A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
ASPECTOS ANATÔMICOS DO COLO UTERINO

Pré-visualização | Página 2 de 6

tecido é sempre a camada basal. 
Camada intermediária: é a camada mais espessa do 
tecido, são várias camadas de células, e é dividida em 
dois tipos de células. 
Camada externa: é a camada que naturalmente se 
descama, chamada de camada superficial. 
 
CÉLULAS DAS CAMADAS 
Camada basal: é a camada de célula que fica apoiada 
na lâmina basal (divide o tecido epitelial do 
conjuntivo), e é a responsável pela manutenção do 
crescimento. É a fonte de regeneração epitelial. O 
tecido epitelial como tem função de proteção, ele 
desenvolve algumas especialidades de membrana 
que são especialidades responsáveis pra poder que 
ele cumpra sua função, principalmente de proteção e 
revestimento. Para ter um tecido que realmente irá 
revestir e proteger a mucosa de uma maneira ideal, 
ele precisa ser resistente e que tenha células muito 
próximas uma da outro. Uma das especialidades que 
mantem essa função no tecido é o desmossomos- 
eles lacram uma célula na outra, compactando-as, 
quando se tem um câncer a primeira coisa que 
começa a acontecer é perder a função desses 
desmossomos e então as células começam a perder a 
adesão, o tecido começa a romper e perde sua função 
de proteção. Sinais de crescimento ativo: nucléolos e 
mitoses ocasionais 
Na rotina de citologia, uma mulher que não tenha 
nenhuma alteração dificilmente irá identificar essa 
célula, porque ela é muito profunda, então quando 
aparece na lâmina tenha que ter acontecido uma 
erosão no tecido. 
Camada intermediária: formada pelas células 
parabasais e células intermediárias. Células 
parabasais são as primeiras células que formam a 
camada intermediária, e a medida que vai 
maturando vai aumentando a quantidade de 
citoplasma e diminuindo o núcleo. 
Diferença entre células basais e parabasais 
As células basais são pequenas que tem o núcleo 
muito corado, porque são células que estão em 
intensa atividade de proliferação (DNA ativo), e 
possui o núcleo muito grande e um citoplasma 
pequeno. Quase não encontra essas células na 
citologia. Tem coloração mais forte que a parabasal, 
quanto mais jovem mais capitação de luz. 
 
As células 
parabasais são 
células um pouco 
maiores, pois já 
estão num estagio 
de maturação um 
pouco mais 
avançado, elas continuam mantendo a forma mais 
arredondada/ovalada, e é possível ver mais 
citoplasma do que na basal, e ainda o núcleo grande. 
Como são células mais jovens, então elas tendem a 
ter um comportamento cianofílica (azul- 
esverdeada) 
 
Célula 
intermediária: é 
possível ver mais 
citoplasma a medida 
que ela vai se 
maturando, é 
responsável pela espessura do epitélio e está ligada 
aos desmossomos, ela quem dá sustentação para o 
tecido devido a camada ser mais espessa. Núcleo 
vesiculoso- indica que consegue ver detalhes dentro 
do núcleo. 
 
Na maioria das vezes, se a paciente não estiver numa 
fase ovulatória que tem uma concentração de 
estrógeno muito acentuada a maior quantidade de 
células encontradas num esfregaço serão células 
representando células da camada intermediária, 
agora se a paciente estiver ovulando terá mais 
células representando a camada superficial. 
Resistência à agentes externos por está diferenciada, 
e possui menos desmossomos. Nucleo oval e 
vesiculoso. 
 
 
Possui um variante que se 
chama célula navicular 
(aparenta um barco). As 
células intermediárias 
produzem uma grande 
quantidade de glicogênio e 
ele serve para manter a flora vaginal, principalmente 
a flora lactobacilar, porque os lactobacillus quebram 
esse glicogênio para produzir ácido lático que irá 
fazer o pH ácido da região e vai usar esse glicogênio 
como fonte de alimentação para o lactobacillus. O 
glicogênio aparece nas lâminas com uma coloração 
amarela ou verde clara, tem uma borda do 
citoplasma mais espessa. Muito comum quando a 
paciente está numa fase progesterômica do ciclo (2ª 
fase do ciclo), pois a progesterona está ligada ao 
glicogênio. Muito comum também em paciente com 
diabetes, devido ao aumento da glicose e isso leva a 
uma grande quantidade de glicogênio. O núcleo não 
centralizado é provocado pelo acúmulo do 
glicogênio. 
 
