Artigo. Diabetes

Artigo. Diabetes


DisciplinaPrevenção de Doenças Crônicas-degenativas21 materiais49 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Diabete Melito Tipo 1: Transplante de Pâncreas
Jhonatan Santo Miyake[2: Acadêmico do curso de Bacharelado em Enfermagem da Universidade do Estado de Mato Grosso, Câmpus de Cáceres.]
Marcus Winicius Trindade1
Riquelme Augusto de Sena Santos1
Prof.ª M.ª Graciene Verdécio de Gusmão[3: Professora Assistente da Universidade do Estado de Mato Grosso, Câmpus de Cáceres. ]
Resumo
O artigo irá tratar de forma bem completa e ao mesmo tempo de forma específica, sobre como o corpo reage até o surgimento da diabetes, o procedimento que leva para chegar a essa fase, o que pode acarretar a diabetes, seus principais sintomas e principais formas de tratamento. Trazendo conhecimento também sobre o transplante de pâncreas. Lembrando, que o transplante trás melhoras na qualidade de vida, porém pode haver complicações. Contudo, há muitos estudos, com várias formas de conhecimento, sobre a Diabetes Melito Tipo 1 e o Transplante de pâncreas. Conhecimentos esses, que foram pesquisados da melhor maneira em diversos sites reconhecidos e com profissionais renomados, para uma melhor compreensão, e para se trazer conteúdos de confiança. Portanto, de forma clara, absoluta, busca-se conduzir o objeto de pesquisa de jeito simples, mas com amplo entendimento, com soluções viáveis e objetivos diretos, com profissionais renomados e estudiosos, para se conseguir os melhores resultados.
Palavras-chave: Diabetes, Diabetes Melito Tipo 1, Pâncreas, Transplante de Pâncreas.
Abstract 
The article will address both quite completely and at the same time, specifically, how the body reacts until the onset of diabetes, the procedure that leads to this stage, which can lead to diabetes, its main symptoms and main forms of treatment. Also bringing knowledge about pancreas transplantation. Remembering that the transplant brings improvements in quality of life, but there may be complications. However, there are many studies with various forms of knowledge on Type 1 Diabetes Mellitus and pancreas transplantation. This knowledge, which was best researched in several recognized sites with renowned professionals, for a better understanding, and to bring reliable content. Therefore, in a clear, absolute way, we seek to conduct the research object simply, but with broad understanding, viable solutions and direct objectives, with renowned professionals and scholars, to achieve the best results. 
Keywords : Diabetes, Type 1 Diabetes Mellitus, Pancreas, Pancreas Transplant.
2
1 Introdução
Com as pesquisas na base de livros e artigos no período de 4 meses, foi feita tal abordagem para enaltecer os tratamentos da Diabetes Melito Tipo 1 (DMT1) dando ênfase ao tratamento, com pouca relevância do conhecimento da sociedade, mas com uma excelente eficiência para com a doença, o transplante de pâncreas. Com o objetivo de informar o leitor com o artigo divido em introdução, desenvolvimento, metodologia, resultado e discussão.
O corpo necessita de energia para o seu bom funcionamento que é adquirida através de alimentos que deve-se ingerir no dia-a-dia, tendo energia através dos nutrientes: carboidratos, proteínas e lipídeos. Os carboidratos, primeira fonte de energia utilizada pelo organismo, quando em cardápios do dia-a-dia apresentam o polissacarídeo denominado Amido, que ao ingeri-lo, se começa uma quebra desse açúcar na boca, com o inicio da saliva através da enzima Amilase que se finaliza a quebra no esôfago dando origem a várias moléculas de glicose. A glicose sofre pela atuação do Pâncreas, com a presença de glândulas endócrinas, liberam hormônios no sangue, são elas a Insulina e o Glucagon. Os papeis desses hormônios são de suma importância para o funcionamento do organismo do corpo humano, a Insulina quando ocorre a Hiperglicemia, que é a abundância de glicose na corrente sanguínea, e tem o papel de abrir portas nas células para fazer a reserva de Glicogênio, respectiva reserva energética dos animais. Já o Glucagon, exerce a função de quebrar essa molécula de Glicogênio em Glicose quando há a Hipoglicemia, que é falta de Glicose na corrente sanguínea. 
