A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
EIXO HIPOTÁLAMO-HIPÓFISE-TIREOIDE

Pré-visualização | Página 1 de 2

AULA 2: EIXO HIPOTÁLAMO-HIPÓFISE-TIREOIDE Pamela Barbieri – TXXIII 
Profª Dra. Priscila Lima 
Considerações iniciais: 
 
Partindo do hormônio liberador de tireotrofina (produzido no hipotálamo), que irá 
atuar na adeno-hipófise, produzindo o hormônio estimulante tireoestimulande. 
Esse hormônio, por sua vez, irá para a tireoide estimulando a produção de T3 e 
T4. 
A tireoide também produz calcitonina. 
Os hormônios T3 e T4 irão atuar em praticamente todos os tecidos do corpo: 
todos tecidos têm receptores para T3 e T4. 
Tireotrófos, TRH e TSH: 
• TRH (produzido por um subgrupo de neurônios hipotalâmicos parvocelulares) 
estimula os tireotrofos da adeno-hipófise. 
• Os neurônios produtores de TRH são regulados por vários estímulos mediados 
no SNC. 
• O TRH é liberado de acordo com um ritmo diurno (liberação é maior nas horas 
da noite para o dia e menor na hora do jantar). 
• Estresse inibe a secreção de TRH (estresse físico, inanição, infecção). 
Os tireotrofos regulam a função da tireoide secretando o hormônio glicoproteico TSH (tireotrofina 
ou hormônio tireoestimulante) 
 TSH liga-se a receptores nas células foliculares da tireoide e estimula essencialmente todos 
os aspectos da função tireoideana → TSH estimula a captação do iodeto, a atividade sintética 
dessas células na produção de T3 e T4, vascularização da glândula... 
O TSH tem efeito trófico potente e estimula hipertrofia, hiperplasia e sobrevida das células 
epiteliais da tireoide 
EIXO: 
Receptores: tanto o receptor do TSH, quanto o do TRH (em 
células diferentes) são receptores acoplados a proteína G. 
Têm vários domínios transmembranicos e, uma vez que o 
TRH na hipófise e o TSH na tireoide fazem suas respectivas 
ligações, ocorrerá a deflagração de uma cascata bioquimica 
dentro dessas células: nos tireotrofos haverá um aumento 
do cálcio citoplasmático e da PKC (proteína quinase C - 
proteínas quinases são fosforilativas, então irão adicionar 
grupos fosfato a outros elementos bioquímicos dentro dessa 
célula) proteína que irá desencadear uma cascata de 
eventos que irá elevar o nívei de sintese e secreção de TSH 
nos tireotrófos. Na tireoide, nas células foliculares, ocorrerá 
um estimulo a partir da PKA, elevando todos os aspectos da 
síntese e secreção do hormônio da tireóide e promovendo 
crescimento celular. 
 
AULA 2: EIXO HIPOTÁLAMO-HIPÓFISE-TIREOIDE Pamela Barbieri – TXXIII 
Profª Dra. Priscila Lima 
 
Biossíntese: tireoide é localizada na região na frente da traqueia, abaixo do “pomo de Adão” e é 
relativamente pequena (não costuma ter mais 20g). No aspecto histológico, há grandes folículos 
com camada única de células foliculares preenchida por coloide (material glicoproteico, 
gelatinoso, onde ocorre o processo de síntese hormonal e também armazena T3 e T4 e depois 
lança para a circulação. É uma glândula bastante irrigada. 
Os hormônios da tireoide têm efeito de longo prazo no metabolismo. 
Não são essenciais à vida, mas são importantes para o desenvolvimento adequado desde a 
infância. 
 
 
 
