A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
Adm Micro e Peq Empresas - aula 2

Pré-visualização | Página 1 de 2

Administração de Micro e Pequenas 
Empresas 
Tema 1: As relações com as grandes empresas e 
com o estado, e os fundamentos do 
microempreendimento. 
Tema 2: Estrutura patrimonial e dinâmica 
funcional. 
Para início de conversa... 
 
As Relações com as grandes Empresas e com o 
Estado, e os Fundamentos dos Microempreendimento. 
 
• A dificuldade financeira nas micro e pequenas empresas, 
a falta de capital de giro, o risco operacional na busca de 
agentes financeiros para prover fluxo de caixa nas 
empresas. 
• Dificuldades das empresas para sair da informalidade, e 
o nível de burocratização para regularizar uma empresa. 
• A importância da gestão contábil e financeira nos 
microempreendimentos. 
 
2 
Introdução 
• As pequenas empresas brasileiras estão 
sobrevivendo mais. 
• Em 2012, 26,9% das pequenas empresas 
brasileiras não conseguiram se firmar nos dois 
primeiros anos de vida. Pesquisa divulgada em 
2011 indicou que a taxa de mortalidade era de 
28,1% (SEBRAE, 2011). 
Introdução 
• Mesmo com um desempenho mais positivo as 
pequenas empresas estão passando por 
problemas, pois o pouco incentivo para a 
formalização, os impostos e as taxas ainda 
assustam os empresários das pequenas 
empresas. 
Introdução 
• As grandes empresas nacionais e internacionais 
instaladas no território nacional conseguem 
benefícios que as pequenas empresas em sua 
totalidade nunca conseguem alcançar. 
 
• Visando alcançar à sobrevivência no mercado 
competitivo, as empresas de pequeno porte 
realizam parcerias, criando alianças 
estratégicas, porém muitas acabam fechando as 
portas, não aguentando a pressão do mercado 
nem a tributação. 
Introdução 
• Já os clientes das grandes empresas pressionam 
as pequenas empresas para prazos melhores ou 
mais longos. 
• Dispostas a não perder os clientes, as pequenas 
empresas aceitam o prazo imposto por esses 
clientes, levando a dívidas muitas vezes 
impagáveis. 
• O dinheiro demora a entrar no caixa da 
empresa, mas as contas estão todos os meses 
batendo na porta das pequenas empresas. 
Introdução 
• Outro problema encontrado pela pequena 
empresa é a disponibilidade de créditos. 
 
• Os agentes financiadores dificultam o acesso 
para estes empresários, incluindo diversas 
exigências e documentos que as empresas 
pequenas ficam impossibilitadas de conseguir 
capital de giro. 
Importância 
• As empresas de micro e pequeno porte 
contribuem fortemente para a economia 
brasileira, sendo que, dos 24,9 milhões de 
trabalhadores com carteira assinada, 13,1 
milhão estão em MPEs. Destes, 64,9% estão no 
interior (SEBRAE, 2012). 
Gestão 
• Uma das consequências diretas do grande 
número de encerramento das empresas está 
atrelada ao problema de capital de giro. 
• Os empresários possuem dificuldade em gestão 
de finanças, “misturando” pessoa jurídica com 
pessoa física, falta de preparação, etc. 
• Há a necessidade de novos caminhos para 
estimular o aumento do capital de giro nas 
empresas, novas parcerias de agentes 
financeiros, taxas menores e carências 
significativas. 
Fundamentos do Microempreendimento 
 
Dinheiro 
• Ao iniciar um negócio, deve-se pensar em 
quanto investir, na quantia certa de dinheiro 
inicial a injetar na empresa. 
• A quantia mínima necessária para o negócio 
deve ser avaliada antes de qualquer passo a ser 
tomado. 
• É esse alinhamento que vai determinar o 
tamanho da empresa e sua capacidade 
financeira. 
 
