A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
ASPECTOS ANATÔMICOS DO COLO UTERINO

Pré-visualização | Página 1 de 6

ASPECTOS 
ANATÔMICOS DO 
COLO UTERINO 
 
A região do colo 
uterino está em 
comunicação com o 
canal vaginal, fazendo 
um corte longitudinal 
é possível ver as camadas musculares do útero, 
fundo, corpo e colo uterino, a parte ectocervical é a 
porção mais externa do colo (está em comunicação 
com a vagina), e a porção endocervical. 
 
Um colo saudável é liso, aspecto rosado e contém 
muco. O orifício cervical interno faz a comunicação 
entre o canal endocervical e o endométrio, nessa 
região às vezes é encontrado células chamadas de 
istmo- são células com características intermediárias 
entre as endocervicais e as endometriais, e pode dar 
certa confusão no diagnóstico quando se trata de 
malignidade. 
 As células escamosas representam o tecido de 
revestimento. 
 
O tecido que reveste o colo, precisa ser tecido muito 
resistente, porque o colo uterino está muito sujeito a 
agressão, já possui pH acido da vagina que é bem 
agressivo para as células, então é necessário um 
tecido de revestimento resistente para poder ficar 
naquela região. O tecido epitelial possui uma função 
geral muito importante que é revestir e proteger, e 
no colo uterino tem um tipo específico de tecido 
epitelial porque ele precisa de tecido resistente e 
protetor. Esse tecido possui várias camadas 
(espesso). 
Ectocervix: EPITÉLIO ESCAMOSO ESTRATIFICADO 
NÃO QUERATINIZADO 
ESCAMOSO: o termo escamoso/pavimentoso se 
refere à forma da célula da camada mais superficial 
do tecido. 
 ESTRATIFICADO: que vem de estratus é um tecido 
que tem vários estratus diferentes, várias camadas 
diferentes, 
NÃO QUERATINIZADO: porque é um epitélio em 
condições normais não produz queratina. 
É um epitélio muito semelhante ao da pele, porém na 
pele possui um epitélio escamoso estratificado 
queratinizado. 
O tecido conjuntivo (adjacente) faz a comunicação 
com o tecido epitelial. 
No canal endocervical tem um tecido bem delicado, 
possui uma única camada de célula, é um tecido de 
células colunares/cilíndricas e de camada única. Ele 
reveste a porção mais interna do colo uterino e ele é 
o responsável por produzir o muco que também é 
responsável pela lubrificação vaginal, tecido 
glandular é o tecido que reveste o canal 
endocervical. 
 
Endocervice e Ectocervice: junção escamo-colunar 
JEC 
 
Essa junção (JEC) tem um papel muito importante na 
patogênese do câncer cervical, nessa região é que 
desenvolve a maioria dos cânceres, porque 
fisiologicamente acontece um processo chamado de 
metaplasia escamosa: o termo metaplasia se refere à 
transformação de um tecido maduro em outro tipo 
de tecido maduro, é a transformação de um tecido 
glandular em um tecido escamoso, isso ocorre em 
vários momentos da vida da mulher, devido 
principalmente a alterações hormonais, e acontece 
que essa célula colunar em alguns momentos devido 
ao acumulo de hormônio que esta atuando ela se 
exterioriza e se expõe no colo uterino, como é uma 
região que tem aquelas agressões (pH ácido), e esse 
epitélio não suporta, o organismo se encarrega de 
resolver esse problema, e então começa a induzir a 
transformação dessa célula colunar em uma célula 
mais resistente, de um epitélio mais resistente. Isso 
acontece a partir de algumas células que se 
apresentam na porção mais basal do epitélio, que 
são células chamadas células de reserva, essas 
células são capazes de se transformar em qualquer 
outra célula correspondente a este tecido, são 
células pluripotentes. 
Para acontecer essa transformação, antes é preciso 
acontecer uma proliferação das células de reserva e 
pra isso precisa de um ciclo celular intenso para as 
células se replicarem e aumentando de quantidade 
para poder transformar a morfologia. O ciclo celular 
constante é um play ground para bebê, porque ele 
chega numa célula que está nessa condição deposita 
o DNA dele e começa aproveitar dessa maquinaria 
de replicação que é constante para se replicar 
também. Por isso essa região é onde acontece a 
maior parte dos casos de câncer cervical escamoso. 
A exposição das células no canal endocervical 
 