AULA 2: EIXO HIPOTÁLAMO-HIPÓFISE-TIREOIDE Pamela Barbieri – TXXIII 
Profª Dra. Priscila Lima 
Síntese dos hormônios tireoideanos: na superfície apical, a célula está em contato com o 
colóide e na superficia basolateral, está em contato com os vasos sanguíneos. 
Os hormônios da tireoide são hormônios amínicos e o aminoácido essencial precursor é a tirosina 
e, nessa tirosina, serão acrecentandos iodetos (3 iodetos: tri-iodotironina – T3; 4 iodetos: tiroxina 
– T4). 
Para que esse processo aconteça, é necessário presença de iodo suficiente nessa glândula. A 
captação do iodo é feita por NIS (simporte sódio-iodeto na superfície basolateral): esse simporte 
traz, junto com o sódio, o iodeto para dentro da célula. Isso será lançado de dentro da célula 
folicular para o coloide, através de um transportador aniônico (pendrina). 
Essa célula também irá sintetizar uma série de enzimas e uma proteína em particular: a 
tireoglobulina, que é resultado da atividade sintética da célula folicular. A tireoglobulina é 
importante no coloide, pois é na estrutura da tireoglobulina onde é encontrado o T3 e o T4. A 
peroxidase é responsável por adicionar iodeto à tirosina, formando o T3 e o T4 que estão presos 
na tireoglobulina. Ao adicionar um iodeto: forma mono-iodotirosina; dois: di-iodotirosina; soma 
dois di: T4; soma mono e di: T3. 
A célula folicular capta e acomoda dentro de vesículas a tireoglobulina com o T3 e T4; uma série 
de enzimas intracelulares provocam a quebra e separam a tireoglobulina, deixando o T3 e T4 
livres para serem lançado na circulação através de transportadores da categoria 
monocarboxilatos. 
T3 e T4: 
T3 e T4 são lipofílicos (embora não tenham colesterol como precursor), sendo então 
transportados majoritariamente ligados a proteínas plasmáticas (>99% circulam ligado a 
proteínas plasmáticas). A maior parte dos hormônios tireoidianos no plasma estão na forma de 
T4. Albumina e principalmente TBG (globulina transportadora de tiroxina) são responsáveis pelo 
transporte de hormônio tireoidiano. Outra enzima é a transtirretina, que transporta hormônio. 
• Dosagem da fração livre, pois é a fração livre que exerce efeito biológico. Dosagem T4 total não 
é usada. 
•Nos tecidos-alvo, os transportadores de captação para os hormônios da tireoide variam 
(transportadores de monocarboxilato MCT8 e MCT10 (do vaso sanguíneo para dentro da célula; 
OAT (transportador de ânions orgânicos.) MCT8 é muito presente no cérebro, sítio alvo muito 
importante dos hormônios tireoidianos. 
 
• Os receptores dos hormônios da tireoide, com múltiplas isoformas, são nucleares e estão 
expressos na maioria das células do corpo 
• Inicia transcrição, tradução e síntese de novas proteínas 
• Meias-vidas longas (7d T4; 18h T3), como são extremamente ligados à proteínas plasmáticas, 
não serão metabolizados rapidamente pelo fígado ou rim. Demoram para ser eliminados. 
• T3 é 3 a 5 vezes biologicamente mais ativo do que T4; logo, T3 é o hormônio ativo nas células-
alvo: o que circula em grande concentração é o T4, e chegando no seu tecido alvo, ocorrerá uma 
conversão: remoção do iodo para que passe de T4 para T3 → as células-alvo produzem cerca de 
85% do T3 ativo por meio de enzimas, chamadas de deiodinases, que removem um iodo do T4 
 A ativação do hormônio no tecido-alvo acrescenta outro nível de controle, pois os tecidos-alvo 
individualmente podem controlar a sua exposição ao hormônio ativo, regulando sua síntese 
enzimática tecidual 
Deiodinases também são responsáveis pela inativação (T4 → rT3 (T3 reverso – forma inativa 
metabólica do T4; T3 → T2). O quanto o tecido tem de deiodinase implicará na ação hormonal no 
tecido. 
 
AULA 2: EIXO HIPOTÁLAMO-HIPÓFISE-TIREOIDE Pamela Barbieri – TXXIII 
Profª Dra. Priscila Lima 
• Principal ação dos hormônios da tireoide nos adultos: prover substrato para o metabolismo 
oxidativo; nas crianças, são essenciais ao crescimento e desenvolvimento, inclusive 
desenvolvimentos neurológico e sexual. 
• Os hormônios da tireoide são termogênicos e aumentam o consumo de oxigênio na maioria 
dos tecidos por mecanismos pouco claros (supostamente relacionados às mudanças no 
transporte de íons através das membranas mitocondrial e celular). 
•Os hormônios da tireoide interagem com outros hormônios para modular o metabolismo das 
proteínas, dos carboidratos e dos lipídeos. Os hormônios da tireoide têm permissividade com os 
hormônios sexuais: presença de hormônios tireoidianos permitem a atuação de hormônios 
gonadotróficos. Atuam também em sinergismo. 
Efeitos fisiológicos: 
• Efeitos cardiovasculares: T3 causa aumento da frequência cardíaca: garante