A Contabilidade Microempresarial 
 
• Controle contábil para uma gestão de sucesso. 
• A falta de aptidão em gestão contábil e 
financeira é um fator básico de insucesso entre 
pequenas empresas. 
• O balanço patrimonial é a fotografia financeira 
da empresa, é uma demonstração estática e 
sintética que tem por finalidade apresentar os 
bens, direitos, obrigações e o capital 
pertencente aos proprietários da empresa. 
Tecnologia nas Pequenas Empresas 
 
• Conhecimento acumulado dos proprietários/ou 
colaboradores. 
• Deve-se ter o conhecimento técnico e gerencial 
antes de abrirem as portas. 
• A microempresa moderna precisa estar atenta 
às novas tecnologias de gestão. 
• Quanto mais conhecimento o microempresário 
tiver, maior a probabilidade de identificar 
melhorias no produto e nos processos produtivo 
e gerencial. 
Relações 
 • O investimento das pequenas empresas não está 
diretamente atrelado apenas a recursos, 
• Conhecimentos externos, integração com 
fornecedores, investidores, concorrentes e 
clientes, 
• A cadeia de relações espontâneas precisa ser 
construída, muito bem elaborada e, com grande 
esforço e intensidade, manter-se continuamente 
retroalimentada e bem-direcionada. 
• Conquistar o apoio de todos os parceiros poderá 
ser uma boa estratégia para qualquer empresa. 
Os Riscos do Pequeno Negócio 
 
• Escolher corretamente a localização do 
negócio; 
• Quanto se deve investir, quais pessoas 
contratar; 
• Nível de conhecimento suficiente e a busca 
de novas informações ; 
• Riscos financeiros. 
Planejamento 
As pequenas empresas precisam estabelecer dois 
critérios básicos: 
• uma parte dos lucros anuais deve ser mantida 
na microempresa para enfrentar perdas 
imprevistas; 
• a contratação de seguro para o 
compartilhamento dos riscos constitui-se em 
uma forma eficaz de redução da parcela dos 
ricos. 
Continuando... 
 
Estrutura Patrimonial e Dinâmica Funcional. 
 
 
 
 
Estrutura Patrimonial 
 
• Existe uma preocupação sobre onde investir o 
dinheiro, 
• O risco de perder o dinheiro é grande, o 
empreendedor deve planejar corretamente para 
alcançar um fator de confiança no futuro 
empreendimento. 
• É preciso ter cautela em relação a como 
empregar o dinheiro para não haver 
desvalorização. 
• Os riscos precisam ser calculados e minimizados 
com seguro de patrimônio, se necessário. 
Estrutura Patrimonial 
 
• O homem financeiro (investidor) é aquele 
que realiza um estudo minucioso antes de 
qualquer decisão e, após diversas análises, 
investe em empreendimentos. 
 
• O empreendedor diferencia-se pela 
característica de estar à frente do negócio; 
em alguns casos, ele busca parcerias dos 
investidores para apostar/vender sua ideia. 
Estrutura Patrimonial 
 
• O empreendedor visualiza uma 
oportunidade futura ou um evento que 
possa gerar lucros. 
 
• Por meio de um plano de negócios, ele 
busca investimento de terceiros, visando à 
rentabilidade para seu negócio. 
Capitais Corporativos 
 
• Certamente você responderá: “muito”. Mas 
isso é relativo, pois depende do tamanho e da 
proporção do negócio a ser aplicado 
(FERRONATO, 2011). 
• Para conseguir visualizar corretamente o valor 
necessário para o investimento, necessita-se 
fazer uma análise contábil, entender o Passivo, 
Ativo, Patrimônio Líquido, entre outros. 
Outros conceitos 
• Investimentos Corporativos – o Ativo 
• Passivo 
• Passivo Não Circulante 
• Patrimônio Líquido 
 
 
 
Dinâmica Funcional 
• As atividades de operações e os processos, 
quando bem-gerenciados, impactam 
positivamente a empresa. 
 
• As operações são a soma dos trabalhos 
envolvidos (Tangível e Intangível), esforços e 
insumos necessários para desempenhar as 
atividades da empresa. 
Dinâmica Funcional 
• Quanto mais eficiente e produtiva a operação, 
menor será o custo para produzir uma unidade 
do produto ou serviço. 
 
• A gestão auxilia na qualidade dos 
produtos/serviços, impactando em melhorias 
para o negócio e gerando maiores receitas para 
empresa 
O Produto, as Vendas e o Marketing 
 
• A cada 30 (trinta) minutos, lança-se