Atividade do portifólio ciclo 3º

Atividade do portifólio ciclo 3º


DisciplinaMatemática76.989 materiais1.345.815 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Curso: Licenciatura em Matemática
Claretiano \u2013 Centro Universitário de Linhares - ES
Disciplina \u2013 Política da educação básica
Profº; Wagner Montaninhi
Aluna; Maria Aparecida santos Norberto Neves
RA; 8100073
1ª etapa
Assistir ao documentário Pro dia nascer feliz (2007).
Direção: João Jardim, ano: 2007. Para isso acesse o documentário diretamente no Youtube. Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=nvsbb6XHu_I&t=45s. Acesso em: 19 jun. 2018.
2ª etapa
1. Apresentar um quadro dos diferentes momentos mostrados pelo diretor
 Pro Dia Nascer Feliz foca o aluno e mostra o professor tal qual ele é: na escola dos pobres, um trabalhador precarizado tão vitimizado quanto os alunos e impotente diante do caos em que se vê imerso. Na escola dos ricos, um elemento de classe média desfrutando do status e respeito que as condições lhe oferecem. Aliás, uma forma interessante de se pensar o filme está na comparação da figura dos professores das diferentes escolas. De um lado, professoras descabeladas, com olheiras, cansaço visível e uma situação que leva muitos aos calmantes e antidepressivos: xingamentos, ofensas, descaso e a convivência em escolas e bairros que são uma tortura estética. Do outro, a suavidade de uma professora falando de O Cortiço, de Aloísio Azevedo, do alto de seu salário de R$ 6 mil mensais, sem expressão de cansaço, muito bem vestida e diante de uma platéia silenciosa de futuros vencedores, num ambiente aprazível, limpo e arborizado; da cadeira ou sofá pode-se sentir o frescor que o ambiente transmite.
 Esse ponto é importante no filme. Embora se possa desejar que o professorado deveria ser melhor e mais ativo quanto à organização do trabalho educacional, o filme mostra claramente como é falaciosa a tentativa de se culpar pura e unicamente os professores pelo fracasso educacional. Se em algumas cenas mostra-se o descaso de alguns professores com a figura do aluno, muitas outras mostram professores muito engajados que, no entanto, são massacrados pelas condições estruturais reinantes. Se não se pode negar a má qualificação docente e o fato de que todos nós deveríamos saber sempre mais de alguma coisa, o filme mostra que o problema está na falta de suporte geral para os docentes e para o ambiente em que trabalham, a começar pela formação. O professor precário de hoje é o fruto da criação planejada de uma educação solapada, muito útil aos donos de escolas particulares, que precisa lidar com uma realidade social complexa, tendo que atender simultaneamente alunos de alto potencial e jovens desinteressados e indisciplinados, sem auxílio das famílias ou uma rede de proteção.
