Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Mediação

Pré-visualização | Página 1 de 1

Mediação 
 Mediação é um procedimento de resolução informal, porém estruturado. 
Um mediado é designado para facilitar e auxiliar as partes para que estas 
chequem a uma solução amigável de uma determinada controvérsia, de forma 
que consigam administrar seus problemas e chegar a uma solução consensual. 
 A mediação é mais adequada para as lides frutos de relações 
continuadas, por exemplo, as relações familiares, trabalhistas, e empresariais, 
já que permitem uma melhor compreensão e administração do conflito, 
evitando, dessa forma, novos conflitos. 
 Conforme os ensinamentos de (Vezzulla, 2002. p.88) “A mediação é uma 
técnica de resolução de conflitos, que sem imposições de sentenças ou de 
laudos, e, com um profissional devidamente formado, auxilia as partes a 
acharem seus verdadeiros interesses e a preservá-los num acordo criativo 
onde as duas partes ganham”. 
 As partes são livres para encerrar a mediação a qualquer momento. 
Nenhuma decisão pode ser imposta ás partes envolvidas, que podem ou não 
concordar com uma solução negociada. O princípio de confidencialidade 
garante que todas as possíveis opções discutidas pelas partes não terão 
consequência para além do processo de mediação. 
 Um procedimento baseado em interesses significa que os critérios 
estabelecidos para alcançar a solução, não somente respeitam a Lei, bem 
como, podem incluir considerações relativas a interesses financeiros, 
comerciais, e pessoais das partes. 
 A mediação encontra respaldo no código de Processo Civil de 2015 e 
na Lei 13.140, também do ano de 2015, “que considera-se a atividade técnica 
exercida por terceiro imparcial sem poder decisório, que, escolhido ou aceito 
pelas partes, as auxilia a identificar ou desenvolver soluções consensuais para 
a controvérsia”. 
 Posto isto, importante lembrar que se deve acionar o Judiciário em 
último caso, na impossibilidade de auto-superação da controvérsia pelas 
partes, que deverão possuir o livre acesso a um modelo consensual que as 
ajude a encontrar uma solução pacífica e não adversarial da contenda.