Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
S reprodutor feminino

Pré-visualização | Página 1 de 1

S reprodutor feminino
Anatomia
OVARIO
TUBA UTERINA (OVIDUTO)
CORNOS UTERINOS
UTERO
CERVIX
VAGINA
VULVA
Anexos : gl mamaria e feto
Intersexos
Pseudo hermafroditismo – é 
classificado como fêmea e macho, dependendo se as gônadas são testículos ou ovário, ou seja as gônadas comandam; o órgão reprodutor corresponde ao do outro sexo {ex: tem ovário mas tem penis ou tem testículos mas tem vulva e vagina}. 
Hermafroditismo – presença 
de ambos os sexos, sendo aparelho e nas gônadas. E a junção do ovário + o testículo é chamado de ovotestis. Difícil identificação. (verdadeiro hemafrodita).
Free Martin – é decorrente 
uma gestação gemelar de sexos diferentes, onde as fêmeas nasce estéreis, por que o hormônio masculino domina antes do feminino inibindo o desenvolvimento das genitais femininos. A vulva freq tem pelos em boa quantidade ao redor do clitóris, a vagina é subdesenvolvida e pode ocorrer ausência de cervix ou ovários.
OVARIO
Anomalias de desenvolvimento
Agenesia: ausência do ovário, 
podendo ser uni (subfertil) ou bilateral (infértil)
Hipoplasia: o órgão é juvenil 
no animal, podendo ser parcial ( subdesenvolvido – pode ate produzir foliculos, mas os ovulos são de má qualidade) ou total (regreção total)
Cistos - cada cisto tem um 
tratamento e comportamento no animal.
Ovário policístico: tem como 
tratamento a utilização de hormônios.
Cisto folicular de graaf: esta 
na presença do estrógeno, onde o hormônio q esta em defit (problema) é o LH, onde ñ vai ocorrer a ruptura do folículo ( a femea sempre esta em estro), seu tratamento é usar o LH.
Cisto hemorrágico: esta de 
progesterona, o hormônio q esta em defit é o FSH (fêmea esta em anestro a algum tempo), tratamento hormonal.
Cisto de CL: ocorre após a
ovulação, onde a progesterona esta em alta e o animal ñ cicla tbm.
Cisto para-ovariano: estão 
envolta do ovário, ocorrem devido ao trauma ou inflamação.
Cisto luteinizado: ocontece 
após a ovulação, onde a queda da produção do hormonio LH (mesma coisa que o de CL.
Ooforite: inflamação do ovário 
de corrente de doenças como, herpesvirus, mycobacterium, brucella, actinomyces, mycoplasma, entre outros. Podendo ser por via hematogena ou via acedente. 
Neoplasia
Tumores da granulosa, 
tecomas e luteomas: cel da teca, carct de ser cístico, parece favo de mel e seu conteúdo na mesma coloração do mel.
Cistoaenocarcinoma papilar: 
de origem glandular, maligno, cístico.
Disgerminoma: maligno, de 
origem de cel germinativas q dão origem ao ovulo.
Teratoma: é neoplasia 
benigna, composta de variados tec juntos, contendo tec epitelial, estruturas anexas a pela {ex: pelo ou gl}, epitélio de respiratório, intestinal, gástrico, tec nervoso, etc. tem carct de crescimento muito rápido.
Tumores metastáticos: ñ são 
freq. Mas podem ocorre devido a tumores de mama, TVT, etc.
Processos inflamatórios
No oviduto tem papilas p/ aux 
no transporte.
Salpingite – inflamação do 
oviduto tem presença de exsudato, podendo ser seroso (hidroalpinge), mucoso (mucosalpinge) e purulento (piosalpinge) (fibrinoso nas serosas).
UTERO
Alteração de desenvolvimento
Agnesia: podendo ser uni 
(metade de um corno, tbm chamado de aplasia) ou bilateral (s/ corno ou útero).
Aplasia segmentar: é quando o 
órgão desenvolve uma parte do seu tecido e ñ a formação em outra parte dele, tendo apenas uma fina camada de tec.
Hipoplasia: quando o órgão é 
subdesenvolvido (chamado de vagina e vulva infantil).
Alteração de desenvolvimento endometrial (camada media do útero, onde tem gl(s)
Atrofia: ocorre devido a 
estímulos hormonais.
Hiperplasia: devido a estimulo 
hormonal
Estrógeno – pode ser decorrente de consumo de plantas q causa o seu aumento, aumentando a camada.
