A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Direito e Globalização 1 (Direito UNIP)

Pré-visualização | Página 6 de 8

aos 10/12/2007 
34 Frise-se no entanto, que do ponto de vista cumulativo, ou seja, desde o início das atividades econômicas que 
lançavam na atmosfera o dióxido de carbono, os países que participaram mais intensamente na revolução industrial 
contribuíram de maneira mais significativo, tornando a participação brasileira bem modesta no conjunto da obra. 
 
 
 
 
 
indústria 4.0 tende a ser totalmente automatizada a partir de sistemas que combinam máquinas 
com processos digitais. É a chamada ​“fábrica inteligente”​. 
“A quarta revolução industrial não é definida por um conjunto de tecnologias emergentes em si 
mesmas, mas a transição em direção a novos sistemas que foram construídos sobre a 
infraestrutura da revolução digital", esclarece Schwab, em seu ​livro ​A Quarta Revolução 
Industrial​. As tecnologias que fazem parte do conjunto da Indústria 4.0 não estão restritas aos 
universos da nanotecnologia, neurotecnologia, biotecnologia, robótica, ​inteligência artificial ​e 
armazenamento de energia. 
A primeira revolução industrial, que surgiu na Inglaterra no fim do século XVIII, mudou o 
paradigma mundial por acelerar este processo, que era totalmente artesanal, a partir do uso de 
carvão, vapor e ferro. A produção atingiu patamares nunca antes vistos na época. Os britânicos 
tornaram-se a principal potência mundial por conseguir produzir de forma barata e rápida 
produtos em todos os setores. 
A segunda revolução industrial ocorreu em meados do século XIX e teve como protagonistas a 
eletricidade, a química e o petróleo. O período foi marcado pela massificação da manufatura, e 
do desenvolvimento de tecnologias como o avião, refrigeradores, alimentos enlatados e os 
primeiros telefones. 
A terceira revolução industrial, por sua vez, é algo mais próximo das gerações atuais. A partir 
da segunda metade do século XX, a informação se tornou uma importante matéria prima. Os 
primeiros computadores surgiram e aumentaram a velocidade para se realizar qualquer 
processo de desenvolvimento científico. Portanto, revolucionou os avanços em todas as áreas 
do conhecimento. Desde a manipulação atômica até a tecnologia espacial só foram possíveis 
com o auxílio de um maquinário digital inovador. 
Ainda é cedo para prever todos os impactos que serão causados pela quarta revolução 
SOCIEDADE 5.0 
Se algumas pessoas ficam assustadas com a velocidade do ​desenvolvimento tecnológico​ no 
mundo atual, o conceito de ​sociedade 5.0 ​vem para trazer algum tipo de alívio. 
Esqueça aquele medo de distopias, em que a ​inteligência artificial​ evolui de tal modo que as 
máquinas tomam o controle do planeta. 
Na sociedade 5.0, o foco do desenvolvimento de soluções tecnológicas é 
o ​bem-estar humano ​, a qualidade de vida e a ​resolução de problemas​ sociais. 
Pode parecer ficção científica, mas a verdade é que, em termos de complexidade tecnológica, 
essa é uma realidade bastante palpável. 
O maior desafio não é técnico, e sim a ​mobilização ​entre autoridades, desenvolvedores da 
tecnologia e cidadãos em torno do objetivo comum de tornar a sociedade 5.0 real. 
Neste texto, vamos abordar os seguintes tópicos: 
o O que é Sociedade 5.0? 
o O que é Smart City? 
o Como surgiu o conceito de Sociedade 5.0? 
o Qual o objetivo da Sociedade 5.0? 
o Como funciona a Sociedade 5.0? 
o Principais desafios da Sociedade 5.0 
o Os três valores principais da Sociedade 5.0 
○ Qualidade de vida 
○ Inclusão 
○ Sustentabilidade 
o Principais tecnologias relacionadas à Sociedade 5.0 
o O Japão sai na frente na Sociedade 5.0 