Numa mulher que está na fase da menarca (1ª 
menstruação) tem o que é chamado de junção 
escamo colunar original, tem a junção justamente no 
ponto de encontro dos dois tecidos: porção vaginal e 
a região da junção original. 
Em pacientes muito jovens- na fase da puberdade- a 
produção de hormônio começa a ficar muito intensa, 
é onde ela tem um desequilíbrio hormonal muito 
grande nessa fase. A partir do momento que esses 
hormônios- principalmente estrógeno- ele vai 
aumentando a produção e o útero também tende a ir 
aumentando de volume, porque ele está se 
expandindo porque vai crescendo com o passar do 
tempo, com isso acontece que ele se expande e as 
células do tecido do canal endocervical se 
exteriorizam, porque é como se ele estivesse se 
expandindo/abrindo espaço e dando espaço para se 
exteriorizar. Então, quando tem a exteriorização do 
tecido glandular, tem um processo chamado de 
ectrópio, toda fez que em um exame estiver escrito 
“paciente com área de ectrópio” indica que a 
paciente está com uma exposição do tecido 
glandular na região da Ectocervix, é uma ectopia ou 
ectrópio. 
 
Num quadro 
inverso, 
quando 
começa a 
menopausa- 
tem uma queda 
brusca de 
hormônio (principalmente do estrógeno), essa 
queda do hormônio faz com que o útero comece a se 
atrofiar, com isso a porção endocervical ela some ao 
invés de se exteriorizar ela fica mais escondida, é 
uma inversão do canal endocervical, chamado de 
entropia ou entrópio. 
A ectopia é a exteriorização do tecido glandular, e a 
entropia é quando a porção endocervical some e 
perde a de vista. 
Esses dois processos são importantes quando se 
pensa na patogênese do câncer de colo, e na 
associação dessa patogenia com a infecção pelo HPV 
e principalmente quando mulheres cada vez mais 
jovens estão tendo câncer de colo uterino. Uma vez 
que desde muito nova tem relação sexual sem o uso 
de um preservativo adequado, pode se infectar com 
o HPV por exemplo, que é de alto risco oncogênico, 
nessa fase ela tem uma região de junção escamo-
colunar JEC muito maior porque está muito exposto 
o epitélio colunar dela, e uma vez que a menina seja 
infectada pelo HPV nessa fase ele irá iniciar 
precocemente a ação de proliferação dele. 
Ao contrário, porque não tem câncer com paciente 
mais velha desde que ela não tenha contato com o 
HPV anteriormente, porque ela já tem uma proteção 
na maior no JEC. O quadro de ectopia e entropia tem 
muita relação com a patogênese do câncer. 
Na fase que tem a ectopia, que tem uma mulher na 
menarca e ela tem picos hormonais, ela tem uma 
grande descamação no tecido glandular. 
TIPOS DE REVESTIMENTO NO COLO UTERINO 
 
Epitélio escamoso não queratinizado: reveste 
Ectocervice e vagina. 
Epitélio colunar simples: reveste mucosa 
endocervical e mucosa endometrial. 
Divisão do tecido conjuntivo para o tecido epitelial, 
essa região é chamada de estroma. Quando no exame 
diz que há células malignas no estroma, indica que as 
células saíram do epitelial, atravessaram a camada 
basal e chegou ao tecido conjuntivo/adjacente. O 
estroma está logo abaixo do tecido epitelial, e da 
sustentação e possui vasos que nutrem o epitelial. 
A primeira camada que representa a camada mais 
profunda do tecido é o que é chamada de camada 
basal, é uma camada fina de células muito jovens, 
são as células responsáveis por manutenção desse 
tecido, porque esse tecido no colo, ele se descama 
naturalmente, mais ou menos de 10 - 12 dias ele vai 
se renovando, essas células são responsáveis por 
manter o tecido funcional. Porque à medida que vai 
descamando as camadas mais externas ele vai 
maturando e essa vai mantendo sempre as células 
mais jovens para começar a diferenciação. O que 
mantem o