Quando há a ausência ou falta de insulina, uma disfunção hormonal do Pâncreas, se resulta na doença crônica chamada Diabetes Mellitus causada pela má absorção desse hormônio. A Diabetes Mellitus conta com três tipos, sendo elas: Diabetes tipo 1, com a frequente ocorrência na infância e adolescência que tem como causa a pouca ou nenhuma produção de insulina do pâncreas; Diabetes tipo 2, acometem as pessoas de 40 anos a cima e acontece quando as células passam a ser resistentes a ação da insulina; e a Diabetes Gestacional, acarretada pelo aumento excessivo de peso da mãe durante o período de gravidez.
O diabetes mellitus é uma doença crônica, caracterizada pela elevação da glicose (açúcar) no sangue acima da taxa normal (hiperglicemia). A taxa normal é de aproximadamente 60 a 110 mg%. Ele é causado por fatores genéticos (herdados) e ambientais, isto é: a pessoa quando nasce já traz consigo a possibilidade de ficar diabética. Quando, aliado a isso, se traz fatores como obesidade, infecções bacterianas e viróticas, traumas emocionais, gravidez etc., a doença pode surgir mais cedo. (Zagury, Zagury & Guidacci 2000, p. 16)
A hereditariedade, a obesidade, a hipertensão, níveis altos de colesterol e triglicérides, falta de atividade física regulas, estresse emocional e idade acima dos 40 anos são fatores de risco para essa doença crônica que pode ser diagnosticada em um procedimento em que consiste primeiramente o exame de sangue e em seguida, caso uma alteração significativa de glicemia, será realizado a Curva Glicemia, o teste oral de tolerância a glicose na qual é dado ao paciente um xarope de glicose no intervalo de tempo e nesse mesmo intervalo é revisado a sua glicemia do sangue colocando os resultados em um gráfico para se chegar no diagnostico preciso.
Diabetes MelitoTipo 1
A DMT1(Diabetes Melito Tipo 1), que é a que se trata em todo o artigo, se trata de forma bem sólida, uma vez que, ela demonstra e é concedida pelo excesso de glicose na corrente sanguínea, e isso leva a várias complicações futuras. Existe alguns fatores onde a diabete tipo 1 pode ser mais recorrente, porém não é uma lei desta doença. Geralmente, ela surge na fase da adolescência ou na fase da infância, e seus sintomas rodeiam a vontade de urinar e a perca de peso, e também as células de defesa do organismo passa a destruir o pâncreas, que por sua vez é o responsável pela produção de insulina do corpo humano. A insulina, tem função exclusiva de dar caminho para as células para a entrada de glicose, que após processo, será transformada em energia, e é esse processo que nos mantém vivos. Fica a pergunta de como surge a DMT1. Ela se trata do acúmulo da glicose no sangue, e isso gerará muitos danos à saúde. Entre alguns desses danos/complicações, estão: 
. Lesões nos vasos sanguíneos, que compromete a oxigenação dos órgãos, que pode levar ao AVC;
. Danos à retina, que pode ocasionar a cegueira;
. Falência Renal;
. Comprometimento dos nervos, que causa a perca de sensibilidade, que também é conhecido por Neuropatia Periférica;
. Amputação de membros, devido a feridas na pele.
Portanto, compreende-se que a DMT1, não é tão comum como a Diabetes Melito Tipo 2, porém, ela está aí, tem seus grandes riscos e é muito importante prestar atenção em todos os sintomas e tudo que ela pode causar. Como essa doença é causada por fatores genéticos, não há medidas de prevenção. O recomendado a se fazer se fazer é afastar as complicações, e para isso é necessário acompanhamento médico e tratamento, e também manter uma vida saudável, na alimentação e no próprio estilo de vida.
O pâncreas do diabético tipo 1 não produz insulina. Sem o hormônio, a glicose não entra nas células e fica acumulada no sangue e começam a aparecer os sintomas. Quando o açúcar no sangue excede o limite, esse excesso é eliminado pela urina. Nota-se quando o diabético ao urinar no vaso sanitário, algum respingo no chão fica com aparência