Quer entender o que é essa tal de sociedade 5.0 e qual a ​disrupção​ que ela promete causar no 
planeta? Siga a leitura 
Sociedade 5.0 é uma proposta de ​modelo de organização social ​em que tecnologias 
como ​big data​, inteligência artificial e ​internet das coisas (IoT)​ são usadas para criar soluções 
com foco nas necessidades humanas. 
Esse modelo busca prover os serviços necessários para o bem-estar a qualquer hora, em 
qualquer lugar e para qualquer pessoa. 
Isso acontece graças ao planejamento de ​cidades totalmente conectadas ​, nas quais o 
ciberespaço se integra de maneira harmônica com o mundo físico. 
Trata-se de um projeto do governo japonês, que busca equilibrar o avanço econômico com a 
resolução de problemas sociais. 
Mais à frente, no tópico “Qual o objetivo da Sociedade 5.0?” explicamos melhor que tipo de 
problemas e desafios os japoneses pretendem resolver com a sociedade 5.0. 
Mas já podemos adiantar um exemplo para que você entenda melhor o conceito. 
A ​substituição dos veículos atuais ​(públicos e privados) por autônomos integra diversas 
tecnologias e traz benefícios evidentes. 
Entre eles, a redução no número de acidentes e a liberação dos motoristas da necessidade de 
dirigir (o que resulta em menos estresse). 
A sociedade 5.0 é possível graças às tecnologias avançadas que já são usadas hoje 
na ​indústria 4.0 ​– ​leia este artigo​ para saber mais. 
Smart City significa literalmente ​cidade inteligente ​, em inglês. 
O termo é utilizado para denominar as cidades conectadas, cujos espaços públicos e rotinas se 
tornam mais eficientes graças ao uso ​criativo​ e inteligente das tecnologias da informação. 
O objetivo é o mesmo que temos falado aqui: ​fazer com que a tecnologia traga benefícios 
aos cidadãos ​– e sem agredir o ​meio ambiente​ para que isso aconteça. 
Uma smart city, por exemplo, pode ter redes hidráulicas controladas por centrais remotas, 
transporte público integrado, sistemas elétricos autônomos e informações de big data para 
embasar a tomada de decisões do poder público. 
Existem vários exemplos de smart cities pelo mundo, ou pelo menos de iniciativas pontuais que 
colocam esses conceitos em práticas. 
Um case brasileiro é ​Águas de São Pedro​, pequeno município no interior do estado de São 
Paulo que serviu como cobaia para algumas ações da iniciativa privada. 
Entre os benefícios trazidos pela hiperconexão no município, estava o sistema que ​permitia aos 
motoristas encontrarem vagas de estacionamento​ por um aplicativo no celular. 
Resumindo, a ideia de smart city é praticamente a mesma do ​conceito de sociedade 5.0 ​. 
A diferença é que o segundo termo foi criado pelo governo japonês para distinguir o momento 
atual dos anteriores na história da humanidade, como veremos a seguir. 
Como surgiu o conceito de Sociedade 5.0? 
Em janeiro de 2016, o governo japonês lançou o ​5º Plano Básico de Ciência e Tecnologia ​, 
documento que define políticas de inovação a serem estimuladas pelo país entre 2016 e 2021. 
Dentro do plano, constava o conceito de sociedade 5.0, descrito como uma ​sociedade que o 
Japão deveria aspirar no futuro ​. 
Por que 5.0? Você deve estar se perguntando. 
Porque sucede outros quatro momentos da sociedade humana, que foram os seguintes: 
o Sociedade da caça (1.0): ​quando a espécie surgiu, os seres humanos eram 
caçadores-coletores. Viviam um estilo de vida nômade, migrando quando a oferta de 
alimentos do meio em que estavam se tornava escassa. 
o Sociedade da agricultura (2.0): ​o desenvolvimento de técnicas de cultivo de alimentos 
foi uma revolução na humanidade, pois marcou a transição do modo de vida nômade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.