 Pro Dia Nascer Feliz é dirigido por João Jardim, Janela da Alma. O filme é fruto de quatro anos de pesquisa em três regiões diferentes. Começa em Manari, Pernambuco, uma das regiões mais pobres do Brasil. Com problemas, que retrata a historia de Valéria, estudante que sofre perseguição por conta das suas redações muito qualificadas, algo fora de comum no local, situação que constantemente a coloca como plagiadora. Em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, a criminalidade é um dos problemas que mina alguns trabalhos de docentes dedicados no interior da escola. Embora se encontre quem veja o filme e procure justificar o fracasso das más escolas públicas pelo desinteresse e indisciplina dos alunos, transformando em culpados as verdadeiras vítimas, as imagens não deixam dúvidas quanto aos problemas estruturais da educação pública centrados em gestão, qualificação e financiamento. Péssima estrutura, professores mal qualificados, péssimos gestores, carentes de qualificação mínima, nenhuma ou pouca assistência ao aluno. Enfim, uma escola condizente com a formação de um exército de trabalhadores precarizado onde os índices de segurança pública e fatores disciplinares acabam pesando mais na formação de uma juventude que possui pela frente um mercado de trabalho rústico. Claramente, o maior interesse dos alunos mostrado no colégio de elite é condizente com o futuro que os espera. Enquanto os primeiros estão numa escola que significa uma verdadeira condenação social, com horizontes de trabalho pesado e mal remunerado, os últimos têm, a cada dia, confirmada a sua destinação para cargos de chefia ou trabalhos bem remunerados e bem vistos socialmente. Pro Dia Nascer Feliz ainda mergulha no cotidiano de instituição de São Paulo e apresenta o fosso entre duas escolas distanciadas por uma hora de deslocamento de carro. Enquanto no Alto de Pinheiros, estudantes circulam com segurança e tem acesso ao melhor da tecnologia e da produção cultural, em Itaquaquecetuba,os estudantes enfrentam um espaço de ensino precário desde as questões estruturais, onde geralmente falta tudo, expondo a fragilidade do sistema educacional e de seus principais personagens: alunas e do professores e a divisão do sistema de educação brasileiro,público e privado. Trazendo o cotidiano dos alunos e professores demonstrando suas insatisfações á escassez de recursos e a falta de estrutura das escolas, bem como o desinteresse dos próprios alunos e os desafios e desmotivação vividos pelos professores da escola publica; além dos problemas social sofrem com a falta de estrutura e condições precárias onde estes alunos estudam, uma realidade discrepante em relação as escolas privadas. E a pergunta é? Onde estão os governantes e o poder público que fechou os olhos para sua situação degradante.
2ª etapa
2. Desenvolver ao final, uma análise crítica e reflexiva do documentário, considerando a legislação da educação e
questões como o direito a educação e o dever de educar, princípios e fins da educação, organização e funcionamento das
escolas, gestão e financiamento da educação, currículo escolar, etc.
 O artigo nº 22 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação é bastante esclarecedor ao apontar que \u201ca Educação Básica tem por finalidade desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornece-lhes meios para progredir no trabalho e em situações posteriores\u201d. Diante do excerto, surge a pergunta que muitos educadores, estudantes e demais cidadãos fazem diante da proposta: tais recomendações são, de fato, exercidas?
 Ao longo dos 88 minutos, o documentário Pro Dia Nascer Feliz, dirigido, montado e roteirizado pelo cineasta e pesquisador João Jardim vai apresentar argumentos para estas perguntas, além de dar conta de outro extenso feixe de questões sobre a condição da educação no Brasil, tendo em vista a sua dinâmica que parte de realidades díspares e estrutura que contempla depoimentos de alunos, professores, gestores e demais agentes deste agonizante e impiedoso sistema.
É a partir daí que o filme aborda o sistema educacional brasileiro, coletando depoimentos de estudantes de escolas da rede pública e privada, bem como professores, familiares e membros da gestão, em depoimentos que denunciam a banalização da violência, a desigualdade social e o abismo entre a qualidade do ensino básico público e privado, pois todos os problemas sociais apontados na produção partem do ponto de vista do sistema educacional em decadência.
O filme é fruto de quatro anos de pesquisa. Começa em Manari, Pernambuco, uma das regiões mais pobre dos Brasil. No local, somos apresentados aos problemas de Valéria, estudante que sofre perseguição por conta das suas redações muito qualificadas, algo fora do comum no local, situação que constantemente a coloca como plagiadora. Em Duque de Caixas, no Rio de Janeiro, a criminalidade é um dos problemas que mina alguns trabalhos de docentes dedicados no interior das escolas. Pro Dia Nascer Feliz ainda mergulha no cotidiano de instituições de São Paulo e apresenta o fosso entre duas escolas distanciadas por uma hora de deslocamento de carro. Enquanto no Alto de Pinheiros, estudantes circulam com segurança e tem acesso ao melhor da tecnologia e da produção cultural, em Itaquaquecetuba, os estudantes enfrentam