 
 
Camada superficial: 
células num estágio de 
diferenciação mais 
avançado, são as mais 
maduras. Elas possuem 
uma fraca adesão entre as células, pois os 
desmossomos delas estão mais frouxos, devido a alta 
maturação da célula ele acaba perdendo um pouco a 
função. Quando faz raspagem dela é de fácil retirada 
porque já não estão tão aderidas ao tecido pela 
pequena quantidade de desmosssomos. Citoplasma 
poligonal (grande), e as vezes tem granulos 
responsáveis pela produção de queratina, coloração 
eosinofílica, nucléolo ausente. O núcleo vai 
diminuindo, precisa de núcleo grande quanto tem 
uma atividade intensa, ou seja, um agrande 
quantidade de DNA, conforme vai amadurecendo 
não precisa mais de divisão celular, ela irá só 
crescer. O núcleo diminu e o citoplasma cresce, 
devido a presença das organelas que são 
responsáveis pela produção de proteínas e uma série 
de coisas que essa célula precisa para se manter. 
Na fase ovulatória (estrogênica) o predomínio de 
células no esfregaço será de células intermediárias. 
Resistência à agentes externos e alta capacidade de 
descamação. 
 
TIPOS CELULARES DO EPITÉLIO ESCAMOSO 
 
Quanto maior a distância entre as fuas linhas mais 
jovem é a célula, a medida que a distância vai 
diminuindo significa que a célula está mais madura. 
 
CÉLULAS ENDOCERVICAIS- TECIDO COLUNAR 
SIMPLES 
Reveste a mucosa tanto endocervical quanto a 
endometrial. 
 
 
MUCOSA ENDOCERVICAL 
Núcleo está sempre tocando na porção basal, onde 
tem uma porção mais basal e uma porção mais 
epitelial, e nesse tecido é que aparece a célula de 
reserva (responsáveis pela produção de outros tipos 
celulares na metaplasia), ficam localizadas entre as 
células glandulares, quando o câncer se origina 
nessa célula tem um prognóstico muito pior. Não se 
descamam espontaneamente, por isso é utilizado a 
escovinha para arrancar da maneira mais delicada. 
Na citologia essas células podem aparecer de duas 
formas, isso dependerá da maneira em que ela 
estiver disposta: 
 
 
 Se ela estiver disposta 
lateralmente ela vem na 
formação chamada de 
paliçada, o núcleo está sempre 
em uma extremidade e o 
citoplasma em outra. 
 
 Se ela estiver disposta longitudinalmente ela vem 
na formação chamada de colmeia. 
 
 
 
 
Todas as duas formas são 
normais, elas podem apresentar 
cílios que são responsáveis por 
conduzir o muco e os 
espermatozoides. Núcleo: 
redondo/oval, cromatina: 
finamente granular - quando fino indica célula 
benigna, quando mais grosso é sinal de malignidade. 
Polaridade mantida: não tem sobreposição de um 
núcleo sobre o outro. Quando começa a ter uma 
lesão no epitélio endocervical, a primeira 
característica de malignidade é sobreposição 
nuclear, porque o epitélio é muito fino, começa a 
proliferar muito nas células e elas não têm espaço 
para estarem naquela região e vão se sobrepondo 
umas as outras e o tecido perde a polaridade. 
Pode ser encontrada independente do período 
menstrual. 
MUCOSA ENDOMETRIAL 
É um tecido cilíndrico colunar, também são células 
glandulares que revestem a superfície do 
endométrio. Quando ela vem na formação chamada 
de êxodo é fácil identificar, pois tem as células 
glandulares em volta da estrutura e as células do 
estroma do endométrio na parte de dentro. Quando 
vem células glandulares mais soltas às vezes é 
necessário fazer um diagnóstico diferenciado, mas 
na maioria das vezes vem na formação de êxodo. São 
agrupamentos, são menores que as células 
endocervicais, e a endometrial têm sobreposição, 
coloração do citoplasma é cianofílica, citoplasma 
muito escasso, ausência de vacúolos. 
 
 
Pode ser encontrada