02 - Seleção de Medicamentos em Hospitais
33 pág.

02 - Seleção de Medicamentos em Hospitais


Disciplina<strong>farmácia</strong> <strong>hospitalar</strong>41 materiais118 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1
Seleção de Medicamentos
em Hospitais
Prof. Me. Kacio Felipe S. Souza
Farmacêutico \u2013 Clínico
Especialista em Farmácia Oncológica e Hospitalar
Presidente da Comissão de Farmácia Clínica / CRF-AM
Padronização de medicamentos emateriais
2
\uf076 Padronização.
- Objetivos da seleção/padronização.
- Justificativa da seleção/padronização.
- Etapas da seleção.
- Métodos de seleção.
- Vantagens.
- Critérios.
\uf076 Comissão de Farmácia e Terapêutica.
PADRONIZAÇÃO CONCEITO:
3
Constituição de uma relação básica de produtos que atendam aos
critérios propostos pelo Ministério da Saúde. Constituindo os estoques da
farmácia hospitalares que objetiva o atendimento médico- hospitalar de
acordo as necessidades e peculiaridades de cada instituição.
A padronização é o resultado concreto do processo de seleção de
medicamentos/materiais desenvolvidos na Instituição e reflete seus
critérios terapêuticos.
QUADRO GERAL ATUAL
\uf0fe Lançamentos de novas opções no mercado
Novas indicações para medicamentos antigos 
Novos medicamentos que não apresentam
vantagens terapêuticas quando comparadas a
produtos já existentes
EUA 1998-
2002
58 prováveis de 
representar 
aperfeiçoamento 
significativo
415medicamentos 
aprovados
OMS \u20131975
- 1984
398 realmente
apresentavam
novaestrutura
508 \u201c novas moléculas\u201d
4
QUADRO GERAL ATUAL
\uf0fe NO BRASIL
- Elevado nº de medicamentos.
- Medicamentos sem comprovação de eficácia clínica 
e com inaceitável relação risco-benefício.
5
QUADRO GERAL ATUAL
http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/f8d2ca00474585978f43df3fbc4c6735
/gen%C3%A9ricos+acumulados+at%C3%A9+2010.pdf?MOD=AJPERES
6
QUADRO GERAL ATUAL
PROPAGANDA
Direcionada a estudantes de medicina, 
prescritores e consumidores finais.
7Fagundes MJD, Soares MGA, Diniz NM, Pires JR, Garrafa V. Análise bioética da propaganda e publicidade de 
medicamentos. Ciênc Saúde Colet. 2007;12(1):221-9
98% dos médicos são visitados 
frequentemente por propagandistas da 
indústria farmacêutica
68% crêem na influênciadireta
da propaganda sobre
a prescrição
68% acreditam haver inverdades ou 
incorreções nas
peças publicitárias
40% dos entrevistados disseram
recebê-las semanalmente, 22% mensalmente, 
12% diariamente, 10% a cada três dias e 16%
mencionaram outras freqüências
24% disseram que
não há qualquer influência e
22% dos médicos confiam
plenamente nas informações 
recebidas
86% dos entrevistados afirmaram receber 
brindes durante as visitas
8% não têm opinião formada 10% não têm opinião formada
22% confiam plenamente nas informações 
publicitárias fornecidas pelos laboratórios
14% dos médicos entrevistados
disseram prescrevê-los em 
função do recebimento de
prêmios
28% dos médicos afirmaram receber 
dos propagandistas folhetos de 
propaganda destinados aos 
pacientes.
Antes da RDC, as informações (contra-indicações, indicações, precauções, cuidados e advertência) nas propagandas 
representava 28% dos casos. Após a RDC 102/2000 foram encontradas em 79%.
A NECESSIDADE DA SELEÇÃO
\u2022 A padronização tem como ponto de partida a Relação de
Medicamentos essenciais da Organização Mundial da Saúde 
(OMS).
\u2022 A OMS considera como medicamento essencial:
\u201c ...Aqueles que servem para atender às necessidades 
de assistência à saúde da maioria da população, portanto
esses produtos devem estar disponíveis em qualquer
momento, nas quantidades adequadas e nas formas 
farmacêuticas requeridas\u201d
Até o ano 2000, 146 dos 191 países já apresentavam a sua relação de 
medicamentos essenciais
No Brasil - RENAME
\u2013 publicada pela Portaria nº 507/99
8
A NECESSIDADE DA SELEÇÃO
O uso racional de medicamentos/materiais no 
meio hospitalar vem aumentando gradativamente.
9
Para a implementação de uma Política de uso 
racional a seleção dos medicamentos/materiais, 
que irão compor a padronização, se faz essencial.