Progesterona – persistência de cistos, pseudocieses (gravidez piscologica), onde a camada esta aumentada.
Alterações circulatórios
Hemorragia: metrorragia 
(fora do período de cio)
Alteração de posicionamento (podem ser congênitas ou adquiridas)
Torção: ñ é muito comum, mas 
acontece normalmente quando o animal é muito ativo na prenhez.
Prolapso: saída do útero p/ 
fora do corpo do animal, normalmente acontece após um parto disto cito (quando há algum problema).
Alteração de conteudo
Hidrometra: presença de liq 
s/ coagulo no utero
Mucometra: liq viscoso.
Hemometra: presença de liq 
c/ coagulo no útero, conseqüência de uma metrorragia.
Processo inflamatório
Endometrite: endométrio 
(camada media, onde tem gl)
Perimetrite: serosa uterina 
(camada externa)
Metrites: parede uterina 
(camada interna)
Parametrites: tecido ao redor 
do útero
Abscessos: presença de pus 
localizada, delimitado por uma cápsula 
Piometra: é o acumulo de pus 
dentro do útero, podendo ocorrer devido por cobertura (onde ambos os cornos estão igualmente dilatados), pos-parto ( apenas o corno uterino onde teve desenvolvimento do feto esta dilatados), pela contaminação via ascendente de uma cistite, por IA inadequada, por via hematogena. Tbm tem a aberta (secreção pela vulva, ou seja, tem a cervix aberta.) e a fechada ( a cervix esta fechada, ñ há secreção pela vulva e pode ser confundido c/ parto). tratamento p/ P é a castração e p/ G é de suporte com terapia de antibiótico e hormonal.
Curiosidade: em eguas normalmente ocorre um processo inflamatório devido uma reação alérgica ao sêmen do macho, um processo patológico
Complexo de hiperplasia endometrial cística: Pode ter um estimulo muito grande da progesterona ou estrógeno e causando-a.
Neoplasia
Polipos endrometriais benignos: de 
cel epiteliais e estão na parede do útero.
Adenocarcinoma do endométrio
Fibroma e ficromassarcoma (raro)
Leiomioma e leiomiossarcoma
Linfoma (leucose em bovinos, 
onde se espalha pelo corpo deles).
FETOS
Alterações fetais
Edema: aumento do feto 
devido a liq (feto enfisematoso)
Maceração: contaminação do 
útero, onde a bac ataca o feto deixando apenas os ossos . sempre mata a fêmea.
Mumificação: o feto 
desidrata devido a má nutrição devido ao mal fornecimento ou nenhum fornecimento (acontece na torção do útero ou do cordão umbilical)
VULVA E VAGINA
Processo inflamatório
Vagina = vaginite
Vulva = vulvite
Doença granular venérea: um 
vírus é a causa, sendo transmitida pela copula, tem como caract tem formação nodulares (erupções papulares – papulas)., mais comum em caelas e vacas jovens q sofram monta natural.
Cervicovaginite infecciosa 
bovina: atinge cervix e vagina, causada pelo herpesvirus, trasmissão venérea, tem presença de exsudato purulento.
Vaginite e vulvite necrótica: 
é causada pelo fusobacterium necrophorus, causa varias tipos de lesões, sendo no s reproutor, TGI, seu tratamento é c/ antibiótico e tem origem traumas ou distocias no parto. E pode haver infecções secundárias.
Neoplasias
Carcinoma de Células Escamosas (eqüinos) 
Tumor Venéreo Transmissível (cães)
Fibropapiloma da Vulva (bovinos)
Carcinoma do Endométrio e Cérvix
Leiomioma 
Linfoma 
GL MAMARIA
Inflamações
Mastites: podendo acometer 
bovinos, ovinos, caprinos, cães (normalmente após o cio ou pseudociese), gatos e suínos. Dificil tratamento.
Neoplasia
A utilização de corante azul 
patente aux na visualização por qual linfonodo sentinela esta drenando a cadeia mamaria e daí se tira o linfonodo tbm na cirurgia.
Tumor na mama: qlqr outra 
neoplasia de origem ñ mamaria 
Tumor de mama: origem na cel 
da gl mamaria 
Profilaxia dos tumores é 
traves da castração.
Adenoma mamário
Adenocarcinoma mamário 
Carcinoma Complexo 
Tumor Misto Benigno de Glândula Mamária 
Tumor Misto Maligno de Glândula Mamária 
Etc...