotensina (vasoconstritor), aldosterona (aumenta a retenção de sódio). Estimulando assim a urese, mobilizando o plasma e fluido extracelular. Após uma hora de imersão. 
3.4 Sistema Neurológico
Os efeitos da água também