Os medicamentos e o custo dos Serviços de Saúde
introdução de
10
novas
tecnologias
Frequente \u2022 Falta de avaliação e análises de
custobenefício.
\u2022 Falta de divulgação dasanálises
existentes.
Velocidadedos 
lançamentos 
da industria 
farmacêutica
\u2022
\u2022Inadequada política de 
registrode medicamentos. 
Não se demonstrouque
um nº infinitode fármacos 
resulte emmaiores
benefícios.
O processo de seleção
OBJETIVOS GERAIS:
Assegurar ao hospital o acesso ao 
medicamento/material mais necessário, 
adotando critérios de eficácia, 
segurança, qualidade e custo
Promover o uso racional
11
O processo de seleção
CARACTERÍSTICAS:
- Dinâmico.
- Contínuo.
- Multidisciplinar
- Participativo.
12
Seleção dos 
materiais
Elaboração do 
formulário 
terapêutico
O processo de seleção:
13
PRINCIPAIS OBJETIVOS DA SELEÇÃO
14
- Garantir a disponibilização de fármacos em tempo
útil, sem afetar a qualidade da assistência prestada.
- Melhorar a qualidade da atenção por meio da
seleção da opção terapêutica com melhor relação
risco-benefício, segundo a evidência científica
disponível e a diminuição de erros de medicação por
redução do arsenal terapêutico disponível.
PRINCIPAIS OBJETIVOS DA SELEÇÃO
15
- Servir como suporte a um sistema de dispensação
eficiente.
- Possibilitar o uso de uma mesma linguagem por
todos os membros da equipe de saúde.
\u2022 Implantar políticas de utilização de medicamentos
com base em correta avaliação, seleção, e emprego
terapêutico no hospital.
\u2022 Promover a atualização e a reciclagem de temas
relacionados à terapêutica hospitalar.
\u2022 Reduzir custos, visando a obter a disponibilidade dos
medicamentos essenciais à cobertura dos tratamentos
necessários aos pacientes.
16
PRINCIPAIS OBJETIVOS DA SELEÇÃO
PRINCIPAIS OBJETIVOS DA PADRONIZAÇÃO
Racionalizar as 
espécies de 
medicamentos e 
produtoscorrelatos 
para a saúde
Propiciar o menor 
emprego de capital 
na aquisição de 
medicamentos e 
produtoscorrelatos
Facilitar as atividadesde 
armazenamento e 
controle de 
medicamentos e 
correlatos
Oferecer ao corpo 
assistencial 
orientações sobreos 
medicamentos
Contribuir parao 
sucesso da 
farmacoterapia
Servir de suportea 
um sistema de 
dispensação 
eficiente.
17
VANTAGENS DA SELEÇÃO
VANTAGENS ASSISTENCIAS
18
\uf0fcAumenta a qualidade da farmacoterapia e facilita 
a vigilância farmacológica.
\uf0fcProporciona maior segurança na prescrição 
médica e administração dos medicamentos, 
reduzindo a incidência de reações adversas.
\uf0fcDisciplina o receituário e uniformiza a terapêutica, 
quando possível, para estabelecer protocolos 
criteriosos.
\uf0fcReduzir o custo da terapêutica , sem prejuízo para 
a segurança e a efetividade do tratamento.
\uf0fcReduzir o número de fórmulas e formas 
farmacêuticas.
VANTAGENS DA SELEÇÃO
VANTAGENS ADMINISTRATIVAS
19
\uf0fcReduzir o estoque (quantitativamente e 
qualitativamente).
\uf0fcReduzir o custo de aquisição de medicamentos.
\uf0fcReduzir o custo de manutenção do estoque.
\uf0fcFacilitar a comunicação entre farmácia, equipe 
médica, equipe de enfermagem e seções 
administrativas.
\uf0fcSimplificar rotinas de aquisição, armazenagem, 
dispensação e controle.
BENEFÍCIOS DE SE TRABALHAR COM A
SELEÇÃO / PADRONIZAÇÃO
VANTAGENS PARAO 
HOSPITAL
\u2022 Menor capital 
empregado.
\u2022 Menor quantidade de 
pessoas envolvidas 
com o controle do 
estoque.
\u2022 Menor quantidade de
itens adquiridos.
\u2022 Otimização da 
estrutura de 
armazenamento.
\u2022 Maior agilidade nas
aquisições.
\u2022 Maior probabilidade 
de executar boas 
negociações.
VANTAGENS PARAA 
FARMÁCIA
\u2022 Agilidade no 
aviamento das 
prescrições médicas.
\u2022 Facilidade no controle 
dos estoques.
\u2022 Possibilidade de se 
estabelecer